Tag Arquivo | "aniversário"

Buraco faz “aniversário” no bairro do Bom Retiro

Quem desce a via precisa trafegar na contramão por conta do grande buraco

Quem desce a via precisa trafegar na contramão por conta do grande buraco

– Problema teve início na Rua Coronel Senra há oito meses

O rompimento de uma manilha na Rua Coronel Senra, no bairro do Bom Retiro, vem causando inúmeros problemas para os moradores da região. Primeiro que um grande buraco se formou no trecho, o que acarreta perigo para os condutores que precisam descer a via na contramão. Em segundo lugar, em determinados horários do dia o local emana mal cheiro. O grande buraco está localizado bem na curva e já toma 50% da via. Os paralelos estão cedendo cada vez mais e o perigo maior é que a população fique ilhada sem poder subir ou descer. A situação se arrasta por oito meses e os moradores não recebem nenhum tipo de previsão para o conserto do buraco.

“Começou pequeno como todo buraco, mas o vizinho que já foi na Prefeitura várias vezes e não teve solução. Eu me preocupo com as pessoas que tem carro e que precisam ficar subindo e descendo e vivem reclamando desse problema. Acho que é um direito nosso. Afinal, nós pagamos nossos impostos para poder termos nossos direitos assegurados. Quando tem um carro descendo e subindo, os carros acabam descendo na contramão e por ser uma subida o pessoal sobe mandado e qualquer hora vai acontecer um acidente. Tem os caminhões aqui da obra que são muito pesados e isso tudo me preocupa, a gente que tem carro fica muito preocupado”, disse a moradora Solange Pinheiro.

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (0)

Igreja Batista Central comemora 63 anos

– Data será comemorada com programação especial aberta à comunidade

O pastor Josué Cardoso fez um convite para a celebração dos 63 anos de organização da IBCT neste sábado, dia 15

O pastor Josué Cardoso fez um convite para a celebração dos 63 anos de organização da IBCT

A Igreja Batista Central de Teresópolis comemora no próximo sábado, 15, o aniversário de 63 anos de organização e para marcar a data foi estipulada uma programação especial. O pastor Josué Cardoso está convidando não só os membros da igreja como também todos aqueles que possuem uma ligação com a instituição para celebrarem juntos esse momento. “Nós estamos completando neste dia 15, no sábado, que é feriado, 63 anos de organização, todos esses anos participando na construção de Teresópolis. Nós queremos dizer a todos que no sábado às 20 horas, nós vamos ter uma grande celebração com um grupo que vem lá do Rio de Janeiro, o Quarteto Oásis, música de altíssima qualidade, temos um pregador que é um jovem de palavra fácil, um homem abençoado por Deus que é o pastor Elias Leal que vem do sul fluminense para nos trazer as reflexões. No dia 16, que é domingo, às dez e meia da manhã e às 19h30 a e extensão de toda essa programação de aniversário de nossa igreja”, destacou o pastor.
A Igreja Batista Central de Teresópolis sempre se mostrou atuante em trabalhos sociais e um grande número de pessoas já foram apoiadas para conseguir melhoria na qualidade de vida, o que o pastor Josué destaca como marca da existência da IBCT. Ao longo dos anos houve a preocupação em ajudar com formação e educação, em um trabalho pela que sempre foi bem sucedido na avaliação do pastor que relata ter vários exemplos de pessoas que estão conseguiram inserção no mercado de trabalho, após passar por cursos na igreja. A instituição já realizou diversos cursos e trabalhos assistenciais. Após a tragédia de janeiro de 2011, por exemplo, a igreja teve um importante papel na ajuda a pessoas que ficaram desabrigadas e além de coordenar um setor de doações e entregas de donativos, também ofereceu moradia a 75 pessoas com refeições diárias e segurança, junto com apoio psicológico e jurídico. A igreja constituiu também um fundo que permitiu a compra de móveis, roupas e pagamento de aluguel.

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (0)

Sesc comemora 68 anos de fundação

– Unidade Teresópolis oferece atividades de cultura, saúde, educação, esporte, lazer e turismo

