Tag Arquivo | "Arraiá"

Festa da cultura e sustentabilidade no Sesc

Fechando a parte das manifestações culturais, a quadrilha profissional Cazumbá se apresentou no início da noite de domingo, arrancando muitos aplausos do animado público

Fechando a parte das manifestações culturais, a quadrilha profissional Cazumbá se apresentou no início da noite de domingo, arrancando muitos aplausos do animado público

– Tradicional evento ganhou um modelo ecológico e fez sucesso em Teresópolis

Mês de junho, mês de festa… De festa junina! E, no caso do arraial do Sesc Teresópolis, o fim de semana foi de promoção desse tipo de cultura e também de uma prática de extrema importância para a manutenção da vida, a da preocupação com o meio ambiente. Pela segunda vez, o município recebeu o Eco Arraiá, evento realizado em 16 unidades do Sesc no estado do Rio com entrada franca. “É uma alegria receber todo esse público com esse olhar diferenciado para a sustentabilidade, mesclando esse tema com as festas tradicionais dessa época do ano”, destaca Patrícia Ruena, Gerente do Sesc Teresópolis.

Na festa, nada de fogueiras, balões, materiais descartáveis e desperdício de recursos. Pelo contrário: além da estrutura e organização atender a requisitos da sustentabilidade ambiental, o tema ficou explícito nas brincadeiras. Na banca da pescaria, por exemplo, no lugar dos “peixes”, o objetivo foi pescar resíduos poluentes do meio ambiente. Em cada um deles – latas, plástico e papelão – uma ficha informava o tempo de decomposição e o impacto que o material pode causar ao planeta.

Barracas de brincadeiras tiveram temática sobre sustentabilidade e fizeram bastante sucesso

Barracas de brincadeiras tiveram temática sobre sustentabilidade e fizeram bastante sucesso

A estrutura das barracas foi feita de material menos agressivo ao meio ambiente (pallets reutilizados) e os brindes foram produtos que substituem material descartável, como squeezes (garrafinhas reaproveitáveis) ou confeccionados com o reaproveitamento de resíduos sólidos. Uma banca de alimentos serviu delícias produzidas com aquilo que muitos costumam jogar fora. “A intenção dessa barraca foi mostrar para as pessoas que o alimento pode ser aproveitado de forma integral, evitando o desperdício de cascas, talos e sementes. Há receitas deliciosas e nutritivas, como as que apresentamos aqui, a cocada de casca de cenoura e o esquentão sem álcool”, explicou Gisele Longo, Nutricionista do Sesc.

Os alimentos são resultado das oficinas do programa Mesa Brasil – iniciativa realizada nacionalmente pelo Sesc que intermedeia a doação de excedentes alimentícios de empresas a entidades assistenciais e estimula o aproveitamento integral dos alimentos (como o uso de talos, cascas e sementes, de alvo valor nutricional e que normalmente são jogados fora, aumentando a quantidade de lixo no país).

Mãe da pequena Isabela, de três anos, que aproveitava a festa devidamente caracterizada, Patrícia Fernandes falou com a reportagem sobre a importância do evento. “Acredito que traga muitas oportunidades para a cidade também, ajudar a divulgar Teresópolis. além disso, é muito importante falar sobre ecologia, ensinar as crianças sobre como cuidar da natureza e participar de eventos culturais como esse. A criança brinca e se diverte no clima da festa e ainda aprende”, enfatizou.

 

Brincadeiras tradicionais ganharam tons ecológicos. Crianças se divertiram e aprenderam sobre conservação

Brincadeiras tradicionais ganharam tons ecológicos. Crianças se divertiram e aprenderam sobre conservação

Muita diversão para todas as idades

As atrações musicais do evento, que aconteceu sábado e domingo, foram “Seu Quixote e Chico Pança” e “Tony & Anderson Trinta anos de Forró”. Nos dois dias, aconteceram ainda oficina de forró, quadrilhas, casamento na roça, apresentação caipira da terceira idade, além de brincadeiras típicas e temáticas, como correio da amizade, acerte o lixo, acerte a lata e jogo de argola.

Prestes a completar 69 anos, o aposentado Irapatinga Lima Rocha  foi um dos muito animados integrantes da quadrilha da terceira idade, que, além de se apresentar ao som característico desse tipo de evento, empolgou o público com música, digamos, mais comum “ao público jovem”, o funk.

