Carnaval longe da confusão no Parque dos Três Picos

Serra dos Órgãos vista da Cabeça de Dragão. A montanha mais próxima é a Pedra D´Anta, no Vale dos Frades

Serra dos Órgãos vista da Cabeça de Dragão. A montanha mais próxima é a Pedra D´Anta, no Vale dos Frades

– Salinas e as opções de caminhada, escalada, banho de rio, camping…

Carnaval, dias de folia para muitos e de um caminho totalmente inverso para outros – como é o meu caso. Há muitos anos aproveito os dias de folga no período de momo para descansar em locais onde geralmente não se escuta um pandeiro sequer, como a região de Salinas, em Nova Friburgo, vizinha ao Vale dos Frades, em Teresópolis. Na área do Parque Estadual dos Três Picos, oferece grande número de opções de lazer em meio à natureza, como caminhadas, escaladas (muitas!), camping e até um refresco em pequenos rios. E, além de tudo isso, passar uns dias em Salinas pode ser sinônimo de ampliar seu círculo de amizades e fortalecer aquelas moldadas a partir do gosto comum às coisas simples da vida e a grandiosidade da natureza.

Carnaval na montanha: Eu e minha Dani no cume da Cabeça de Dragão, a 2.018 metros de altitude

Carnaval na montanha: Eu e minha Dani no cume da Cabeça de Dragão, a 2.018 metros de altitude

E assim foram meus dias de carnaval. Com minha namorada Danielle Mendes, parti em direção ao município vizinho no sábado. Quando muita gente já estava cansada de sambar e cair por aí – por cansaço ou embriaguez, estávamos a caminho do Vale dos Deuses, área de camping administrada pela unidade de conservação e que fica localizada entre o Capacete e a Cabeça de Dragão, além de grande proximidade com outras formações rochosas.

São cerca de 70 quilômetros de Teresópolis até o local onde é preciso deixar o veículo, a não ser que você tenha um poderoso 4×4. Para quem não conhece a região, a dica é seguir pela RJ-130 e pouco depois da divisa dos municípios entrar à direita. A partir dali, há placas indicando o caminho para o PETP.

Parte da turma do Centro Excursionista Teresopolitano que aproveitou os dias de folia em Salinas

Parte da turma do Centro Excursionista Teresopolitano que aproveitou os dias de folia em Salinas

Atualmente, a estrada de terra batida depois do colégio Ibelga está bastante ruim, com muitos buracos e pedras soltas. Assim, nosso carro ficou nas proximidades da pousada da Sandra. De lá até o Vale dos Deuses, uma caminhada de cerca de 1h. Subida íngreme, cansativa com o calor característico da estação, mas já com uma vista excelente para os imponentes Três Picos e Capacete, além do horizonte caracterizado pelo Caledônia mais distante, no sentido oposto.

Chegando ao isolado camping, tivemos a alegria de encontrar amigos que fariam nossos dias “sem carnaval” ficarem ainda mais divertidos: Os casais Vitor Souza e Valéria Marques e Rodrigo Freitas e Dani Pinheiro. Os últimos, moradores de Nova Friburgo, mais uma vez levaram a filhota Sofia Pinheiro e o sobrinho Thiaguinho, pequenos que aprenderam como é passar os dias de folia em meio ao que temos de melhor, a Mata Atlântica e seus cantos e encantos. Nos dias seguintes, vários outros “mochileiros” que fazem parte do nosso círculo de amizade passaram ou acamparam por lá, como Andréa de Paula, Fabrício Vieira, Diego Eufrásio, Léo Magalhães, Mazinho, Cláudio Tardin… Turma boa da montanha!

 

Depois de um dia cheio de atividades ou apenas de contemplação, hora do jantar e curtir a fogueira

Depois de um dia cheio de atividades ou apenas de contemplação, hora do jantar e curtir a fogueira

Camping, noite estrelada, fogueira…

Baseado no Vale dos Deuses, fica mais fácil sair para “aventuras” diversas, como as caminhadas para a Cabeça de Dragão, Pedra da Mariana ou base da Caixinha de Fósforos, escaladas diversas no Capacete e Picos Maior, Menor e Médio… Ou simplesmente ficar acampado por ali descansando, sentindo o clima ameno e admirando espécies animais e vegetais que não são vistas mais nas cidades. E assim ficamos boa parte do tempo. Sem pressa, sem horário a cumprir. E a cada final de dia, com os grupos buscando opções de lazer diferentes, a reunião na mesa do jantar ou na fogueira (lembrando que nesse caso há área delimitada para tal pelo próprio PETP) com muitas risadas e conversas boas. E, sempre, com uma noite estrelada. Um céu pontilhado de luz, lindo, impossível de ser contemplado com nossos olhos ofuscados pelas luzes artificiais do dia a dia.

 

Noite estrelada e a silhueta dos Três Picos. Impossível ver tantas estrelas quando ofuscados pelas luzes das cidades

Noite estrelada e a silhueta dos Três Picos. Impossível ver tantas estrelas quando ofuscados pelas luzes das cidades

Escaladas fortes, amizades fortalecidas

Mesmo no período de verão, com o clima quente e possibilidade de chuvas no fim de tarde, é difícil ficar alheio às grandes paredes de Salinas. As montanhas da região oferecem dezenas de opções de escalada, sendo o Pico Maior e Capacete acessados apenas através das paredes. E, como tempo livre, muitos se aventuraram nas longas vias. Silvio Mendes, Leste do Maior, Cerj, Fata Morgana, Sólidas Ilusões… Muitas rotas foram frequentadas nos dias carnavalescos. E, como era até de se esperar, no domingo um forte temporal deixou bastante molhados grupos que estavam no Capacete. Uma dupla não conseguiu rapelar a tempo e passou por momentos de tensão no cume, com muita água e raios… Horas depois, os escaladores chegaram ao camping, com sintomas de hipotermia e buscando o fogão à lenha para se esquentar. Um susto, fazendo quem estava no acampamento ficar horas olhando para as paredes do Capacete em busca dos amigos. Felizmente, tudo deu certo no final.

 

Pular carnaval? Só se for assim, no cume de uma montanha e curtindo as maravilhas da natureza

Pular carnaval? Só se for assim, no cume de uma montanha e curtindo as maravilhas da natureza

Dia lindo, vontade de ficar

No meu último dia em Salinas, fiz a caminhada do Vale dos Deuses até o cume da Cabeça de Dragão, montanha de 2.018 metros de altitude e que fica na divisa de Nova Friburgo e Teresópolis. Já estive nesse cume algumas vezes, mas, pela primeira, como mais uma recompensa pela escolha carnavalesca, foi possível avistar até a Serra dos Órgãos. Dedo de Deus, Escalavrado, Agulha do Diabo… O dia estava bonito demais, para alegria também da minha Dani, que fez sua estreia no Dragão.

Foram excelentes dias em Salinas. Assim, quando chega a hora de ir embora, tudo fica mais cinza. O tempo fecha um pouco, coincidentemente. Uma espécie de quarta-feira de cinzas, mesmo que não seja quarta e não se tenha ouvido por lá nenhum tipo de som que remetesse à folia. E no camping, nas trilhas ou nas vias de escalada não houve disputa. Não houve escola campeã. Todos que fizeram essa opção saíram vencedores.

Deixe seu comentário

Jornalista, Editor do jornal O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS, Marcello Medeiros atua na imprensa teresopolitana desde 1995. Atualmente, também assina a coluna “Mochileiro”, no próprio jornal, e apresenta programa homônimo na DIÁRIO TV.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...