O Sesc Teresópolis funciona na Avenida Delfim Moreira, 749, Várzea

O Sesc Teresópolis funciona na Avenida Delfim Moreira, 749, Várzea

Criado em 13 de setembro de 1946, o Serviço Social do Comércio (Sesc) vem contribuindo para melhorar a qualidade de vida não apenas do empregado do comércio, mas da população de uma maneira geral. O Sesc está de portas abertas a toda a sociedade, promovendo o acesso a experiências e ações nas áreas de Cultura, Saúde, Turismo, Educação, Esporte e Lazer em projetos que funcionam como instrumento de transformação social ao proporcionar o desenvolvimento pessoal e o bem-estar. Neste 2014, será comemorado o 68º aniversário da instituição – o ano nem acabou e já há muitos motivos para festejar, como pode ser constatado com os dados abaixo.
Um dos exemplos é o Circuito Sesc de Teatro e o Circuito Sesc de Música que, apenas em 2014, estão oferecendo mais de 250 apresentações de peças e de grandes nomes da MPB, com ingressos a preços populares, custando entre R$ 2 e R$10. O Sesc possui a maior rede de teatro do Estado do Rio, com 21 espaços.
O Festival Sesc de Inverno, realizado de 26/7 a 10/8 em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, teve mais de 200 apresentações culturais nas áreas de teatro, música, cinema, artes visuais, literatura, entre outras, que recebeu 124 mil pessoas ao longo do evento, que teve 80% da programação com entrada franca e as demais com ingressos entre R$ 3 e R$ 12. O festival reuniu nomes como Capital Inicial, Ira, Gabriel, O Pensador, Pitty, Paulinho da Viola, Mart’nália, entre outros.
Na área de Saúde, o OdontoSesc (consultórios móveis de odontologia) se fez presente em locais estratégicos, levando uma equipe de dentistas para prestar atendimento gratuito para determinados pontos do Estado. Este ano, o OdontoSesc já percorreu municípios como Nova Friburgo e Conceição de Macabu.

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (0)

Studio Itália completa quinze anos concretizando sonhos

– Empresa investe em atendimento de qualidade e produtos inovadores para virar referência em pisos e revestimentos na região

“Teresópolis sempre foi abençoada por nossa natureza sem igual e assim, emoldurada de tantas belezas, nossa empresa espera embelezar também a casa dos teresopolitanos, lembrando sempre de nosso slogan, que diz que “a nossa casa é o melhor lugar do mundo”, disse Sobrinho

“Teresópolis sempre foi abençoada por nossa natureza, nossa empresa espera embelezar também a casa dos teresopolitanos”, disse Sobrinho

Com a responsabilidade de transformar sonhos em realizações e projetos em obras prontas, a empresa Studio Itália, acaba de completar essa semana seus primeiros quinze anos de existência e com a sensação de dever cumprido. Fundada no ano de 1999, ainda modesta, a fornecedora de acabamentos, pisos e revestimentos virou referência em toda a região por investir em atendimento técnico de qualidade e produtos inovadores e responsáveis ambientalmente. Com uma extensa variedade de produtos, capaz de atender a obras de todos os portes, a Studio também aposta nos lançamentos do mercado e na parceria com as melhores fornecedoras do país.
Nossa reportagem conversou com o proprietário, José Sobrinho, que nos recebeu nesta quarta-feira, 13, durante um café da manhã especial oferecido aos amigos e clientes da empresa. Sobrinho recebeu a todos com sua equipe e falou de sua satisfação em poder ajudar a realizar os sonhos dos seus clientes. “Hoje nós conseguimos, através de nossos produtos, realizar os sonhos de muitos de nossos clientes. Eles vem até aqui, encontram essa multivariada gama de opções e modelos e conseguem projetar uma cozinha mais bonita, um banheiro do jeito que você sempre sonhou e as vezes até mesmo a casa inteira que você sempre quis. Acho que essa variedade e essa relação com o sonho realizado fazem da Studio Itália uma empresa vencedora”, explica o empresário.
Como disse Sobrinho, o segredo do sucesso da empresa, pode estar neste atendimento personalizado que oferece aos compradores, além da grande variedade de produtos, a parceria com os melhores fornecedores do mercado. Para ele, é importante frisar também que a empresa continua investindo na criatividade, com novas roupagens para os produtos clássicos como porcelanatos, monoporosas e tozzetos. “O sucesso de qualquer empreendimento está sempre na equipe. É preciso trabalhar em equipe. Só com esse pensamento é possível crescer. Aqui todos nós somamos o conhecimento de cada um dos funcionários, que pode interagir com os clientes, com os arquitetos, com os consumidores finais, sempre com esse compromisso, de oferecer um atendimento diferenciado”, enaltece Sobrinho que também fala do empenho de sua equipe. “Sem investir no treinamento e na formação dos colaboradores fica impossível proporcionar ao cliente esse nosso objetivo máximo que é concretizar o sonho das pessoas. Nosso colaborador tem que possuir informações suficientes para dar garantias aos nossos clientes, afinal, na maioria absoluta dos casos esse cliente não é do ramo e precisa dessa orientação profissional. Nós sempre orientamos aos nossos clientes que procurem um arquiteto que é o profissional capacitado para esse atendimento, mas também temos os técnicos que podem tirar dúvidas mais recorrentes e contribuir para o sucesso da empreitada de nosso cliente”, disse.

“Hoje, pelo desenvolvimento que percebemos nestes quinze anos, podemos dizer sem medo que a trajetória de crescimento da Studio Itália só tende a se elevar com o passar do tempo”, disse o funcionário José Carlos Santos

“Hoje, podemos dizer que o crescimento da Studio Itália só tende a se elevar com o passar do tempo”, disse o funcionário José Carlos Santos