“A vantagem da terceira idade é que se tem mais tempo para se dedicar à arte. Quando vinha hoje estava lembrando que com cinco anos de idade comecei a dançar quadrilha. Agora, estou praticamente com 69 dançando quadrilha e acho que vou morrer praticando esse diletantismo. Não só pelo tempo livre, mas o legal é que a dança é uma terapia. Acho que deveríamos começar a vida primeiro com a terceira idade para depois chegar ao nascimento”, brincou o animado aposentado. Fechando a parte das manifestações culturais, a quadrilha profissional Cazumbá se apresentou no início da noite de domingo, arrancando muitos aplausos do animado público.

 

Barraca onde os participantes puderam se arrumar com decorações características da festa

Barraca onde os participantes puderam se arrumar com decorações características da festa

Experiência que deu certo

As festas juninas e julinas do Sesc Rio em 2015, com o tema sustentabilidade ambiental, seguem um modelo testado e aprovado em 2014. Uma grande festa realizada no Sesc Nogueira sob os mesmos moldes atraiu cinco mil pessoas nos dois dias de evento. Como a experiência deu certo, a instituição decidiu replicar a iniciativa em outras unidades do estado, dando eco a essa demanda cada vez mais premente da contemporaneidade: o cuidado com o meio ambiente. Além de Teresópolis, neste ano já aconteceram festas em Petrópolis (Sesc Nogueira e Sesc Quitandinha), Três Rios e no Sesc São Gonçalo.

Postado em Banner principal, CidadeComentário (0)

Sucesso absoluto no Festival da Cultura Popular

A quadrilha estilizada do Grupo Folclórico Brega e Chique foi aplaudida de pé

Milhares de pessoas prestigiaram o evento que lotou a praça da Casa de Cultura Adolpho Bloch

Do maracatu ao repentista, da quadrilha ao show de forró… Em grande estilo e com muita animação, os shows de Fernando Mello, com o ‘Seu Quixote e Chico Pança’, e de Wenderson Rosa encerraram na noite deste domingo, 25 de agosto, o Festival da Cultura Popular. Promovido pela Prefeitura, através da Secretaria de Cultura, em parceria com a Secretaria de Educação e ainda a concessionária de energia Ampla, o evento foi sucesso absoluto e agradou em cheio a população. Ao longo de cinco dias, milhares de pessoas passaram pelos arredores da Casa de Cultura Adolpho Bloch e conferiram as diversas atividades realizadas no local. Quadrilha, apresentações de maracatu e bumba meu boi, casamento na roça e diversos shows fizeram parte da programação, inteiramente com entrada franca.
“Um grande sucesso. O Festival da Cultura Popular superou até mesmo as nossas expectativas. Foram cinco dias de festa, trazendo a Teresópolis atrações diferenciadas para mostrar ao público a verdadeira cultura popular e comemorando da melhor forma o mês do folclore. Tivemos diversas manifestações artísticas, prestigiadas por milhares de pessoas ao longo do evento e que saíram satisfeitas. Tudo isso em clima totalmente saudável, sem nenhuma ocorrência ou qualquer problema. Um balanço 100% positivo”, comemora o Secretário de Cultura, Wanderley Peres.

Diversas manifestações artísticas foram apresentadas, como o Bumba Meu Boi

Atrações diurnas ganham o público

Iniciado na quarta-feira, 21, o Festival da Cultura Popular teve de tudo um pouco, com atividades de dia e à noite. De quarta, 21 a sexta, 23, foram realizadas durante o dia nas dependências da Casa de Cultura as oficinas e apresentações do Consciência Ampla Cultural – que fez parte do festival -, atendendo a cerca de 3.000 crianças, alunos da rede municipal de ensino. O desenhista Daniel Azulay foi uma das atrações. Já no sábado, 24, e no domingo, 25, as atrações aconteceram do lado de fora, no anfiteatro e arredores da Casa de Cultura. No sábado, as atrações começaram pela capoeira de mestre Cidinho, seguida pelos alunos de teatro infantil da Secretaria de Cultura, que encantaram a plateia com muitas parlendas, adivinhas e trava-línguas, orientados pela professora Jeanette Albuquerque.
Depois, um festival de cores tomou conta do lugar com a apresentação do Maracatu. Coordenado por Írio Lima, a atração teve a participação de 60 pessoas, integrantes dos projetos Pro-Jovem, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e Pólo do Idoso, que vieram diretamente de Guapimirim para o evento. Um ônibus da Prefeitura de Guapimirim trouxe o grupo, que encantou a plateia. Mais tarde, outra turma de teatro se apresentou, desta vez sob o comando de Ayrton Rebello, mostrando ao público a encenação do Bumba Meu Boi. Os músicos Fernando Mello, Andréa Sant’Anna, Arnaldo Almeida, Clara Gonçalves e Marcos André foram os responsáveis pela trilha sonora que embalou a encenação. E ainda no sábado, a bailarina Rafaela Ribeiro encantou a todos com a coreografia Esmeralda.

