Segundo semestre começa com menos empregos

Somados os números do primeiro semestre, foram abertas mais 192 oportunidades com carteira assinada no setor de serviços

Somados os números do primeiro semestre, foram abertas mais 192 oportunidades com carteira assinada no setor de serviços

– Apenas um setor não apresentou mais demissões do que contratações em Teresópolis

Assim como terminou o primeiro semestre de 2016, o segundo período do ano começa com redução do número de vagas de emprego formais em Teresópolis. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho, mostram que o município fechou 60 oportunidades de carteira assinada em julho. Nesse mês, foram 1027 admissões contra 1087 demissões (48,58% x 51,42%) no município, situação bastante semelhante com os vizinhos Petrópolis e Nofa Friburgo. E, apesar da palavra “crise” estar em voga, os números também são muito parecidos com os de julho de 2015. De acordo com o Caged, apenas um setor não apresentou redução do número de vagas no início do segundo semestre.

Os dados, divulgados esta semana, mostram que a indústria continua em recessão. Assim como todos os outros meses deste ano, em julho foram mais pessoas demitidas do que contratadas (87 admissões x 124 dispensas, menos 37 vagas). O setor da construção civil também continua em queda. No sétimo mês de 2016, menos 13 vagas com carteira assinada (67 x 80). Na agropecuária, a notícia também foi ruim: 32 oportunidades fechadas (45 x 77). O comércio, que em março e abril manteve os dados positivos, voltou a apresentar queda. Agora, foram fechadas 25 vagas (357 admissões x 382 demissões). O único setor que mais contratou do que dispensou foi o de serviços, com saldo de 46 vagas (470 admissões x 424 demissões). Somados os números do primeiro semestre, foram abertas mais 192 oportunidades com carteira assinada no setor de serviços.

No país, pelo 16º mês consecutivo, o número de demissões superou o total de contratações com carteira assinada, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. Em julho, o saldo entre demissões e contratações foi de menos 94.724 empregos formais. Ao todo foram registradas 1.168.011 admissões e 1.262.735 desligamentos.

No acumulado do ano, segundo o Caged, 623.520 postos de trabalho formal foram fechados, com variação negativa de 1,57% em relação ao mesmo período de 2015. Nos últimos 12 meses (agosto de 2015 a julho 2016), o total de demissões superou o de contratações em 1.706.459, representando uma variação de negativa de 4,18%.

Os setores que registraram as maiores perdas de emprego foram o de serviços (-40.1470 postos), da construção civil (- 27.718 postos), do comércio (-16.286 postos) e da indústria de transformação (-13.298 ). Por outro lado, os setores agrícola (+4.253 postos) e administração pública (+237) tiveram mais contratações do que demissões em julho.

Dados do Caged, do Ministério do Trabalho, mostram que o município fechou 60 oportunidades de carteira assinada em julho

Dados do Caged, do Ministério do Trabalho, mostram que o município fechou 60 oportunidades de carteira assinada em julho

Números por estados

Segundo o Caged, o desempenho positivo da agricultura está relacionado a fatores sazonais, como cultivo de lavoura temporária em São Paulo; o cultivo de soja, em Mato Grosso; e o cultivo de uva em Pernambuco. Todas as regiões registraram queda no nível de emprego formal em julho, sendo que a Região Sudeste foi a que teve a maior perda de postos de trabalho, com 661.757 demissões ante 616.119 contratações, com saldo de  45.638 postos a menos. A Região Sul teve saldo negativo de 23.603 postos, Nordeste -19.558 postos, Centro-Oeste -2.219 postos e Norte -3.706 postos de trabalho formal. O estado de Minas Gerais teve a maior perda de empregos (- 15.345 postos), seguido de São Paulo (-13.795 postos) e Rio Grande do Sul (-12.166). Influenciado pela agricultura, Mato Grosso teve saldo positivo de 2.016 postos de trabalho.

 

Sine tem 18 vagas de emprego

O  Sine Teresópolis fechou  a semana oferecendo 18 vagas de empregos, sendo elas para os cargos de balconista (01), empregada doméstica com experiência e referência (01), embalador à mão (06) e carregador de caminhão (10). O órgão alerta que a vaga pode ser preenchida a qualquer momento, dependendo da procura, mesmo antes da chegada do candidato ao Sine, visto que alguns empregadores podem fazer a seleção na própria empresa e não avisar o banco de emprego. Coordenado pela Secretaria de Estado de Trabalho e Renda (Setrab) em parceria com as Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social e de Trabalho, Emprego e Economia Solidária, o posto funciona de segunda sexta, das 8h30 às 16h, no Centro Administrativo Municipal, localizado na Avenida Lúcio Meira, 375, Várzea. Telefone: (21) 2641-0357.

 

Deixe seu comentário

Jornalista, Editor do jornal O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS, Marcello Medeiros atua na imprensa teresopolitana desde 1995. Atualmente, também assina a coluna “Mochileiro”, no próprio jornal, e apresenta programa homônimo na DIÁRIO TV.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...