Construindo sonhos
Na outra ponta dessa relação de sucesso está o colaborador da empresa, que segundo Sobrinho tem papel fundamental nessa concretização dos sonhos dos clientes e, as vezes, precisa até frear o animo para não incentivar a decepção no decorrer da obra. Quem explica essa relação técnica e de realização de sonhos dos funcionários é Jose Carlos Santos, que já dedica seis anos de sua atuação a Studio Itália. “Aqui na loja nos priorizamos o atendimento de excelência por que entendemos que assim podemos agregar um diferencial no momento da venda. Nós produzimos e ajudamos a concretizar o sonho de nossos clientes, sendo assim, tentamos passar ao máximo o nosso conhecimento técnico para poder viabilizar o sonho desse cliente. Entendemos também que nossa melhor forma de propaganda é aquela feita de boca em boca, ou seja, a indicação de nosso cliente a outra pessoa. Por isso temos aqui muitos clientes que vem do Rio de Janeiro e continuam comprando com a gente. Muitas vezes o cliente vem até aqui com uma ideia formada, com um ideal traçado, mas com as informações que possuímos e a partir de nossa experiência temos o dever de mostrar para ele que existem prós e contras e que dependendo da intensidade de seu sonho, a realização pode acabar virando um pesadelo. Cabe ao nosso teor técnico impedir que o cliente se decepcione e volte feliz, claro”, explica José Carlos.
E por falar em questões técnicas e também em exigências de mercado, quem esteve presente ao café festivo desta quarta-feira foi o conceituado Arquiteto Beto Carregal, um dos mais concorridos e experientes profissionais da cidade, que não poupou elogios a empresa. “Em conheço desde o início a empresa e vi nesse período que ela passou de uma oferta mais simples, com produtos um pouco menos diversificados, apesar de muito consistentes, para essa grande quantidade de produtos e segmentos que ela hoje representa. Isso é muito legal, ver uma empresa ascender assim tão positivamente. Aqui hoje se acha de tudo, temos a disposição materiais mais baratos, para os clientes que não esperam gastar muito, temos outros materiais mais sofisticados, para aqueles que já esperam investir um pouco mais e também os materiais bem mais sofisticados, para quem não está preocupado com os gastos. Quando uma loja começa a se desenvolver dessa forma é sinal de que a nossa população também está se desenvolvendo, ou seja, tem mais gente para comprar a empresa cresce. Nesse cenário, e quanto mais o mercado cresce, esse público fica ainda mais exigente, forçando da empresa esse acompanhamento do nível de cobrança e sofisticação. É importante a empresa investir nesse crescimento da população e acompanhar essa necessidade de novos e mais sofisticados produtos, a receita é vencedora”, enaltece Carregal.

 

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (0)

ATL comemora 53 anos com grande festa

O homenageado Sami Mattar ao lado do vice-presidente da ATL Jorge Bragança e o presidente Delmo Ferreira

O homenageado Sami Mattar ao lado do vice-presidente da ATL Jorge Bragança e o presidente Delmo Ferreira

– Evento na Casa de Cultura também teve homenagem a Sami Mattar

A Casa de Cultura Adolpho Bloch ficou lotada na noite do último sábado, 12 de abril, para a festa de comemoração dos 53 anos da Academia Teresopolitana de Letras (ATL). O evento, que teve apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Cultura, reuniu acadêmicos e convidados, em uma noite especial, com direito a coquetel, lançamento de livros, poesias e esquete de teatro, além de uma justa homenagem ao artista plástico Sami Mattar, vencedor do Prêmio Tiradentes 2014.
Anfitrião da noite, o presidente da ATL, Delmo Ferreira, falou sobre a comemoração. “Estamos vivendo um momento de muita alegria. É um prazer ver esta casa cheia, com tantos amigos prestigiando nosso aniversário, nossos 53 anos de história. E esta alegria se torna ainda maior por estarmos resgatando uma dívida antiga com o artista plástico Sami Mattar, consagrado em todo o mundo. Não poderíamos estar mais satisfeitos”, destacou.
A noite de comemoração contou com intervenções de diversos acadêmicos. Clara Waismann declamou poesia criada em função dos 53 anos da ATL; Vidocq Casas recitou poesia sobre a ditadura; e Paulo Paranhos apresentou curiosidades sobre a vida de Tiradentes, patrono da academia.

Na área de circulação 32 telas de Sami Mattar foram expostas durante o evento

Na área de circulação 32 telas de Sami Mattar foram expostas durante o evento

Troféu Tiradentes
O momento mais emocionante da festa foi a entrega do Troféu Tiradentes, prêmio criado pela academia e entregue anualmente a uma personalidade de destaque. Este ano, o vencedor da premiação foi o renomado artista plástico Sami Mattar, que ficou emocionado. “Fico muito sensibilizado e honrado em receber este troféu. Agradeço com o coração, pois me faltam palavras para expressar verdadeiramente o que sinto”, disse o pintor, que, para a noite de homenagem, teve 32 de suas telas expostas na área de circulação da Casa de Cultura Adolpho Bloch.
Presente ao evento, o Subsecretário de Cultura, Arnaldo Almeida, parabenizou a entidade pela ocasião. “É sempre uma honra para nós da Secretaria de Cultura sediar os eventos de entidades parceiras como a ATL e a Soarte. E hoje, em especial, ficamos ainda mais felizes com esta justíssima homenagem a Sami Mattar”, comentou.
Também presente ao evento, o acadêmico Wanderley Peres foi outro que parabenizou a instituição e aproveitou para se despedir do cargo de secretário de Cultura. “Como acadêmico, e, portanto, representante da ATL na Secretaria de Cultura, espero ter cumprido meu papel e que minha passagem tenha sido proveitosa e benéfica para todos os nossos parceiros”, disse.
A noite de gala teve direito ainda a bolo de aniversário e parabéns. Além disso, outros momentos marcaram o evento, como a poesia recitada pela atriz Edinar Corradini. Na área de circulação da casa, as atenções ficaram por conta do lançamento dos livros de Mariana Guarilha e do professor George Campista Cabral e a exposição de livros de outros membros da ATL. Finalmente, encerrando o evento, o esquete de teatro encenado pela acadêmica e cineasta Natashe Medina e os atores Rita Ávila e Rafael Soares.