O divertido casamento na roça encantou e interagiu com a plateia

Cultura de Raiz especial

No domingo, mais atrações diurnas divertiram os visitantes. Logo pela manhã, uma edição especial do Cultura de Raiz movimentou o palco concha. Apresentado pelo engenheiro agrônomo Beto Selig, o evento teve a participação de diversos artistas: Trio Bico Seco, Zé Paulo, Mario do Violão, Moacir e Edson Rosa, Genaro da Zabumba e Tião do Triângulo, Írio Lima, Zé Luiz, Antônio Corino, Carmem Bartoly e Geremias Cruz, Zé Rodrigues, Wanda Pinheiro, Roninho, Paulo Medeiros, Banda Versão Brasileira, Daiane Maciel, Crésio da Vila, Paulo Carminatti e Rogério Barros.
Já à tarde, foi a vez da capoeira de Mestre Sorriso encantar o público, com a tradicional roda, mostrando ainda o maculelê e o samba. Em seguida, uma quadrilha tradicional teresopolitana, da Igreja de São Cristóvão, na Fonte Santa, alegrou quem estava na praça. Para quem ainda não tinha visto, uma nova apresentação do Bumba Meu Boi foi realizada e, logo depois, um dos momentos mais divertidos do dia: o casamento na roça, encenado pela turma de teatro do professor Adriano Ramires. No esquete, os atores não apenas atuaram, como interagiram com a plateia a todo momento. A encenação agradou em cheio e arrancou muitas risadas do público.
Ainda na tarde de domingo, a última das atrações diurnas foi aplaudida de pé. De Nova Iguaçu, o Grupo Folclórico Brega e Chique apresentou uma quadrilha estilizada, composta por 48 integrantes, tendo como tema as Brincadeiras de Criança. O figurino de época, muito colorido, despertou o interesse das pessoas, assim como a coreografia em si, embalada por músicas do cancioneiro popular. Marcador da quadrilha, Carlos Noronha ficou satisfeito. “O festival foi maravilhoso e a participação do público foi muito calorosa. Nós adoramos fazer este trabalho, mas quando encontramos um público como o de Teresópolis, o prazer é ainda maior”, disse.

O Festival da Cultura Popular contou com ampla praça de alimentação e também estandes de artesanato

Shows à noite garantem diversão

Além de todas as atrações realizadas durante o dia, diversos shows divertiram o público à noite entre os dias 21 e 25. O cantor e compositor Dudu Nobre participou de bate-papo no teatro da casa, cantando também diversos sucessos. Mas este foi só o início. Um grande palco em formato concha foi montado no anfiteatro da Casa de Cultura e por lá passaram diversos artistas. Írio Lima divertiu a plateia na quarta, 21, e a simpática dupla Bento e Mariano foi a atração de quinta, 22. Na sexta-feira, 23, Sandra de Sá lotou a Praça Juscelino Kubitschek e fez um show emocionante. Apresentou grandes sucessos de sua carreira, como ‘Olhos Coloridos’, ‘Solidão’ e ‘Retratos e Canções’ e desceu do palco para cantar no meio do público a consagrada ‘Bye-bye Tristeza’. “Maravilhoso chegar aqui e ver tanta gente. Um evento como este merece aplausos por divulgar a cultura”, enalteceu a cantora. A noite teve ainda a participação do DJ Ricabreu, que embalou o público com a música mecânica.

