Tag Arquivo | "Casa de Cultura Adolpho Bloch"

Jovem é assaltado na Rua Tietê em Araras

Este foi o telefone furtado pelos bandidos. O proprietário caminhava pelo bairro de Araras quando foi abordado pelo grupo

Este foi o telefone furtado pelos bandidos. O proprietário caminhava pelo bairro de Araras quando foi abordado pelo grupo

– Três maiores e um menor foram apontados como autores do crime

 

Um rapaz foi vítima de furto no bairro de Araras na manhã desta quarta-feira, 16. Quatro homens abordaram a vítima e levaram o celular dela. Depois que os marginais fugiram a vítima foi atrás dos meliantes e conseguiu deter um deles até a chegada da PM. Apesar de ter conseguido reaver o telefone e pegar um dos marginais, os órgãos de segurança orientam que as vítimas não devem agir por conta própria nestes casos e que os agentes devem ser chamados imediatamente. Já na delegacia a vítima contou que estava caminhando nas proximidades da Casa de Cultura Adolpho Bloch, na Rua Tietê, no bairro de Araras, quando foi rendido pelos marginais, que insinuaram estarem armados. O jovem passou o telefone celular da marca Samsung e eles foram embora.

 

Postado em Banner principal, Capa, Cidade, PolicialComentário (0)

Teresópolis sedia 1º Grito Rock

Os membros da banda Blanchez vão se apresentar na noite desta sexta-feira na Casa de Cultura

O rock´n´roll “estiloso” da banda Blanchez vai se apresentar na noite desta sexta-feira na Casa de Cultura

Festival reúne bandas de Teresópolis e de outras cidades na Casa de Cultura

 

Roqueiros, mentaleiros e todas as tribos de admiradores de um bom rock ‘n’ roll tem um compromisso inadiável neste final de semana. Começa hoje e vai até domingo o 1º Grito Rock, festival que vai reunir bandas de Teresópolis e de cidades vizinhas no anfiteatro da Casa de Cultura, em Araras. Ao todo serão 23 apresentações, sendo 14 bandas de Teresópolis.
O festival seguirá os moldes do Grito Rock Mundo, festival colaborativo e integrado, idealizado pela rede Fora do Eixo e realizado desde 2003 na época próxima ao carnaval. Em 2014, o festival chega à 12ª edição, conectando o interior do Brasil e vários países da América Latina, Europa, África e América do Norte, entre fevereiro e março. No ano passado, foram mais de 300 cidades integradas ao evento. E, este ano, a meta é alcançar 400 cidades em 40 países. É a primeira vez que Teresópolis participa do evento.
As inscrições para o evento em Teresópolis foram realizadas entre fevereiro e março e mais de 90 bandas se habilitaram a participar. Devido à alta procura, foi necessário realizar um processo seletivo para definir as bandas participantes. E, a partir daí, foram selecionadas 23 bandas, priorizando as de Teresópolis e da Região Serrana.

O virtuoso guitarrista  Arthur Moreira e seus amigos vão abrir as atrações do sábado na Casa de Cultura

O virtuoso guitarrista Arthur Moreira e seus amigos vão abrir as atrações do sábado na Casa de Cultura

Bandas locais

Representando Teresópolis, vão participar as bandas Código, Vintage, Stone in Head, Blanchez, Lúpulos e Maltados, Arthur Moreira Band, Distorcism, Jahguasoul, Redquarter, Vulture Wings, ADL, Motor Riff, Six Seven Hate, Nunca se Renda e Sob Cerco. Além destas, também haverá bandas de outros municípios e até de outros estados. Entre os estilos, os mais variados possíveis, como blues, hardcore, instrumental, metal, pop, R&B, reggae, rock, ska, hip-hop, etc.
“Há muito tempo a galeria que faz o rock ‘n’ roll aqui na cidade nos cobra um evento com qualidade como esse. Conseguimos organizar um festival com som de primeiro, palco de grandes proporções e iluminação”, aponta o subsecretário de Cultura de Teresópolis, Arnaldo Almeida. “Serão bandas de Teresópolis e grupos visitantes que vão movimentar anfiteatro da Casa de Cultura nestes três dias de evento”, garante o organizador.
De acordo com Almeida, o evento vai atrair público de todas as tribos. “Vai agradar a todos, não só a galera do rock, que com certeza vai lotar o anfiteatro, mas todos que queiram curtir música. Rock ‘n’ roll é música, é atitude, então todos que curtem podem ir prestigiar o evento”, aponta.

