“Já recuperei a cidade uma vez e vou fazer novamente”

dsc06472

– Mario Tricano e Sandro Dias fecham série de entrevistas com posicionamento pautado na capacidade de promover as mudanças necessárias

Foram duas semanas dedicadas ao compromisso de levar ao teresopolitano as propostas de governo e as histórias de vida de todos os candidatos ao cargo de prefeito da cidade em outubro. Nesse período, o programa Diário da Manhã, do Canal 4 Diário TV RCA, disponibilizou uma hora por dia, de segunda a quinta-feira, para que as candidaturas expusessem suas proposições e debatessem assuntos de interesse da nossa população. Todos dissertaram sobre Saúde e Educação, responderam pelo menos um questionamento vindo da nossa audiência e tematizaram uma área de atuação de livre escolha da chapa. Para finalizar o projeto, recebemos o atual prefeito Mario Tricano e o seu vice, Sandro Dias, que tematizaram a participação na entrevista na capacidade da dupla de promover a trajetória de recuperação que o município necessita. Na pergunta do internauta dois temas: Habitação e TerePrev, situações segundo a dupla, completamente vergonhosas para as administrações que os antecederam.

Em suas considerações iniciais, Mario Tricano falou de sua relação histórica com a cidade de Teresópolis, da sua trajetória da vida pública, iniciada em 1989, quando assumiu seu primeiro, dos quatro mandatos de prefeito e também da relação harmoniosa de sua família com a comunidade. Já Sandro Dias enalteceu a origem do interior do município e a tradição de sua família, assim como a sua participação na gestão municipal. Assim como contextualizado para os demais candidatos ouvidos no programa, o quadro político de desinteresse e expectativa de grande abstenção foi exposto para os pleiteantes, que consideram o momento muito delicado, mas de muitas expectativas pela resposta positiva encontrada durante a caminhada em busca do voto.

“Eu fico muito feliz de saber que as pessoas, mesmo neste momento tão delicado da nossa nação, e também na nossa cidade, estão dispostas a nos apoiar. Além desse apoio ainda considero muito motivador o sentimento de esperança renovada que as pessoas nos passam pelas ruas. Nas nossas caminhadas recebemos sempre uma palavra amiga e uma demonstração de apoio dos eleitores e só tenho a agradecer ao prefeito Mario Tricano por me proporcionar isso, porque eu sei que está muito difícil para o político pedir voto hoje, mas eu estou acompanhado do prefeito Tricano e isso nos deixa muito a vontade para pedir a confiança das pessoas, porque ele já recebeu essa confiança da população e transformou em realizações, por isso, essa dificuldade nós não encontramos tanto”, enfatizou Sandro Dias.

Já o prefeito fez questão de lembrar da sua primeira chance de governar a cidade e como ele encontrou desafios na gestão. “Eu gostaria de lembrar do ano de 1989 quando cheguei na prefeitura e encontrei o município com a pior saúde do estado do Rio de Janeiro e depois de muito trabalho levamos a área para a terceira em todo o Rio, perdendo apenas para os município de Niterói e a Capital. Por isso tenho dito para a população que eu já recebi essa missão lá atrás e consegui recuperar nosso município, mais que isso, elevamos a qualidade de nossos serviços e deixamos a administração com a cabeça erguida e o coração leve pelo dever cumprido. Hoje os desafios são ainda maiores, mas em compensação me sinto mais preparado e muito mais capaz de superar essa crise, além de poder contar com toda a competência do Sandro, que não é simplesmente um vice-prefeito, mas um gestor, especializado em resolver problemas e encontrar soluções, algo que nesses meses ele tem feito magistralmente”, enalteceu o prefeito.

dsc06491

– “Já peguei a cidade como a pior do estado na área da saúde e recuperamos”

Como de costume nossos temas foram divididos no segundo bloco tendo como referência os dois assuntos centrais escolhidos pela nossa audiência em enquetes prévias feitas através de nossa FanPage no Facebook. Saúde e Educação dominam, portanto, as discussões nesta etapa da entrevista, sendo o primeiro assunto escolhido pela dupla a complexa área da Saúde. Segundo Tricano, a experiência acumulada, sobretudo em seu primeiro mandato, o credencia a buscar as soluções necessárias para contornar uma situação tão caótica como a vivida hoje. “Como disse na abertura da entrevista, já peguei essa cidade com a pior saúde do nosso estado e devolvi a população em pouco tempo a terceira melhor do Rio. Mas hoje eu quero mais! Quero fazer da saúde de Teresópolis a melhor do nosso estado e sei que isso é possível. Não tem mistério gente, na verdade, o único elemento necessário nessa equação da melhoria da área da saúde é a vontade de realizar. Mas também é importante dizer que não adianta querer apenas, é preciso conhecer bem a gestão pública e ter coragem para impor mudanças. Hoje, por exemplo, só dispomos de seis unidades de PSF nos bairros, isso porque eu já reabri duas esse ano, porque das dezesseis unidades que deixei no final do meu governo, fecharam quase todas. Isso é estratégico, cuidar da saúde primária para desafogar a rede”, disse Tricano.

O candidato também expos seu planejamento para desafogar a UPA, que ele considera um filho ilegítimo herdado pela irresponsabilidade dos gestores anteriores, para Tricano é fundamental reabrir a emergência no HCT e também levar a saúde preventiva aos bairros. “Quero citar aqui três exemplos de como já estamos mudando essa realidade de abandono da nossa saúde. No bairro de São Pedro, na unidade do Tiro de Guerra, estamos disponibilizando para a população o atendimento 24 horas, e com profissionais na unidade. Da mesma forma, no CEMUSA, esse atendimento também será estendido. Assim, como ações relativamente simples, desafogamos o movimento da UPA, que hoje gira em torno de 500 atendimentos dia, ou 15 mil mês, algo absurdo para uma unidade que serve para isso”, explica o candidato.

