Série de entrevistas traz os projetos dos candidatos a Prefeito para a cidade

– Novidades deste ano são, a presença dos vices e a realização de um debate ao vivo com os prefeitáveis nesta segunda-feira

Ao longo desta semana os teresopolitanos tiveram a chance de conhecer as outras quatro candidaturas apresentadas este ano para o cargo máximo do Executivo de nosso município, todas as oito chapas passaram pelos estúdios do Diário da Manhã em entrevistas ao vivo e repercutidas aqui, pelas páginas de O DIÁRIO. André Couto; Claudinho do Posto; Claudio Mello e Luiz Ribeiro abriram a série de entrevistas que também oportunizou a participação dos respectivos pleiteantes ao cargo de vice-prefeito em outubro. Já nesta semana, Paulo Ramos; Roberto Petto; Nilton Salomão e o prefeito Mario Tricano, fecharam programação que tem a sua culminância no debate desta segunda-feira, 26, transmitido ao vivo pela emissora e com a presença garantida das oito candidaturas. O evento tem a parceria da ACIAT, do Sincomércio, da OAB e o Observatório Social de Teresópolis e o Hotel Intercity, anfitrião do debate.

De apresentações pessoais, passando por discussões acerca dos projetos para as áreas de Educação e Saúde, os políticos tiveram a oportunidade de mostrar aos eleitores quais seriam suas proposições para o desenvolvimento da cidade. As entrevistas foram organizadas em virtude da ordem de apresentação alfabética ilustrada no sistema de divulgação de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral – TSE e foram realizadas na sede do Grupo Diário, à Rua Carmela Dutra, 765, Agriões, durante o programa Diário da Manhã, veiculado ao vivo no período de 10 ao meio-dia. Além da veiculação ao vivo, também foram feitas outras duas reprises, bem como a veiculação aqui em nossa edição impressa, no dia seguinte a participação do candidato, com uma página composta por cobertura jornalística da entrevista e material fotográfico da mesma.

Para garantir que todas as reportagens em O DIÁRIO fossem veiculadas em dia de semana, nenhuma delas foi realizada na sexta-feira, cabendo a edição de fim de semana apenas uma compilação das quatro entrevistas realizadas anteriormente. Dois temas foram escolhidos por nossa audiência como prioritários: a Saúde e a Educação, e por isso, foram escolhidos para ilustrarem uma pergunta para cada uma das candidaturas que pela série passou.

A primeira e mais importante regra determinada pela organização das entrevistas era a que determinava que cada um dos participantes faria suas interpelações com o intuito, único e exclusivo de expor suas plataformas e projetos políticos para a cidade de Teresópolis, enquanto possíveis candidatos eleitos. Todos os partidos foram comunicados através de uma carta-convite enviada pelo Jornal aos seus partidos, bem como em edital de convocação publicado em O DIÁRIO, convidando todas as legendas com representação na majoritária a divulgarem suas candidaturas. E todas as legendas confirmaram presença no debate desta segunda-feira, realizado nas dependências do Hotel Intercity.

“Temos a experiência necessária para promover mudanças”

“Temos a experiência necessária para promover mudanças”

– Paulo Ramos: “Temos a experiência necessária para promover mudanças”

A primeira entrevista da semana na série com os candidatos a prefeito este ano recebeu nos estúdios da Diário TV, durante o programa Diário da Manhã desta segunda-feira, 19, a dupla do PSOL, Paulo Ramos e Rodrigo Cosenza. Os políticos que disputam uma vaga na chefia do Poder Executivo a partir de 2017 focaram sua participação na discussão acerca do combate aquilo que eles definem como a “velha prática político-partidária teresopolitana”. Os dois temas escolhidos por nossa audiência para ilustrarem todas as participações da série, também estiveram presentes nas falas dos pleiteantes, Saúde e Educação, ilustraram o segundo bloco da conversa. Para finalizar, uma pergunta polêmica vinda da audiência: a relação entre o candidato a prefeito, oficial da PM, e os paradigmas defendidos pelo PSOL nacionalmente, como o aborto, a liberação da maconha, entre outros.

Ancorados na experiência e no trato profissional do candidato a vice, que é professor de História com atuação no município, os políticos focaram o discurso na valorização dos profissionais, mas chamaram a atenção para certa maquiagem nos índices de Teresópolis da área de Educação nos últimos anos, segundo eles, potencializados por determinadas unidades escolares que desempenharam trabalhos muito acima das médias, elevando assim, todo o índice comparativo do município. Já o candidato a prefeito, preferiu focar na valorização do estudo em tempo integral sua fala sobre a educação do município.

Na pergunta da audiência, que abriu o terceiro bloco, uma polêmica foi levantada com relação aos posicionamentos da legenda dos candidatos em temas de grande repercussão nacional. Em suas considerações finais da entrevista Rodrigo Consenza fez questão de enaltecer o processo de criação das propostas de governo do partido. Já Paulo Ramos lembrou da sua experiência no meio político e se disse preparado para buscar os meios de manutenção e implantação das mudanças que o município de Teresópolis tanto vai precisar para sair do que ele chama de “Catástrofe” na gestão.

“A mudança é condição inquestionável para a recuperação”

“A mudança é condição inquestionável para a recuperação”

– Petto: “A mudança é condição inquestionável para a recuperação”

O segundo encontro da semana reuniu o ex-prefeito Roberto Petto e a sua vice Marli Couto. A dupla do Solidariedade focou a participação no programa Diário da Manhã na necessidade urgente de medidas que cessem o processo de degradação da máquina administrativa teresopolitana para que as mudanças possam ser instituídas e a recuperação se dê efetivamente no município. O médico também aproveitou o espaço para falar da condição catastrófica da Saúde no município e Marli enalteceu o trabalho de recuperação dos valores familiares que devem ser incluídos no ambiente escolar e que fazem parte das premissas de governo apresentadas nas propostas da candidatura. Na pergunta da audiência o tema foi o déficit habitacional e a liberação do condomínio da Ermitage.

