Casal encontrado morto em residência no Alto

Maira e Rafael eram alunos do curso de Química da UFRJ e passavam férias em Teresópolis, pretendendo retornar ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira

Maira e Rafael eram alunos do curso de Química da UFRJ e passavam férias em Teresópolis, pretendendo retornar ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira

– Polícia trabalha com hipótese de envenenamento acidental por gás

No final da tarde desta terça-feira, a Polícia Militar foi acionada para apurar o encontro de dois corpos no banheiro de uma residência na Rua Mello Franco, bairro do Alto. Logo a seguir, esteve no local guarnição do Corpo de Bombeiros, que confirmou a morte dos jovens Maira Nudelman, de 23 anos, e Rafael de Paula Campos, de 20. Namorados, os estudantes de química da Universidade Federal do Rio de Janeiro estavam abraçados, deitados no box, e foram encontrados pela caseira da residência de veraneio da família da jovem. A Polícia Civil e perito do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) também foram acionados e trabalham com a hipótese de envenenamento acidental por vazamento de gás do sistema de alimentação do chuveiro.

Estivemos no local na tarde desta quarta-feira, conversando com a caseira Norma Célia de Almeida, de 59 anos, destes 14 dedicados ao trabalho no imóvel frequentado pelos proprietários e seus familiares nos fins de semana e feriados prolongados. Ela relatou que Maira e seu namorado estavam em Teresópolis há cerca de 10 dias e que pretendiam voltar para o Rio de Janeiro esta semana. Após perceber que o casal não havia aparecido e nem aberto o imóvel durante todo o dia, Norma ligou para os patrões, que orientaram que aguardasse mais um pouco. Ainda sem notícia, no final da tarde, obteve autorização para entrar na casa principal e se deparou com a triste cena.

Norma Almeida trabalha na residência há 14 anos como caseira e estranhou o fato de os jovens não terem dado notícias na terça-feira

Norma Almeida trabalha na residência há 14 anos como caseira e estranhou o fato de os jovens não terem dado notícias na terça-feira

“Isso foi uma tragédia, a gente nunca espera passar por uma coisa dessas. Essa é uma família bonita, uma família unida, grande, de três filhos e netos… Eles eram um casal lindo, simpático, e vinham sempre que tinha feriado. No carnaval ela veio com ele e agora para essas férias dessa época… A Maira era uma menina muito alegre, meiga, que considerava como uma filha”, relatou, bastante emocionada.

O caso, que ganhou bastante repercussão, está sendo investigado pela 110ª Delegacia de Polícia. Segundo apuração, o equipamento do sistema de aquecimento a gás do chuveiro ficava dentro do banheiro e a perícia realizada no local pode apontar se houve vazamento, assim como é aguardo o resultado do exame de necropsia para saber se a morte do casal foi causada pelo envenenamento acidental. Os corpos foram examinados no Instituto Médico Legal, que funciona no antigo prédio da delegacia, na manhã desta quarta-feira.

Segundo informações que teriam sido passadas pela Polícia Civil ao jornal Extra, não foram encontrados na residência cartas ou bilhetes que pudessem indicar um duplo suicídio ou pistas que apontem para assassinato. “A caseira já foi ouvida. Ninguém estranho esteve na casa. Os cachorros não latiram”, informou a publicação carioca, referenciando o delegado Herberth Tavares, titular da 110 DP.

“Qualquer dúvida, sentiu cheiro de gás, se possível abra janelas e portas, não ligue luz ou nada do tipo, e ligue direto para 193. O Bombeiro que atender está apto a passar informações e acionar o socorro se necessário”, destaca o Tenente Rubens, do 16º GBM

“Qualquer dúvida, sentiu cheiro de gás, se possível abra janelas e portas, não ligue luz ou nada do tipo, e ligue direto para 193. O Bombeiro que atender está apto a passar informações e acionar o socorro se necessário”, destaca o Tenente Rubens, do 16º GBM

Procedimentos com sistemas de gás

Com a possibilidade de mais um acidente com triste final causado pelo vazamento de sistema de gás utilizando para o aquecimento de água, a reportagem do jornal O DIÁRIO e DIÁRIO TV esteve no quartel do 16º GBM. Oficial de Dia de plantão nesta quarta, o Tenente Rubens Portes relacionou alguns procedimentos que devem ser tomados por quem possui o equipamento em casa.

“Nesse caso a gente tem dois problemas a serem observados: Alimentação e descarga do sistema. A alimentação por GLP é a mais comum, apesar de existirem opções de elétrico e solar. E a descarga nesse caso libera monóxido e dióxido de carbono. Então é preciso colocar a descarga para local de grande circulação de ar, onde não há confinamento desses gases, tendo visto que dióxido mata por asfixia e monóxido é intoxicante. A respeito da alimentação, por GLP, é um sistema com risco de explosão. Então quem tem em casa tem que ter a preocupação de verificar sempre se está estanque, se não tem vazamento, se consegue identificar algum tipo de vazamento na botija ou na central”, atenta o Tenente, observando ainda que, nessa época mais fria, as pessoas têm o costume de fechar todos os cômodos, o que facilita o acúmulo de gás. “Esse costume de se fechar tudo e ligar sistema de aquecimento traz a concentração do gás em um possível vazamento. Então é fundamental estar sempre observando o sistema de aquecimento, vendo se tem sinais corrosão, sinal de amassado, avarias, nele ou perto do cilindro, coisas assim. É difícil detectar o cheiro rapidamente, a não ser que a pessoa tenha um sistema de detecção em casa, o que é difícil”, completa.

O Oficial do Corpo de Bombeiros atenta que, em qualquer sinal de vazamento, a pessoa deve entrar em contato com o quartel o mais rápido possível. “Qualquer dúvida, sentiu cheiro de gás, se possível abra janelas e portas, não ligue luz ou nada do tipo, e ligue direto para 193. O Bombeiro que atender está apto a passar informações e acionar o socorro se necessário”, destaca o Tenente.

UFRJ divulga nota de pesar

Nesta quarta-feira, o Centro Acadêmico do Instituto de Química (CAIQ) da UFRJ postou uma nota de pesar pelas mortes dos estudantes em sua página no Facebook. “É com tristeza que comunicamos o falecimento dos alunos do Instituto de Química, e membros do CAIQ , Maira Nudelman e Rafael Campos. Ambos muito queridos pelos alunos, professores e funcionários do Instituto de Química. Enviamos os mais sentidos pêsames para a família dos dois. Não há palavras que possam confortar o vazio deixado pela ausência deles, então pedimos desculpas por essas simples palavras. É difícil de imaginar como será o nosso dia sem eles, pois ambos estavam sempre presentes. Farão falta como amigos, como alunos e como membros do CAIQ. Hoje, o Instituto de Química é mais cinza e mais triste, e ele nunca mais será o mesmo”.

Deixe seu comentário

Jornalista, Editor do jornal O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS, Marcello Medeiros atua na imprensa teresopolitana desde 1995. Atualmente, também assina a coluna “Mochileiro”, no próprio jornal, e apresenta programa homônimo na DIÁRIO TV.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...