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (0)

Falta um mês para a “chuva de promessas políticas”

Onde já deveria existir condomínio com 1.600 casas, na Ermitage, nem a fase estrutural ficou pronta ainda

Onde já deveria existir condomínio com 1.600 casas, na Ermitage, nem a fase estrutural ficou pronta ainda

12 DE JANEIRO

– Tragédia está prestes a completar três anos e, até hoje, muitas comunidades ainda aguardam ações do poder público

Daqui a exatamente um mês, a maior catástrofe natural do país completa três anos. Porém, alguns dias antes do dia 12 de janeiro de 2014 provavelmente começará a “chover” novamente em Teresópolis. Mas não se trata de água e sim das promessas políticas que já se tornaram comuns na data que ficará para sempre marcada na história do município. Imóveis populares, recuperação de vias públicas, reconstrução de pontes, obras de contenção de encostas… A previsão, não a do tempo, é que, mais uma vez, políticos e candidatos a cargos públicos voltem a visitar as comunidades que fingiram desconhecer a existência e as necessidades nos últimos 11 meses. Até hoje, poucas obras de grande porte foram realizadas nas comunidades afetadas drasticamente por deslizamentos de terra ou transbordamento de rios e, 35 meses depois, nenhum imóvel foi entregue pelo governo estadual. As obras no único terreno adquirido para esse fim até momento, na Fazenda Ermitage, estão bastante atrasadas. Nem a fase estrutural, que segundo a previsão deveria ser concluída em dezembro, dá sinais de que ficará pronta para receber o condomínio com cerca de 700 apartamentos da primeira fase do projeto. Só para se ter uma ideia do descaso com o município, no início do ano foi colocada um placa indicando a realização de uma grande obra de contenção de encosta na Vila Muqui. O serviço deveria ter sido concluído no início de novembro, mas não saiu da capina da área entre as ruas Fernando Martins e Marcos Sales Canano.

DIÁRIO TV mais uma vez no Espanhol. Equipe da TV e jornal mantém rotina de visita aos bairros afetados na Tragédia

DIÁRIO TV mais uma vez no Espanhol. Equipe da TV e jornal mantém rotina de visita aos bairros afetados na Tragédia

Nenhuma obra

Outro bairro onde nenhuma obra foi realizada é o Espanhol, local que acabou ganhando grande destaque na grande mídia porque ali aconteceram mais de dez grandes deslizamentos de terra que começavam no alto do local conhecido como “Vale da Lua” e se escorriam entre dezenas de residências. E aconteceu ali o resgate mais impressionante da Tragédia, o de Marcelo da Fonseca, o Marcelinho, que ficou 16 horas soterrado na Rua Políbio Raposo de Resende.
Hoje, no lugar do imóvel há um grande descampado, contrastando com muitos arbustos que tomam conta de locais onde viviam dezenas de famílias. Esse ponto foi um dos que a empresa contratada pelo governo estadual trabalhou na demolição de residências. Seguindo a via morro acima, encontramos muitas casas com numerações vermelhas, feitas pela Defesa Civil, que indicam que devem ser levadas ao chão. Quem teve a oportunidade, retirou portas e janelas para não ter um prejuízo tão grande. Muitos, acreditando na possibilidade de voltar para o Espanhol, mantiveram as casas do jeito que deixaram. Porém, ainda em área de risco de deslizamentos e correndo o risco diário de depredação. Muitas já tiveram janelas, portas e portões danificados por vândalos. Em uma delas, encontramos dezenas de fotografias espalhadas pelo chão. Retratos que mostram momentos únicos, felizes, que parecem ter ficado para sempre no passado do Espanhol. Confira a matéria completa em nossa edição impressa.