A banda Sob Cerco tem participado de festivais por todo o Estado do Rio

A banda Sob Cerco tem participado de festivais por todo o Estado do Rio

Estrutura especial

Com duração de três dias, o evento terá apresentações nesta sexta-feira, 28, a partir das 18h; no sábado, 29, a partir das 17h; e no domingo, 30, a partir das 15h30. Cada banda terá 40 minutos para se apresentar. Para garantir o conforto dos participantes e do público, será montado um palco 12m x 8m no anfiteatro da Casa de Cultura, incluindo moderna estrutura de som e iluminação. Haverá ainda praça de alimentação montada na Praça Juscelino Kubitschek, e estandes de artesanato. Além disso, serão montados estandes para que as próprias bandas possam explorar suas marcas e comercializar produtos afins, como camisetas, CDs, etc.
“Será a primeira edição do projeto em Teresópolis e nossa expectativa é de grande sucesso. O festival vai atingir um público diferenciado, aproveitando esse espaço democrático para a divulgação das bandas de Teresópolis e os nossos artistas. E isso sem falar que o evento será aberto a variados estilos, do rock ao instrumental, comprovando, mais do que nunca, a versatilidade da cultura. Que seja o primeiro de muitos”, avaliou o secretário de Cultura, Wanderley Peres.
Na avaliação do subsecretário Arnaldo Almeida, o festival será o primeiro de muitos. “Acredito que outros virão, a grande herança desse festival vai ser criar um evento de rock n roll no calendário da cidade. As pessoas vão gostar tanto, vai ficar tão legal, que vai ser impossível não fazer, todo ano, pelo menos um grande evento de rock na cidade”, garante.

Confira a programação:

Sexta, 28, a partir das 19h – Código / Vintage / Stone in Head / Lúpulos e Maltados / Blanchez / Favela Noise
Sábado, 29, a partir das 17h30 – Arthur Moreira Band / Bogotah / Hell Oh! / Distorcism / Jahguasoul / Redquarter / Vulture Wings / Projeto 11:11
Domingo, 30, a partir das 15h30 – ADL / Motor Riff / Six Seven Hate / Sob Efeito / Último Sopro / Nunca se Renda / Sob Cerco / Controle / Ágona

 

Postado em Banner principal, CulturaComentário (0)

Exposições em homenagem às mulheres em Teresópolis

 

Na Casa da Memória Arthur Dalmasso faz sucesso a nova versão da exposição Mulheres na História

Na Casa da Memória Arthur Dalmasso faz sucesso a nova versão da exposição Mulheres na História

– Mostras podem ser vistas na Casa de Cultura e na Casa da Memória Arthur Dalmasso

No último sábado, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a Prefeitura, através da Secretaria de Cultura, inaugurou duas exposições voltadas para o universo feminino. A primeira mostra, ‘Um Olhar feminino’, está exposta na galeria da Casa de Cultura Adolpho Bloch, em Araras, incluindo pinturas e gravuras confeccionadas exclusivamente por artistas plásticas. Já a segunda exposição, ‘Mulheres na História’, está montada no jardim da Casa da Memória Arthur Dalmasso, no Centro, e conta a trajetória das mulheres ao longo do tempo. Em formato itinerante, a mostra poderá ser vista também a partir de sexta-feira, 14 de março, na Praça Balthasar da Silveira, integrando a programação oficial da Prefeitura, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, que segue até a próxima semana.

Na Casa de Cultura pode ser vista a mostra Um Olhar feminino

Na Casa de Cultura pode ser vista a mostra Um Olhar feminino

Sensibilidade em evidência

Tendo como curador o coordenador de exposições e designer gráfico Ricardo Guarilha, a primeira mostra – Um olhar feminino – reúne pinturas e gravuras de 19 artistas, que traduzem, através de seus trabalhos em vários estilos e técnicas, suas experiências com as artes visuais, evidenciando, é claro, a sensibilidade e o toque femininos. Participam da exposição Aurora Bicalho, Clélia Brito, Dalva Hosannah, Edith de Sidi, Eneida Telles, Lúcia Maria Gomes, Lydia Haydée, Maria do Carmo Mangia, Márcia Tayt-Sohn, Maria Batalha, Marilene Balzi, Marina Didonet, Pedrita, Rivka Elyaoglu, Rosane Santos, Rosina Carvalho, Thereza Paiva, Vânia Catarina, Verônica Roth. A mostra, realizada em sua sexta edição, pode ser vista até 28 de março, de segunda a sábado, das 10h às 18h, na Casa de Cultura Adolpho Bloch (Praça Juscelino Kubitschek, s/nº – Araras).

Com design do coordenador de exposições, Ricardo Guarilha, a nova exposição Mulheres da História conta com 10 paineis explicativos, com textos e imagens, contando a trajetória da mulher desde a pré-história até os tempos modernos.