O Trio Bico Seco foi uma das atrações da edição especial do Cultura de Raiz, realizada dentro do festival

Noite nordestina

No sábado, 24, a noite foi nordestina. Primeiro, o show de Zé da Onça e Sua Gente, diretamente da Feira de São Cristóvão para Teresópolis, que embalou casais ao som de muito forró, como ‘Que nem jiló’ e ‘O último pau de arara’. Depois, os repentistas Eri e Silvânia, que arrastaram uma multidão. Até quem estava nos estandes saiu correndo para assistir um pouco da divertida embolada apresentada pelos artistas. E, por fim, o show do Caraforró, também da Feira de São Cristóvão. Liderada por Gilberto Teixeira, a banda agradou com inúmeros sucessos como ‘Luiz respeita Januário’, “Vida viajante’, ‘Coronel Antônio Bento’ e ‘Asa Branca’. “Parabéns à Secretaria de Cultura por este festival. O Brasil precisa de projetos como este, que valorizam a cultura de raiz, a autêntica arte brasileira”, comentou Gilberto, que tem forte ligação com Teresópolis.
Finalmente no domingo, 25, foi a vez de Fernando Mello e o show ‘Seu Quixote e Chico Pança’, que também colocou todo mundo pra dançar ao som de muito forró. ‘É proibido cochilar’, ‘Esperando na janela’ e ‘Táxi Lunar’ estiveram no repertório do show. E, encerrando o evento em grande estilo, Wenderson Rosa e Banda Expressão Brasil. Na apresentação, clássicos da música sertaneja, como ‘Panela Velha’ e ‘Evidências’, ‘Couro de boi’ e ‘Peão de estância’ e, é claro, sucessos do sertanejo universitário, como ‘Camaro Amarelo’ e ‘Ai se eu te pego’.

Os repentistas Eri e Silvânia agradaram em cheio

Cidade cenográfica: um show à parte

Parte fundamental da festa, a cidade cenográfica montada pela equipe da Secretaria de Cultura, com coordenação do designer e artista plástico Ricardo Guarilha, foi um show à parte. Com inúmeros detalhes e uma simpática igrejinha, a decoração caiu nas graças do público e foram muitos os que fizeram questão de registrar o momento com fotos. “Eu adorei. Achei muito legal. Fiquei curioso em ver tudo de perto e fiz questão de fazer fotos. Incrível”, disse Rômulo da Silva.
A igrejinha, aliás, não foi apenas decorativa. Ao contrário, teve papel fundamental na encenação do casamento na roça, sendo o cenário do esquete. A decoração contou ainda com pórtico, banners e paineis personalizados, o Cantinho da Cultura, com informações, e uma sala de artesanato, onde ficaram expostos artigos de artesanato típicos do Nordeste, como esculturas em barro.
Para atender o público em todas as suas necessidades, a festa teve ainda ampla praça de alimentação, com os mais deliciosos quitutes típicos de um bom arraial, e também diversos estandes de artesanato, explorados pelas artesãs do Espaço Mulher e do Cultura de Raiz. Para a criançada, além das atrações em si, a diversão ficou garantida com estandes de brincadeiras como pescaria, tiro ao alvo, chute a gol e boliche eletrônico, além de um parquinho montado ao longo da tarde no sábado e no domingo com escorrega inflável, cama elástica, touro mecânico e piscina de bolas.

A cidade cenográfica fez enorme sucesso

Público aplaude e comerciantes comemoram

Durante os cinco dias de atrações, o público foi só elogios. O empresário João Luiz Pires e a mulher Regina foram ao festival na sexta, para assistir Sandra de Sá, e, satisfeitos, voltaram no sábado. “Maravilhoso. Tudo aqui ficou ótimo. Bonito, prático, acessível e tranquilo”, comentou Regina. “Parabenizo a Prefeitura de Teresópolis pelo Festival da Cultura Popular. Espero que esta iniciativa se repita sempre, utilizando este espaço, pois tenho certeza que os moradores de Fátima e bairros vizinhos se sentiram prestigiados”, elogiou João.
Os amigos Katia Alves e Rafael Protasio também fizeram dobradinha e se divertiram. “Ficamos encantados ontem, tínhamos que voltar. Muito interessante o projeto”, disse Katia. “Os shows estão ótimos. E a embolada foi 10. A cidade precisa de projetos assim”, completou o amigo.
Alessandra Ázara foi com toda a família passar o domingo no festival. “A programação foi ótima, a organização perfeita e o cenário lindo. Não tem o que comentar. Simplesmente nota 10!”, destacou Alessandra. “Realmente impressionante. Valeu a pena vir”, disseram Diana Guimarães e Vera Lúcia Ázara, sogra e mãe de Alessandra. As filhas, Diana e Alice, também se divertiram e queriam mais.