Postado em Banner principal, CidadeComentário (0)

80 anos da Igreja de Santo Antônio em Teresópolis

O bispo Dom Gregório Paixão presidiu a celebração que comemorou os 80 anos da Igreja de Santo Antônio

O bispo Dom Gregório Paixão presidiu a celebração que comemorou os 80 anos da Igreja de Santo Antônio

Comemorações pelo aniversário atravessaram toda a semana com missões e celebrações

Dentro das comemorações pelos 80 anos da Igreja Matriz de Santo Antônio, o bispo Diocesano, Dom Gregório Paixão presidiu Missa comemorativa pelo aniversário. O pastor também ministrou o Sacramento do Crisma para 92 pessoas, entre jovens e adultos. Acompanharam a celebração paroquianos e também teresopolitanos dos diversos bairros, bem como líderes de associações civis. Devido ao grande número de pessoas, um telão foi instalado na igreja menor para que ninguém deixasse de participar da celebração, que contou ainda com a participação dos Arautos do Evangelho, que durante a semana fizeram missões pela paróquia e conduziram a Liturgia nas cerimônias do meio da semana. Ao final da celebração houve distribuição de bolo e refrigerantes para os presentes, no salão anexo.
Antes da missa, houve um encontro reservado entre Dom Gregório e os crismandos e seus padrinhos na igreja menor, para a renovação das promessas batismais. A procissão para a Igreja maior contava contou com a presença dos padres Adeir, Francisco, Reginaldo, Montezano; do pároco Pe. Jorge; do Monsenhor José Maria e de Frei Edcarlos. Os Arautos do Evangelho também participaram da procissão de entrada, carregando a imagem de Nossa Senhora de Fátima.

Fieis lotaram a igreja de Santo Antônio para celebrar os 80 anos da Matriz e acompanhar o Crisma de mais de 80 jovens

Fieis lotaram a igreja de Santo Antônio para celebrar os 80 anos da Matriz e acompanhar o Crisma de mais de 80 jovens

Importância dos sinais

Em sua homilia, Dom Gregório introduziu o tema da importância dos sinais demonstrando como estes são fortes e tradicionais nas diversas culturas de nosso planeta, não somente nas antigas, como nas atuais, e da herança que a Igreja trouxe para tratar este momento como o da maturidade espiritual do crente, que passa a ser um Soldado de Cristo e que seguindo o seu conselho não deve ser medroso, mas agir com fé neste mundo, e desejar os dons do espírito com amor a Deus e ao Reino, não obstante o fato de que o mundo também ofereça dons aos homens, e estes – até certo ponto aceitáveis e naturais – não completam o homem.
Em um momento muito emocionante da celebração, Dom Gregório recebeu uma maquete da igreja menor, a que na data completava 80 anos. Foi durante a procissão do ofertório. Erguendo a singela maquete à assembleia, todos puderam aplaudir e se alegrar com esta que é uma das mais tradicionais construções de nossa cidade.
Ao final da missa, o Bispo ainda chamou á frente os catequistas, responsáveis pela formação dos agora crismados e falou da importância dessas pessoas na comunidade, e que estes são os “braços do padre”, por atingirem localidades e lares onde muitas vezes os sacerdotes não conseguem chegar. Também fez um apelo para os novos crismados, de que sejam abertos ao chamado de Deus, e que possam, em breve, atuar também na catequese.
Antes da bênção final, houve a leitura de diversos agradecimentos, feitos pelos paroquianos, e que inseriram não só o valor do templo para a cidade, mas da Igreja enquanto Corpo de Cristo e que tem atuado na comunidade, fazendo parte da história de muitas pessoas que ali receberam os Sacramentos.

 

Postado em CidadeComentário (0)

Parque Nacional Serra dos Órgãos comemora 74 anos

"A unidade de conservação foi criada com objetivo de preservar o patrimônio natural da serra fluminense”, disse Leandro Goulart

“A unidade de conservação foi criada com objetivo de preservar o patrimônio natural da serra fluminense”, disse Leandro Goulart

– Unidade de Conservação programou diversas atividades com a comunidade para celebrar mais um aniversário

 

Criada com o objetivo de ser um espaço voltado a preservação e conscientização sobre a importância do meio ambiente, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos comemora no próximo dia 30 de novembro 74 anos de fundação. A unidade de conservação federal é hoje uma das mais importantes e referência em turismo e proteção à biodiversidade.
O Parque Nacional da Serra dos Órgãos é considerado um dos melhores locais do país para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros, além de ter fantásticas cachoeiras. O PARNASO tem a maior rede de trilhas do Brasil. São mais de 130 quilômetros em todos os níveis de dificuldade.
Leandro Goulart, Chefe do PARNASO, fala sobre a programação realizada neste evento: “O parque vai fazer 74 anos no dia 30 de novembro e nós fechamos, em parceria com o Sesc, uma série de atividades que serão desenvolvidas na sede Teresópolis. Vamos ter desde de caminhadas ecológicas, oficinas com garrafas pet e caixas Tetra Pak, apresentação de música e de teatro, passando pelo slackline e outras tantas atividades com entrada franca na unidade de conservação para todo o povo e para que todos possam participar dessas atividades”.