Com relação a Educação e a Saúde, a dupla considera que os escorregões das últimas gestões da Casa Rosada foram trágicos para as pretensões de crescimento na qualidade de oferta e no quantitativo de vagas em ambos os setores. Para o médico, além dos instrumentos perdidos no decorrer do tempo por esta ingerência pública na área, todo o sistema de atendimento parece ter sido propositalmente desmantelado. Assim como o candidato a prefeito dominou as considerações sobre a área da Saúde, tendo como base argumentativa sua experiência no segmento, na Educação, o segundo dos temas escolhidos por nossa audiência caiu como luva para a vice na chapa. Com atuação direta na área, por formação e por sua relação com a Igreja Cristã, Marli usou justamente um dos maiores valores pregados pela fé cristã para justificar a atuação administrativa na área. Já na resposta a pergunta de nossa audiência, no terceiro e último bloco, Roberto Petto aproveitou para falar de erros desumanos cometidos contra a população de Teresópolis nos últimos anos.

“O processo de decadência da cidade já dura 28 anos”

“O processo de decadência da cidade já dura 28 anos”

– Salomão: “O processo de decadência da cidade já dura 28 anos”

A penúltima entrevista da série recebeu nesta quarta-feira, 21, o ex-deputado Nilton Salomão e o professor Hélio Delgado, representantes da coligação “Teresópolis no Rumo Certo”. A participação no programa Diário da Manhã foi baseada no discurso de trajetória de decadência vivido pelo município ao longo dos últimos 28 anos e como as propostas dos candidatos pode reverter esse processo de deterioração econômica e social. Além das respostas sobre os temas escolhidos pela nossa audiência: Saúde e Educação, os políticos responderam a duas questões enviadas pelas redes sociais, sobre a dívida da TerePrev e a atividade parlamentar do pleiteante ao cargo de prefeito.

Questionamos aos candidatos sobre as dificuldades de se gerir uma saúde considerada por muitos técnicos como catastrófica e repleta de vazamentos ilícitos de recursos por todos os lados, para ambos, o problema pode ser ainda mais grave do que se imagina, e uma extensa auditoria traçaria um quadro ainda mais difícil de ser revertido. Salomão disse não ser possível um município do porte de Teresópolis e com uma estrutura universitária com a excelência de ensino na área que o UNIFESO possui estar enfrentando sucessivas crises como a que vivemos desde então.

Nosso segundo tema escolhido pela audiência foi a Educação, que segundo os candidatos do REDE tem papel fundamental naquela que eles chamam de “mudança necessária para a cidade”. Assim como Salomão, o professor Hélio Delgado considera a mudança para o regime de ensino integral pode significar um salto de qualidade muito importante para o futuro da educação na cidade.

“Já recuperei a cidade uma vez e vou fazer novamente”

“Já recuperei a cidade uma vez e vou fazer novamente”

– Tricano: “Já recuperei a cidade uma vez e vou fazer novamente”

Para finalizar o projeto, recebemos o atual prefeito Mario Tricano e o seu vice, Sandro Dias, que tematizaram a participação na entrevista na capacidade da dupla de promover a trajetória de recuperação que o município necessita. Na pergunta do internauta dois temas: Habitação e TerePrev, situações segundo a dupla, completamente vergonhosas para as administrações que os antecederam. Em suas considerações iniciais, Mario Tricano falou de sua relação histórica com a cidade de Teresópolis, da sua trajetória da vida pública, iniciada em 1989, quando assumiu seu primeiro, dos quatro mandatos de prefeito e também da relação harmoniosa de sua família com a comunidade. Já Sandro Dias enalteceu a origem do interior do município e a tradição de sua família, assim como a sua participação na gestão municipal.

Segundo Tricano, a experiência acumulada, sobretudo em seu primeiro mandato, o credencia a buscar as soluções necessárias para contornar uma situação tão caótica como a vivida hoje. O candidato também expos seu planejamento para desafogar a UPA, que ele considera um filho ilegítimo herdado pela irresponsabilidade dos gestores anteriores, para Tricano é fundamental reabrir a emergência no HCT e também levar a saúde preventiva aos bairros. Segundo Mario Tricano, candidato a reeleição pelo PP, a área da Educação talvez tenha sido a mais profícua área de suas gestões anteriores e todos os bons resultados alcançados nos seus governos teriam como principal motivadora a professora Magda Copello, falecida este ano, e sua secretária da pasta.

Quanto ao questionamento da população, enviado pelas redes sociais durante a realização da entrevista, dois temas foram elencados: “O candidato a prefeito pretende fazer alguma coisa para amenizar o sofrimento das pessoas que ainda esperam uma casa? E quanto a imensa dívida do município com a TerePrev, ela pode ser paga?”, diz a pergunta feita aos candidatos. O próprio Tricano escolheu começar a responder e enfatizou a sua capacidade de organizar a máquina pública.

 

Deixe seu comentário

Anderson Duarte é formado em Comunicação Social com mestrado na área de Tecnologia e Informação e especialização em Telecinejornalismo, atua na imprensa desde a década de 90, ainda no Rádio. Passou por veículos como Jornais, Mídias Governamentais e Televisão, também atuou na área da Assessoria Política, editoria que hoje se dedica enquanto articulista. Âncora do telejornal Jornal Diário, comanda desde a sua formação em 2008, o jornalismo da emissora Diário TV, fruto do tradicional O DIÁRIO de Teresópolis, onde também coordena juntamente com Marcello Medeiros o departamento jornalístico.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...