Fim da cobrança do estacionamento rotativo?

Flagrante desta sexta-feira: Grupo do POT recebe orientação de Guarda Municipal para auxiliar no trânsito da Várzea

Flagrante desta sexta-feira: Grupo do POT recebe orientação de Guarda Municipal para auxiliar no trânsito da Várzea

– Funcionários do POT são remanejados para auxiliar no trânsito e Pare Legal fica sem cobradores

 

Quem precisou estacionar nas principais ruas e avenidas da região central do município nos últimos dias não encontrou os funcionários do “Pare Legal”, pessoal contratado pela prefeitura através do Programa Operação Trabalho para realizar a cobrança pela parada em vias públicas. Para pagar a taxa estipulada para deixar o automóvel ao longo das áreas públicas e evitar notificações e consequentemente possíveis multas, tem sido preciso procurar as bancas de jornal para adquirir o tradicional talão. E, pelo que apurou a reportagem de O DIÁRIO e DIÁRIO TV nesta sexta-feira, extraoficialmente, a situação pode continuar dessa maneira por um bom período: O sistema deve ficar temporariamente sem funcionários.

Na manhã de ontem, encontramos um grupo do POT em treinamento com agentes da Guarda Municipal. O pessoal é o mesmo que atuava anteriormente na cobrança do rotativo e teria sido deslocado para auxiliar no trânsito nos principais cruzamentos da região central após a suspensão do “Pare Legal”, que não estaria funcionando como esperado e, mesmo com cada vez mais veículos circulando em Teresópolis, “até dando prejuízo”. A informação do fim de sistema de arrecadação com estacionamento, como citado acima, ainda não foi oficializada pela prefeitura. Estivemos na Secretaria Municipal de Segurança para buscar mais detalhes sobre a situação. Porém, a informação é que o posicionamento oficial só seria liberado na próxima semana. Em relação à Assessoria de Comunicação da Prefeitura, o setor tem prestado um desserviço à população: Apesar de todos os questionamentos enviados pelo DIÁRIO serem de grande interesse do contribuinte, que paga os altos salários de prefeito e todo seu secretariado, nenhum tipo de resposta tem sido enviada para a redação.

Segundo fontes ligadas ao setor, um novo sistema de cobrança pelo estacionamento em via pública estaria sendo organizado somente para o próximo ano. Ainda não se sabe se acontecerá a volta do antigo sistema “Promaj”, muito questionado pela utilização de menores de idade, ou se o serviço seria terceirizado. Na época do governo Jorge Mario, por exemplo, foi trabalhada a ideia da contratação de uma empresa para cuidar do rotativo. Equipes com uniformes semelhantes aos da GM seriam empregadas e haveria mais rigor para evitar que os locais onde deveria existir rotatividade para garantir acesso ao comércio fossem utilizados durante todo o dia.

Na ocasião também foi programada a ampliação das áreas de cobrança, que seriam estendidas para ruas paralelas às avenidas principais, hoje muito procuradas por aqueles que não querem desembolsar nenhuma moeda para deixar seus veículos parados durante todo o dia. Diariamente nos acessos dos bairros da Vila Muqui, Morro dos Pinheiros, Parque São Luiz e Jardim Europa, só para citar alguns casos, os pedestres e motoristas têm tido muita dificuldade para trafegar por conta da grande quantidade de veículos estacionados em calçadas ou locais proibidos. Na primeira comunidade, por exemplo, é comum o trânsito do ônibus ou veículos de grande porte ser prejudicado por conta da falta de respeito daqueles que insistem em parar dentro de esquinas.

Segundo fontes ligadas ao setor, um novo sistema de cobrança pelo estacionamento em via pública estaria sendo organizado somente para o próximo ano

Segundo fontes ligadas ao setor, um novo sistema de cobrança pelo estacionamento em via pública estaria sendo organizado somente para o próximo ano

Somente para “adiantar”

Ainda de acordo com informações extraoficiais, os funcionários do POT deslocados do “Pare Legal” para as ruas só seriam utilizados nos grandes cruzamentos, como Parque Regadas x Lúcio Meira, Lúcio Meira x Heitor de Moura Estevão e Calçada da Fama e Lúcio Meira x Tenente Luiz Meirelles, por exemplo. Eles ficaram apenas embaixo dos sinais orientando os motoristas quando deveriam acelerar um pouco mais ou parar para evitar o fechamento da passagem.

Ainda em relação ao setor, outra mudança em andamento seria em relação ao “Vaga Certa”, sistema de cobrança que acontece nas ruas do bairro do Alto somente nos fins de semana e nas proximidades da Feirinha. O programa também seria extinto. Até a implantação de novo esquema de trabalho, as multas pela falta de pagamento das taxas estariam suspensas.

Deixe seu comentário

Jornalista, Editor do jornal O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS, Marcello Medeiros atua na imprensa teresopolitana desde 1995. Atualmente, também assina a coluna “Mochileiro”, no próprio jornal, e apresenta programa homônimo na DIÁRIO TV.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...