Jovens da Granja Guarani conquistam medalhas para Teresópolis

Os jovens da Granja Guarani tem representado o município em competições importantes de jiu-jitsu

Os jovens da Granja Guarani tem representado o município em competições importantes de jiu-jitsu

– Garotada do Projeto Lutando Pelo Bem sobe a serra com resultado expressivo no jiu-jitsu em competição no Rio de Janeiro

A Granja Guarani é mais uma das dezenas comunidades carentes do nosso município. Jovens que se desviam dos caminhos através do crime é uma realidade como no Bairro de São Pedro, Quinta Lebrão ou na Ilha do Caxangá, mas uma equipe tenta combater essa tendência maléfica em nosso município. O Lutando Pelo Bem é um projeto social da A2 Jiu-Jitsu que visa ensinar a arte marcial para esses meninos e meninas que passaram a ver um horizonte melhor, nos mestres exportados para a Europa ou para o Oriente Médio como exemplo a ser seguido, mas pra isso, tem que ter muito tatame. Muitas competições. E neste final de semana, mais uma vez a garotada da Granja fez bonito na capital e trouxe dezenas de medalhas e ainda conquistou o troféu de segundo lugar na categoria “Equipe de Crianças” da Copa Tauron, organizada pela SJJSAF no sábado 27de agosto no Grajaú Country Club com a presença de grandes campeões do Estado do Rio de Janeiro.

A luta é grande. Afinal, “as forças do mal” estão presentes e as facilidades oferecidas na vida do crime são bastante atrativas, mas o esporte também encanta e o instrutor Dudu Lippi da A2 Jiu-Jitsu, a frente do Projeto Lutando Pelo Bem, comemora dobrado as vitórias conseguidas no tradicional clube da Zona Norte do Rio de Janeiro. “Mais uma vez nós fomos para o Rio com um bom grupo, desta vez foram vinte e quatro atletas e subimos com doze medalhas de ouro, nove de prata e uma de bronze e a garotada representou bonito lá embaixo o projeto e a cidade”, orgulha-se o professor que avaliou a importância destas conquistas para os seus pupilos da Granja Guarani. “Estas medalhas bonitas representam tudo para esses garotos que saíram de uma comunidade carente, desacreditada, de um simples projeto, para chegar lá embaixo, lutar ‘como gente grande’ e trazer todas essas medalhas para a cidade. É maravilhoso e representa tudo na vida deles que se dedicam o ano inteiro em busca destes resultados e é muito gratificante também para mim, pois mostra que eu estou no caminho certo”, completa Dudu, mostrado as belas medalhas dos seus alunos.

A Copa Tauron contou pontos para o Ranking da SJJSAF e para o Ranking de Equipes da SJJIF. Com o “capricho” da organização, o evento deste final de semana foi considerado pelos professores e pela crítica como a melhor produção já feita em um campeonato da SJJSAF, com direito a animação, promoções no CT Store Expo anexo ao ginásio, sorteio de brindes para os atletas que tiverem o número de registro gratuito da SJJSAF e até um mascote da Tauron interagindo com o público. Os atletas ficaram encantados, afinal, o ginásio do GCC ficou lotado para o evento da federação que mais vem crescendo no Estado do Rio. A estreante Luiza Garcia estava muito nervosa, mas conseguiu o ouro para Teresópolis. “A minha luta foi muito difícil, principalmente porque eu nunca tinha participado em campeonato no Rio, estava estreando, mas graças a Deus eu venci. Estou muito contente com a minha vitória. Adorei o campeonato pela organização, clima de competição… Foi tudo muito bom”, afirma Luiza com a sua medalha no peito.

 

Superação sempre

A história no esporte é escrita sempre com a caneta da superação e aquele que sabem se  levantar depois de um revés tem chances maiores de triunfar, principalmente no jiu-jitsu. É o caso do atleta Luiz Carlos Alves, destaque desta edição, que superou uma derrota na Copa Selva (que aconteceu no mês passado aqui em Teresópolis, no Clube Bom Retiro), para pegar o ouro no Grajaú. “Graças a Deus eu consegui trazer o primeiro lugar. Eu vim de uma derrota na Copa Selva, mas isto não me desanimou. Eu treinei bastante e pude trazer o primeiro lugar”, afirma o lutador. Outro atleta que mandou bem no Rio foi o Johnatan dos Santos, que trouxe o terceiro lugar. Ao contrário de muitos outros esportes, na Arte Suave, a medalha de bronze é comemorada e veio direto para Teresópolis. “Meu desempenho foi muito bom, fiz duas grandes lutas e consegui trazer o terceiro lugar. Só tenho a agradecer ao meu professor Eduardo e agradecer a Deus por tudo que ele tem feito pela gente”, completa o lutador, ao mostrar a sua bela medalha de bronze.

Deixe seu comentário

Cláudio Tatu tem mais de vinte anos de jornalismo na mídia impressa com o próprio Diário de Teresópolis e o extinto Caderno Zero e na radiofônica com as emissoras AM e FM de Teresópolis. Está desde 2009 no grupo Diário e é repórter, fotógrafo e apresentador.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...