Satisfação geral

Entre os expositores, tanto do artesanato, como da alimentação, o clima também era de satisfação no último dia de evento. “Eu expus até sábado e só parei porque meu estoque acabou. Mesmo assim, voltei só para aproveitar. Achei o festival maravilhoso. Shows divinos, cenário incrível. Como vi gente parando para fazer fotos no cenário… E todas as atrações em um horário legal, acessível a todos. Não há o que falar: perfeito! Parabéns à Prefeitura pela festa! Que venham muitos outros”, elogiou Maria de Oliveira Medeiros. “Não tenho do que reclamar. Foi ótimo”, comentou Tatiana Moreira, que explorou estande na praça de alimentação. “Foi excelente.. Tomara que outros festivais como este sejam realizados. O espaço foi muito bem aproveitado e a festa ficou simplesmente maravilhosa”, completou Ana Alice Araújo.

 

Postado em Banner principal, CulturaComentário (0)

Festival da Cultura Popular recebe grande público

Festival da Cultura segue até domingo com muitas atrações que vão até a noite

– A cantora Sandra de Sá é a atração principal do evento nesta sexta-feira

 

O Festival da Cultura Popular de Teresópolis teve início nesta quarta-feira e segue até domingo variadas atrações, inclusive com a realização simultânea do Consciência Ampla Cultural, com três dias de atividades voltadas para os alunos da rede municipal de ensino, contribuindo com a programação na Casa de Cultura Adolpho Bloch. O evento tem entrada franca e terá a cantora Sandra de Sá se apresentando nesta sexta-feira.
Foi montada uma grande estrutura nos arredores do prédio com palco, cidade cenográfica e bandeirinhas criando um clima de arraia. Até o próximo domingo, serão cinco dias inteiros com, comidas típicas, danças regionais, artesanato, oficinas, bate-papo, apresentação de quadrilha e diversos shows.
Com o tema “O Brasil que os brasileiros ainda não conhecem”, a Ampla está promovendo atividades como oficinas, contação de histórias, teatro, shows e bate-papo com artistas.
Na abertura oficial do evento realizada na noite desta quarta-feira, o público lotou o auditório para assistir a um bate-papo com o cantor Dudu Nobre que também cantou alguns de seus maiores sucessos, como parte da segunda edição do evento da Ampla.

Vice-Prefeito Marcio Catão e Prefeito Arlei com o Secretário de Cultura Wanderley Peres na abertura do evento

Presenças ilustres

Estiveram presentes ao evento o prefeito Arlei, o vice-prefeito Márcio Catão, o Secretário de Cultura Wanderley Peres, de Educação Leonardo Vasconcelos, de Segurança Pública Marco Antonio da Luz, de Governo José Carlos Cunha e alguns vereadores.
Arlei deu os parabéns pela realização do evento. “Parabenizo a Secretaria de Cultura por este grande evento e agradeço à Ampla por trazer à nossa cidade este projeto maravilhoso. Me sinto feliz e realizado ao ver os resultados positivos desta bela parceria”, comentou.
O secretário Wanderley Peres destacou que o Festival da Cultura Popular é um evento de grande porte, unindo os esforços da prefeitura e da Ampla para oferecer conhecimento, entretenimento e arte à população durante os cinco dias. “Esse Festival da Cultura Popular que acontece do lado de fora da Casa de Cultura, é um evento piloto, pela primeira vez, em 25 anos, foi montado um palco concha no anfiteatro, com iluminação e som de qualidade, usando também a área externa como praça de alimentação, todos os cantos com atrativos, sempre dosados para que não haja excessos em tipos de comida ou de atrações. É uma experiência para que a gente faça outras festas nesse espaço, de repente até revitalizando a Festa das Colônias, que é um projeto antigo, no início do ano que vem, também nesse formato com cenários. Nesse caso aqui, temos uma cenografia de cidade do interior, onde vão funcionar a secretaria e oficinas de artesanato”.