"A unidade de conservação foi criada com objetivo de preservar o patrimônio natural da serra fluminense”, disse Leandro Goulart

“A unidade de conservação foi criada com objetivo de preservar o patrimônio natural da serra fluminense”, disse Leandro Goulart

Para proteger a paisagem e biodiversidade

A unidade foi criada em 1939 para proteger a paisagem e a biodiversidade deste trecho da Serra do Mar com 20.024 hectares entre os municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim. O Parque abriga mais de 2.800 espécies de plantas catalogadas pela ciência, 462 espécies de aves, 105 de mamíferos, 103 de anfíbios e 83 de répteis, incluindo 130 animais ameaçados de extinção e muitas espécies endêmicas (que só ocorrem neste local). “A unidade de conservação foi criada com objetivo de preservar o patrimônio natural da serra fluminense, no caso a Serra dos Órgãos. Desde então vem desenvolvendo diversos trabalhos na sociedade na comunidade com trabalhos para poder propiciar a visitação pública de qualidade dentro da unidade de conservação. Além de preservar um ecossistema, preservando mais de 400 espécies de fauna, diversas espécies de flora, tem a importância de ser um espaço público para o lazer e desenvolvimento de diversas comunidades como o montanhismo, caminhas, corridas, o trekking, piscina, cachoeira e diversas tantas coisas”, disse Leandro.

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos também contribui para evitar a ocupação irregular em áreas da unidade

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos também contribui para evitar a ocupação irregular em áreas da unidade

Caminhos da Serra do Mar

Um dos projetos “caçulas” do parque, é Caminhos da Serra do Mar, que visa aproximar os visitantes da unidade de conservação. “O Projeto Caminhos da Serra do Mar é novo, lançado este ano, que tem como base a criação de uma trilha de longo percurso dentro da unidade de conservação com 68 quilômetros e com objetivo de integrar o uso público com a preservação do meio ambiente, abrindo mais espaços para que as pessoas conheçam melhor a unidade e com isso, colaborem com a administração para a preservação desses espaços”, ressalta.
Leandro explica ainda o que o visitante pode esperar desta trilha: “Esse caminho ele cruza três municípios do Parque, começa em Magé, sobre para Petrópolis, pelo caminho do Ouro, depois passa pela Cobiçado X Ventania, chegando na comunidade do Caxambú, a trilha Uricanal e depois a travessia Petrópolis-Teresópolis onde o visitante vai passar por diversos ambientes e diferentes ecossistemas da unidade de conservação”.

O parque possui espaços de caminhada com diversos níveis de dificuldades, para que o visitante possa estar em contato direto com a natureza

O parque possui espaços de caminhada com diversos níveis de dificuldades, para que o visitante possa estar em contato direto com a natureza

Trilha de longa duração

Os Caminhos da Serra do Mar é um projeto de criação de uma trilha de longa duração, em sintonia com o Projeto Travessias do ICMBio Sede, que percorrerá diversos municípios e cortará algumas das unidades de conservação do Mosaico da Mata Atlântica Central Fluminense. Durante a expedição, foram visitados diversos ecossistemas associados ao bioma Mata Atlântica como, por exemplo, mata de encosta, campos de altitude, paredões rochosos, picos, poços e cachoeiras. O principal objetivo de criação da trilha é favorecer a conservação ambiental na Serra do Mar, integrando diversas unidades de conservação do mosaico da Mata Atlântica Central Fluminense e conferindo ao uso público ordenado dos espaços protegidos como uma estratégia de conservação. Além disso, o Caminho da Serra do Mar será um espaço para a prática do montanhismo, caminhadas, contemplação, recreação e lazer. O projeto está sendo desenvolvido em núcleos, considerando as UCs envolvidas e a capacidade técnica de implementação. O segundo núcleo é o no Parque dos Três Picos, começando na futura sede da unidade em Teresópolis, no Vale da Revolta, e terminando em Nova Friburgo. A ideia é fazer o levantamento e abertura de um núcleo por ano.
Ao todo, o caminho no núcleo do PARNASO terá 68 km e poderá ser percorrido em até seis dias. Em seus trechos – o Caminho do Ouro, a Travessia Cobiçado x Ventania, a Trilha Uricanal e a Travessia Petrópolis-Teresópolis –, o caminhante poderá contar com sinalização adequada, descrição das trilhas e comprovará sua caminhada com um carimbo em seu passaporte, que deve ser lançado no próximo ano.
Ainda dentro da primeira etapa do projeto, no sábado foi realizada a manutenção da trilha do terceiro dia, a Uricanal, que tem início no bairro Caxambu e termina no Vale do Bonfim, próximo a portaria do Parque Nacional em Petrópolis. Vinte pessoas se dividiram para fazer a sinalização, retirada de charcos e melhoria do acesso.

 

Postado em CidadeComentário (0)

Hemonúcleo comemora 13 anos

– Cerca de 300 pessoas são necessárias por mês para manter os estoques em estado adequado

Nesta sexta-feira, dia 27 de setembro, foi celebrado com uma festa o 13° aniversário do Hemonúcleo de Teresópolis. A unidade que atende a todos os hospitais da cidade, e instituições de cidades vizinhas, aposta na solidariedade para manter os estoques dentro do que é necessário para suprir a demanda.
Além de atender aos hospitais locais, a unidade também supre cidades vizinhas como Magé, Guapimirim, São José do Vale do Rio Preto e Sumidouro, nos casos de emergência. Por conta disso, a unidade depende de uma média de 300 doadores por mês. Para manter um vínculo estreito com os doadores, e estimular o aparecimento dos novos, a coordenação do Hemonúcleo promoveu um café da manhã nesta sexta para brindar os 13 anos de funcionamento do centro.
“A gente tem que pensar sob o ponto de vista do primeiro aspecto da existência do Hemonúcleo, que está aqui porque nosso serviço salva vidas. Não é um trabalho muito visível, e geralmente quando se pensa em saúde pública, não se pensa muito sobre a questão do sangue, mas é importante para a gente até porque não inventaram nenhum substituto para o sangue e sem ele a gente não sobrevive”, disse a assistente social do Hemonúcleo Rita Valadão.

