Dra. Cláudia e Leonardo Vasconcelos representam experiência entre os novos

 

– Renovação na Câmara coloca no ombro dos experientes políticos a responsabilidade de definir provável comando da Casa

Um retorno e uma estreia a partir de 2017 no nosso Legislativo municipal prometem se concretizar como sendo dois importantes líderes entre os novos vereadores que compõem o parlamento. A médica Cláudia Lauand, que volta ao cargo depois de duas legislaturas de ausência, e o professor Leonardo Vasconcellos, que depois de atuar como gestor da Casa por três mandatos inaugura sua atuação como edil, trazem nos ombros a responsabilidade de possuírem os perfis e experiências necessários para guiarem os primeiros passos da nova Câmara. Em entrevistas concedidas ao programa Diário da Manhã, do Canal 4 Diário TV, ambos assumiram que a nova composição do legislativo é uma prova das mudanças esperadas pela população.

zentrevista_claudia-1Isolados pela baixa votação e pela grande rejeição da atual composição, Maurício Lopes, que fez uma campanha ao porte de deputado estadual, mas conseguiu votação proporcional a de um suplente, mais os companheiros de plenário Dede e DaPonte, não devem influenciar em nada na escolha e composição da nova direção da Mesa Diretora no próximo período, cabendo aos mais experientes Cláudia e Leonardo, arquitetarem tal organização. Outro fator que deve pesar muito são os seis nomes de apoio ao prefeito Mario Tricano eleitos, o político conta agora, além da médica, com o líder comunitário Leleco, o Tenente Jaime, Pedro Gil, Pastor Luciano e o mais votado do pleito Dudu do Resgate.

Em suas participações nas entrevistas, Cláudia e Leonardo Vasconcellos, se mostraram muito conscientes da pressão popular que ambos devem sofrer com a chegada ao Legislativo, mas enalteceram a possibilidade de promover as mudanças pedidas pela população durante a campanha. Ambos consideram que a vitória nas urnas no domingo, tem como principal fator de êxito, o resgate do pedido de votos no corpo-a-corpo, de casa em casa, olho no olho com o eleitor. Diferente de candidatos que tiveram votações concentradas em bairros, ou regiões, Leonardo e Cláudia, vangloriam-se de terem registrados eleitores em quase todas as sessões do município, o que também lhes conferiria a responsabilidade de serem representantes de todos.

“Não tenho dúvidas de que essa renovação toda representa o descontentamento do teresopolitano, mas também significa que o Legislativo que andava desacreditado tem agora uma segunda chance de se recuperar frente a opinião do nosso cidadão. Isso é também um indicativo de que teremos muito trabalho pela frente, mas não tenho medo não, pelo contrário, estou voltando para essa Casa com ainda mais garra e ânimo para promover as mudanças que a cidade precisa. Foi uma campanha bonita e onde o trabalho intenso disputou com a força econômica e venceu, somos muito orgulhosos do resultado desse domingo. É a minha maior votação e coroada pela minha mais intensa campanha. Trabalhamos muito até aqui, mas vamos nos empenhar ainda mais daqui para a frente”, explicou a médica Cláudia Lauand, que enalteceu a presença da família em sua caminhada.

zentrevista_leo-1Já o professor Leonardo Vasconcellos, que comandou, além do legislativo municipal, a secretaria de Educação na época de Arlei Rosa, preferiu enaltecer sua experiência com a gestão executiva para lembrar de mudanças importantes que precisam ser implantadas na cidade. “Tenho algumas bandeiras importantes na minha caminhada na secretaria, como o imenso esforço desprendido para aumentar a inclusão de alunos especiais, procurando dar a eles igualdade de oportunidades em tudo. E posso citar como exemplos dessa batalha a Divisão de Educação Especial, que apresentava em nossa época um crescente avanço, além de estar muito bem estruturada, e no comando da brilhante professora Márcia Cristina da Silva Soares. A organização dos JOPETE, ou os jogos das Pessoas Especiais de Teresópolis, que era uma realização da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, e contava com a participação de estudantes assistidos pela nossa Divisão de Educação Especial, dos alunos da APAE, da Assind de atletas inscritos pela Liga Teresopolitana de Desportos. O trabalho de atendimento domiciliar também merece nosso registro e era, na verdade, muito simples, consistia na visita periódica de um profissional especializado, que desenvolve no próprio ambiente do lar as atividades de Educação Especial, e oferecendo ainda orientações sobre cuidados especiais e alimentação. Na nossa época também, todas as Vans que transportam os alunos especiais contavam com auxiliares para ajudar em caso de necessidade, como no caso dos alunos com grande restrição de autonomia. A cidade de Teresópolis estava inserida na Política Nacional de Educação Especial através do Programa de Acessibilidade do Governo federal. Na rede teresopolitana de Educação, tínhamos a época, quase 700 alunos excepcionais”, enaltece Leonardo.

 

 

Deixe seu comentário

Anderson Duarte é formado em Comunicação Social com mestrado na área de Tecnologia e Informação e especialização em Telecinejornalismo, atua na imprensa desde a década de 90, ainda no Rádio. Passou por veículos como Jornais, Mídias Governamentais e Televisão, também atuou na área da Assessoria Política, editoria que hoje se dedica enquanto articulista. Âncora do telejornal Jornal Diário, comanda desde a sua formação em 2008, o jornalismo da emissora Diário TV, fruto do tradicional O DIÁRIO de Teresópolis, onde também coordena juntamente com Marcello Medeiros o departamento jornalístico.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...