Questionado sobre a maior oferta de leitos SUS na rede de alta complexidade e também a possibilidade de instalação de uma UTI neonatal na cidade, Tricano acrescentou: “Sobre a oferta de leitos é preciso dizer que a parceria rompida pelos atritos políticos dos últimos anos só pode ser restabelecida por quem não brigou com a FESO, por quem tinha a importante instituição como parceira, e nós estamos fazendo isso. Já quanto a UTI Neonatal, infelizmente, e me dói muito constatar isso, precisamos reconhecer que temos limitações. Existe o direito das pessoas, mas que está condicionado ao poder do estado, e hoje é muito caro manter uma unidade como essa. Apenas municípios maiores como capitais tem essa condição hoje”, explica. Sandro Dias também acrescentou que os atendimentos móveis, feitos por ônibus com consultórios médicos, diretamente nos bairros, também vão contribuir nos próximos meses com a melhora da oferta e do desafogo na UPA.

dsc06512

– “Tivemos, e vamos voltar a ter a melhor Educação do Estado”

O segundo assunto escolhido pela nossa audiência, a Educação, foi debatida no terceiro e último bloco da entrevista, onde os candidatos também responderam ao questionamento vindo das redes sociais, ao vivo. Segundo Mario Tricano, candidato a reeleição pelo PP, a área da Educação talvez tenha sido a mais profícua área de suas gestões anteriores e todos os bons resultados alcançados nos seus governos teriam como principal motivadora a professora Magda Copello, falecida este ano, e sua secretária da pasta. “Eu gostaria de lembrar aqui neste espaço a fraterna companheira Magda Copello, que levou nossa educação da pior do estado quando assumimos o governo, até a melhor educação do Rio e uma das principais referências no país. Sobre a nossa gestão na área é preciso dizer apenas que vamos seguir os legados administrativos deixados pela professora Magda, que nos ensinou a guiar a área com sabedoria e compromisso com os profissionais e alunos. Foi justamente o resultado na Educação que nos garantiu nossa primeira reeleição, foi muito significativo”, finalizou o tema Tricano.

Quanto ao questionamento da população, enviado pelas redes sociais durante a realização da entrevista, dois temas foram elencados: “O candidato a prefeito pretende fazer alguma coisa para amenizar o sofrimento das pessoas que ainda esperam uma casa? E quanto a imensa dívida do município com a TerePrev, ela pode ser paga?”, diz a pergunta feita aos candidatos. O próprio Tricano escolheu começar a responder e enfatizou a sua capacidade de organizar a máquina pública. “Quando digo que temos a capacidade necessária para promover as ações de recuperação que a cidade precisa, ratifico o meu compromisso em buscar soluções. E o caso da Fazenda Ermitage é um exemplo dessa articulação. Já recebi a garantia do governador de que teremos a inauguração e a devida posse das casas, para as mais de seis mil pessoas estimadas a ocuparem aquele condomínio, nos próximos dias e não abro mão dessa celeridade. Quanto ao problema da TerePrev, é preciso dizer que essa é mais uma das heranças malditas deixadas, mas com o agravante de ser absolutamente imperativo contornar esse problema, que hoje engessa nossa cidade quanto a recursos que poderiam chegar a cidade. Mas o meu vice-prefeito tem uma explicação melhor sobre o regime pode nos ajudar a combater esse mal”, disse Tricano.

Como a dimensão do problema no fundo dos servidores é catastrófico, Sandro Dias apontou a chamada Segregação de Massas como uma boa possibilidade de resolução do problema. Sandro lembrou que para instituir essa medida foi necessária a contratação de uma empresa para formalizar tal medida, empresa essa que alega não conseguir finalizar o estudo pela indiferença da Câmara de Vereadores em ceder e fornecer dados fundamentais para o fechamento da matéria. Sandro explica a medida: “A Segregação da massa de segurados é uma separação desses segurados em dois grupos distintos, a partir da definição de uma data de corte, sendo um grupo intitulado de Plano Financeiro e o outro de Plano Previdenciário. Esta data de corte não poderá ser superior a data de implementação da segregação. Os servidores admitidos anteriormente à data de corte integrarão o Plano Financeiro e os admitidos após, integrarão o Plano Previdenciário.  Os beneficiários de aposentadorias e pensões concedidas entre a data de corte e a data de implementação da segregação da massa, se admitidos após a data de corte, poderão ser alocados ao Plano Previdenciário ou destinados em sua totalidade ao Plano Financeiro. A segregação da massa será considerada implementada a partir do seu estabelecimento em lei, acompanhado pela separação orçamentária, financeira e contábil dos recursos e obrigações correspondentes a cada grupo”, explica.

Deixe seu comentário

Anderson Duarte é formado em Comunicação Social com mestrado na área de Tecnologia e Informação e especialização em Telecinejornalismo, atua na imprensa desde a década de 90, ainda no Rádio. Passou por veículos como Jornais, Mídias Governamentais e Televisão, também atuou na área da Assessoria Política, editoria que hoje se dedica enquanto articulista. Âncora do telejornal Jornal Diário, comanda desde a sua formação em 2008, o jornalismo da emissora Diário TV, fruto do tradicional O DIÁRIO de Teresópolis, onde também coordena juntamente com Marcello Medeiros o departamento jornalístico.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...