“Sempre doei. Acho que poder contribuir é sempre muito bom”, enfatiza a jornalista Glória Nunes

“Sempre doei. Acho que poder contribuir é sempre muito bom”, enfatiza a jornalista Glória Nunes

Colaboração da polpulação

O bom funcionamento da instituição depende diretamente da boa vontade e da sensibilização da população, e Rita aproveita para agradecer alguns teresopolitanos que vem apoiando a causa na cidade. “A gente depende totalmente desse princípio da solidariedade, mas hoje estamos aqui para festejar a existência do Hemonúcleo e a gente contou muitos parceiros para que a gente pudesse fazer essa festinha. Agradeço a essas pessoas como é o caso do Augusto da Ortobom, o Ricardo e a Marilene da Corpo de Ação, que sempre nos disponibilizam camisas para que a gente presenteie nossos doadores, além da Toca das Flores, Floricultura Teresópolis, Arbor Brasil, a Viação Dedo de Deus. Temos outras pessoas que fazem parte dessa rede que não aparecem, mas que estão sempre com a gente no dia-a-dia, que são os nossos funcionários, uma equipe engajada, que é apaixonada pelo que faz e os doadores são muito bem tratados e hoje eu estou mais aqui para agradecer a todas essas pessoas que fazem parte desse grupo”.
A médica responsável e coordenadora da unidade Fortunée Meyohas explica que o número de doadores varia entre os meses do ano, mas que uma média tem que ser mantida: “Para um estoque razoável, eu diria que a gente precisa de uns 300 doadores por mês, para abrangência atual. Não sei se nós vamos assumir novos serviços, a população acaba aumentando e isso vai acabar dependendo, mas acho que a média é essa mesma, o que nos daria um estoque confortável, até para momentos com situações especial”.
Interessados em doar podem procurar o Hemonúcleo atendendo a alguns requisitos. “Normalmente a idade para a doação fica entre 16 anos completos, com atestado do responsável até os 18 anos; e de 18 até 67, sendo que entre 60 e 67 não pode ser a primeira vez. Tem que ter mais de 50 kg, gozar de boa saúde, aqui não é um local para se fazer exames, os que são feitos aqui são somente para atestar doenças transmissíveis pelo sangue, somente. Aqui não é uma unidade assistencial. A pessoa não precisa estar em jejum, apenas evitar o consumo de alimentos muito gordurosos, deve tomar bastante líquido; não tem problema estar menstruada. E algumas especificidades com relação a medicamentos que serão determinadas na entrevista antes da doação”, disse.
Glória Nunes é jornalista e doadora assídua: “É um ato de generosidade, de solidariedade que beneficia tanta gente. Eu sempre fui doadora enquanto morei no Rio, e agora estou doando pela primeira vez aqui na cidade e espero continuar contribuindo com quem tanto precisa. Meu tipo sanguíneo é relativamente raro, por isso procuro ajudar de alguma maneira.
Ela explica que não é necessário ter medo do procedimento: “Eu não sinto nenhum tipo de dor, a moça faz o trabalho dela e eu fico muito tranquila. Não dói nada”.

A equipe do Hemonúcleo Municipal comemorou junto com os doadores o 13° aniversário da unidade

A equipe do Hemonúcleo Municipal comemorou junto com os doadores o 13° aniversário da unidade

Processo

Antes da doação, o candidato irá passar por uma entrevista de triagem clínica, na qual podem ser detectadas algumas condições adicionais que possam impedir a doação. Após cada doação serão realizados os seguintes exames no sangue coletado: Tipagem sangüínea ABO e Rh; Pesquisa de anticorpos eritrocitários irregulares (PAI); Teste de Coombs Indireto; Fenotipagem do Sistema Rh Hr (D, C, E.c,e), Fenotipagem de outros sistemas e Testes sorológicos para: Hepatite B, Hepatite C, Doença de Chagas, Sífilis, HIV (AIDS), HTLV I/II. Esse procedimento se repetirá após cada doação e os resultados serão comunicados ao doador.
Há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue.
O trabalhador sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) poderá deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário, por um dia, em cada doze meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada (art. 473 da CLT). Os funcionários públicos civis federais, sem qualquer prejuízo, podem se ausentar do serviço por um dia para doação de sangue, sem limite anual de doações (art. 97 da Lei nº 8.112/1990).
O Hemonúcleo Municipal funciona na Rua Francisco Sá, 299, junto ao Centro de Saúde da Várzea. Doações são colhidas de segunda à quinta-feira, das 8h às 12h, e às sextas-feiras, das 8h às 11h45. Mais informações podem ser obtidas também através do 3641-5872.