Cantor Dudu Nobre foi a grande atração do primeiro dia do Festival de Cultura Popular

Poder público e a iniciativa privada

O vice prefeito Márcio Catão destacou o sucesso do trabalho conjunto entre o poder público e a iniciativa privada: “O mais extraordinário é a evolução no processo cultural do município. A Ampla não costuma repetir as cidades nesse projeto que é itinerante, mas a empresa enxerga Teresópolis como uma cidade acolhedora, que realmente deu valor ao processo produtivo deles. É importante ainda o nosso processo interno entre as secretarias de estarem interagindo na compreensão que o povo precisa ser educado da maneira cultural mais correta. Hoje a gente vê a Secretaria de Educação, a Secretaria de Serviços Públicos, enfim, um grupo de secretários trabalhando junto com o secretário de Cultura e dando esse aporte. Isso é uma evolução muito grande dentro do nosso processo administrativo. É lindo de se ver o auditório lotado, lá fora lotado e a população participando desse evento”.
Leonardo Vasconcelos exaltou a possibilidade de fortalecer o aprendizado dos estudantes da rede municipal: “Com certeza a participação da Ampla, nesse convênio com a Secretaria de Cultura, torna muito importante a Educação participar disto porque a gente oportuniza que os alunos de nossa cidade tenham acesso a tudo de melhor que o Brasil tem. A Ampla trazendo isso com a Secretaria de Cultura engrandece a nossa cidade. Eu só tenho a agradecer por esta oportunidade. Nós temos ajudado e colaborado com o público. Fazer cultura torna a Educação melhor”.

Um palco em concha leva shows diário para a praça da Casa de Cultura

Difusão da cultura brasileira

Beatriz Stutzel, representante da Ampla, enfatizou a importância de investir na difusão da cultura brasileira: “A nossa empresa entende a Cultura e a Educação como pontos fortes para a sociedade em que estamos inseridos. A Ampla acredita muito nos projetos e é por isso que tem esse tema: “O Brasil que você ainda não conhece” é um resgate de uma cultura tão rica dos quatro cantos do país. A gente consegue ver aqui o rostinho das crianças quando assistem desde o Bumba-meu-boi até uma grande ciranda, muitas manifestações culturais que foram se perdendo ao longo do tempo. A parceria entre a iniciativa privada e o Órgão Público é muito importante. Quem tem a ganhar é a comunidade, como está acontecendo aqui. Nós agradecemos muito à prefeitura e às Secretarias de Cultura e Educação”.
Na tarde desta quinta-feira, estudantes da rede municipal de Educação se divertiram com uma oficina de desenho com Daniel Azulay. O artista contou histórias e levou muitas brincadeiras, ensinando algumas dicas para que os pequenos alunos pudessem tentar reproduzir os desenhos que ele fazia no palco.
O desenhista, que fez muito sucesso nas décadas de 70 e 80 na TV, mostrou que ainda está em plena forma, cativou a criançada e ainda alguns adultos que recordaram dos tempos de infância.
“O Daniel Azulay faz parte do imaginário coletivo de várias gerações e está aqui fazendo parte dessa nova geração também. A programação vai até domingo, sempre com shows todas as noites, pode vir e trazer sua família que você vai ficar satisfeito”, disse o subsecretário de Cultura Arnaldo Almeida.
Zé da Onça e o grupo Caraforró, ambos da Feira de São Cristóvão, se apresentam no sábado, 24, e Fernando Mello (Seu Quixote e Chico Pança) e Wenderson Rosa e Banda Expressão Brasil são as atrações de domingo, 25, encerrando o evento.

Criançada se divertiu com o desenhista Daniel Azulay em um oficina realizada na tarde desta quinta-feira

Decoração divertida e muitos quitutes

Uma verdadeira cidade cenográfica, bem colorida, foi confeccionada pela equipe da Secretaria de Cultura e dará um toque completamente diferente à Casa de Cultura. Pórtico, lanternas, bandeirinhas e cerca complementam a decoração.
O palco em formato concha, onde serão realizadas diversas atividades, inclusive os shows, está montado no anfiteatro da Casa de Cultura, facilitando o acesso do público. E também já está montada na Praça Juscelino Kubitschek a praça de alimentação do evento, onde os visitantes poderão encontrar as mais variadas guloseimas típicas de uma festa ‘agostina’. Explorados pelas paróquias católicas do município, os estandes de alimentação terão seu lucro revertido em prol de projetos sociais realizados pelas igrejas. Para a criançada, um parquinho de diversões estará disponível.
Além disso, agregando valor ao evento, a feira de artesanato Espaço Mulher será levada ao Festival da Cultura Popular, funcionando excepcionalmente nesta sexta e sábado nos arredores da Casa de Cultura. A feira, que normalmente funciona na Praça Balthasar da Silveira, desta vez mudará de endereço, levando para o festival artigos de confecção, artesanato e lanche confeccionados exclusivamente por mulheres.

 

Postado em Banner principal, ColunistasComentário (0)


Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...