A Casa da Memória Arthur Dalmasso é o local base da nova exposição da Secretaria de Cultura

Nova versão

Já na Casa da Memória Arthur Dalmasso, também já pode ser vista a nova versão da exposição ‘Mulheres na História’. Elaborada pela Secretaria de Cultura, a partir de pesquisa da equipe do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural Sucesso em 2013, a mostra fez sucesso em 2013 e agora foi remodelada, sendo apresentada em novo formato, mais amplo e itinerante.
Na primeira edição, a exposição foi montada em formato de banners e exposta no primeiro piso da Casa da Memória Arthur Dalmasso, onde recebeu mais de 300 visitantes. Agora, como forma de homenagear novamente as mulheres, a exposição foi reformulada e transformada em uma mostra externa e itinerante, favorecendo o acesso do público ao material. Quem passa em frente à Casa da Memória já pode ver a grande estrutura que dá vida à exposição, montada no jardim frontal da casa. Contudo, a partir da próxima sexta-feira, 14 de março, a exposição terá um novo local, a Praça Balthasar da Silveira, integrando a programação oficial elaborada pela Prefeitura em homenagem ao dia Internacional da Mulher.

Justa homenagem

Com design do coordenador de exposições, Ricardo Guarilha, a nova exposição Mulheres da História conta com 10 paineis explicativos, com textos e imagens, contando a trajetória da mulher desde a pré-história até os tempos modernos. As dificuldades enfrentadas, as conquistas e os avanços nos mais diversos setores estarão evidenciados na mostra. E, da mesma forma, serão lembradas mulheres de renome internacional que tiveram destaque na história política e social do mundo, como Condoleezza Rice, Hillary Clinton, Coco Chanel, Margaret Thatcher e Dilma Roussef.
Sem deixar de lado a memória municipal, também estarão retratadas as pioneiras, mulheres que tiveram destaque na história de Teresópolis, como a primeira vereadora, Madalena Rucker, a primeira prefeita, Afaf Ribeiro, e as primeiras secretárias de Cultura e de Educação do município.
“São duas exposições com características diferentes, mas que visam, da mesma forma, prestar uma justa homenagem às mulheres, no mês em que se comemora seu Dia Internacional. Foi a forma encontrada por nós da Secretaria de Cultura para contribuir com esta data marcante e significativa. Mais do que exposições, trata-se de novas oportunidades para mergulhar no universo feminino através da arte e perceber que a expressão feminina é tão diversa e intrigante quanto a própria natureza da mulher. Vale a pena conferir”, convida o Secretário de Cultura, Wanderley Peres.

 

 

Postado em CulturaComentário (0)

Cursos gratuitos da Cultura tem grande demanda

Centenas de pessoas já fizeram sua inscrição

Centenas de pessoas já fizeram sua inscrição

Resultados dos candidatos aprovados serão divulgados na próxima sexta-feira

Quase mil pessoas se candidataram às vagas oferecidas para a temporada 2014 dos cursos gratuitos oferecidos pela Prefeitura, através da Secretaria de Cultura. O período de novas inscrições foi realizado entre os dias 13 e 17 de janeiro e agora todas as solicitações para as 18 modalidades serão analisadas caso a caso. O resultado, com a lista dos candidatos aprovados, será divulgado nesta sexta-feira, 24 de janeiro, na Casa de Cultura Adolpho Bloch.
“Tivemos uma excelente procura e agora analisaremos caso a caso, na tentativa de tentar atender a todos os interessados, respeitando, é claro, as nossas possibilidades para que a qualidade do serviço prestado seja garantida. E quem não for contemplado neste primeiro momento não precisa perder a esperança, pois será encaminhado à nossa lista de espera e atendido assim que possível, no decorrer do ano letivo”, destaca o Secretário de Cultura, Wanderley Peres.
Das 939 inscrições registradas, a maior procura foi para os cursos de violão, desenho, balé e dança de salão. Contudo, segundo a diretora da Casa de Cultura Adolpho Bloch, Regina Tavares, todos os cursos tiveram boa procura, vinda de candidatos de todas as idades, de crianças a idosos. A relação dos aprovados será divulgada nesta sexta-feira, dia 24 de janeiro, a partir das 9h, em lista para consulta afixada na área de circulação na Casa de Cultura.