Postado em Banner principal, CidadeComentário (0)

Missa celebra o aniversário de Teresópolis

Fiéis lotaram a Praça Olímpica e participaram da missa que foi presidida pelo bispo Dom Gregório Paixão

– Católicos reúnem-se em missa campal celebrada pelo Bispo Dom Gregório e show com Padre Fábio de Melo

O frio intenso do fim da tarde do último sábado, 6 de julho, não afastou os fiéis católicos de Teresópolis que se reuniram na Praça Olímpica para celebrar o aniversário da cidade. Uma missa campal foi presidida pelo bispo da Diocese de Petrópolis, Dom Gregório Paixão, e concelebrada por todos os sacerdotes de Teresópolis. Depois subiu ao palco o Padre Fábio de Melo, que cantou junto com a multidão várias músicas que são bastante populares no repertório das igrejas e capelas locais.

A Missa foi iniciada pela procissão de entrada passando pelo meio dos fiéis que lotaram a Praça Olímpica

Cheia de fiéis

Antes mesmo do horário previsto para o início da celebração a Praça Olímpica Luiz de Camões, na Várzea, já estava cheia de fiéis. A missa foi iniciada as 17h30, com a tradicional procissão de entrada. Um corredor precisou ser aberto entre a multidão para permitir a passagem do cortejo. Além do bispo Dom Gregório e dos padres do decanato, também haviam jovens que empunhavam bandeiras de vários países, resgatando o trabalho da Semana Missionária, que acontece de 16 a 20 de julho em vários municípios do Estado do Rio. Teresópolis trabalha com a previsão de receber 600 fiéis de várias nacionalidades, a maioria da América Latina. Depois os visitantes seguem para o Rio de Janeiro, onde acontece a Jornada Mundial da Juventude, quando o Papa Francisco estará no Brasil.

Padre Fábio de Melo encerrou a noite com música e momentos de oração pela cidade

Cidade da beleza

A celebração em Teresópolis foi presidida pelo Bispo Dom Gregório. “É um momento especial para nós, 122 anos de uma cidade que nasceu sobre a égide de um desejo grande de conhecer a Deus e de viver sobre a sua guarda. Então só podemos desejar que Teresópolis continue sendo essa cidade da beleza, não apenas a física que nos rodeia, mas também daquela que sabe olhar o Dedo de Deus, apontando para o céu, e se ver como agente transformador essa sociedade que nós tanto desejamos, portanto o que nós queremos é que Deus abençoe essa cidade e toda sua gente que busca o bem e que consegue realizar a verdade do aqui e do agora no projeto de Deus”.

Dom Gregório, antropólogo por formação, mostrou conhecimento e aproveitou sua homilia para falar sobre as origens da cidade. Muito mais do que lembrar sobre a fazenda March e os colonizadores, o pastor católico falou sobre os primeiros indígenas que habitaram a região.

O público cantou ao lado do Padre Fábio de Melo músicas como “Tudo é do Pai”, “Seu amor é demais” entre outras

Amor pela região

“Naturalmente por ser antropólogo eu já havia estudado essa regiões brasileiras na universidade. Vindo para a Diocese de Petrópolis, quis conhecer as seis cidades que compõem. Então se você me perguntar alguma coisa sobre os coroados de Petrópolis, os Timbiras aqui de Teresópolis e sobre todos os outros povos tupis-guaranis que habitaram essa região, como também um pouquinho da língua em sou capaz de contar um pouco dessa história. Por amar a história dos povos, como também por estar amando profundamente essa região que compõe toda essa Diocese. Então é esse amor que vem do coração que me faz falar sobre a história daqueles que nos antecederam, a milhares de anos atrás, como também daqueles que nos colonizaram, os portugueses, italianos, suíços, alemães e todos os que compuseram essa bela história da nossa diocese”, declarou o bispo.

Padre Fábio de Melo: “Que Teresópolis continue caminhando rumo ao progresso”

Show do aniversário

Depois da celebração religiosa, o altar montado no palco foi desfeito para dar lugar ao show do Padre Fábio de Melo. Antes do evento, o sacerdote falou sobre a população da cidade e se solidarizou com as vítimas da tragédia de 2011. “Hoje meu desejo é de estar aqui e de me juntar ao povo de Teresópolis para agradecer a Deus pela vida dessa cidade. Mas, sobretudo para pedir muitas bênçãos para esse lugar”, declarou. “Trouxe um repertório feliz e alegria, porque quero proporcionar exatamente isso, alegria ao povo. Que Deus abençoe todos nós e que tenhamos uma boa festa. Que Teresópolis continue cada vez mais caminhando rumo a esse progresso que o povo merece e precisa”, finalizou o padre.
Subindo ao palco, o Padre conduziu cerca de duas horas de show com músicas bastante conhecidas pelos fiéis, que cantaram o tempo todo em coro com o sacerdote. Com um estilo acústico e suave, músicas como “Tudo é do Pai”, “Seu amor é demais”, “Tudo Posso” foram entoadas com emoção. Entre uma e outra, palavras de fé e de formação.

 

Postado em Banner principal, CidadeComentário (0)

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...