O interesse pelos cursos gratuitos é grande e abrange pessos de todas as idades

O interesse pelos cursos gratuitos é grande e abrange pessos de todas as idades

Documentos

As matrículas dos novos alunos deverão ser efetuadas na próxima semana, entre os dias 27 e 31 de janeiro, das 9h às 18h, também na Casa de Cultura Adolpho Bloch. Para realizar a matrícula, é preciso que o próprio aluno ou o responsável se dirija ao local e apresente os seguintes documentos: uma foto 3 x 4; carteira de identidade ou certidão de nascimento do aluno – com fotocópia; carteira de identidade do responsável (no caso de menores) – com fotocópia; declaração escolar (no caso de crianças e adolescentes em idade escolar); comprovante de residência; e atestado médico, no caso dos cursos de jazz, balé, dança de salão, dança de rua, circo, caratê e capoeira. O início das aulas está marcado para 3 de fevereiro.
Beneficiando em média mais de mil crianças, jovens e adultos em Teresópolis por ano, com atividades saudáveis e educativas, a Prefeitura de Teresópolis, através da Secretaria de Cultura, oferece gratuitamente à população 18 cursos: violão, teclado, piano, flauta, cavaquinho, canto, coral (adulto e infantil), balé, jazz, dança de salão, teatro (infantil, adolescente e adulto), desenho e pintura, artesanato, modelagem com argila, capoeira, caratê, dança de rua e circo. As aulas são realizadas de segunda a sábado, na Casa de Cultura e no Centro Cultural Bernardo Monteverde, sem nenhum custo para os alunos.

Postado em CulturaComentário (0)

Sucesso na I Semana Literária de Teresópolis

Secretário Wanderley Peres e o grande vencedor do Concurso de Sonetos, PC de SI

Secretário Wanderley Peres e o grande vencedor do Concurso de Sonetos, PC de SI

– Compositor PC de Si foi o grande vencedor do Concurso de Sonetos

Realizada entre os dias 28 e 30 de novembro, a I Semana Literária de Teresópolis reuniu grande público na Casa de Cultura Adolpho Bloch. Promovido pela Prefeitura de Teresópolis, através da Secretaria de Cultura, o evento contou com três dias de atividades ligadas à palavra escrita e à literatura, com a participação de diferentes entidades e personalidades. Palestra, exposição de Artes Visuais, Noite de Autógrafos, a final do Concurso de Sonetos e entrega de medalhas da Academia Teresopolitana de Letras (ATL) fizeram parte da programação.
Anfitrião da Semana Literária e presente aos três dias de evento, o Secretário de Cultura e também acadêmico, Wanderley Peres, comemorou. “Com a I Semana Literária, plantamos uma semente importante. Uma experiência que nos capacita para a realização de um evento de maior porte em prol da literatura nos próximos anos”, disse.

Jorge Dodaro, presidente do Elos Clube, Delmo Ferreira, presidente da ATL, Alice Nunes e Secretário Wanderley Peres

Jorge Dodaro, presidente do Elos Clube, Delmo Ferreira, presidente da ATL, Alice Nunes e Secretário Wanderley Peres

Artes plásticas e literatura

Na abertura do evento, dia 28, foi realizada a palestra ‘A estratégia mental no jogo da vida’, promovida pela Fundação Logosófica, seguida da visitação à mostra de artes visuais Arte Lida, montada na galeria da Casa de Cultura especialmente em função da Semana Literária. Foram 12 artistas participantes, que levaram para as artes plásticas o universo literário: Beth Bilé, Clélia Brito, Eneida Telles, Lydia Haydee, Marcia Tayt-Sohn, Renato Bordini, Ricardo Guarilha, Ruth Bilé, Vagner Queiroz, Vânia Catarina, Vânia Azamor e Vanessa Barini.
Também foi atração no primeiro dia o lançamento coletivo de livros e noite de autógrafos, realizados na Sala de Dança e no hall da Casa de Cultura. Nove escritores de Teresópolis se reuniram no evento e mostraram seus trabalhos, antigos, novos e até futuros, ainda em fase de finalização. Participaram os autores Ivanil de Resende, Clara Waisman, Nelli Pampillon, Lucinda dos Santos da Silva, Luiza Brault, Norma Freitas, Delmo Ferreira, Fernando Mello e Mario Jorge Aranha.

Martha Rocha e Geremias Cruz foram um show à parte

Martha Rocha e Geremias Cruz foram um show à parte

Entrega da premiação

Na noite de sexta-feira, 29, a programação continuou e o ponto alto do evento foi a final e a entrega da premiação do Concurso de Sonetos da Cultura, que teve como patrono o poeta Vinicius de Moraes. Na ocasião, os seis sonetos finalistas foram declamados por seus intérpretes e avaliados pela comissão julgadora, formada pelo Secretário de Cultura, Wanderley Peres, o presidente da Academia Teresopolitana de Letras, Delmo Ferreira, a chefe do Patrimônio Histórico Artístico e Cultural, Regina Rebello, a professora Adalgisa de Carvalho e o diretor do Colégio Euclydes da Cunha, José Nildo Amorim.
E, após criteriosa avaliação, foram definidos os vencedores do concurso. O compositor PC de Si foi o grande vencedor da noite, com o soneto ‘Além das fronteiras’. “Me sinto muito feliz em estar aqui. Poder estar aqui perto de todos estes mestres da palavra é uma honra. E me sinto muito emocionado por vencer. Só tenho a agradecer por esta bela iniciativa. Estão de parabéns os organizadores”, comentou PC.
Em segundo lugar, ficou o soneto ‘Soneto da tarde esquecida’, de Margareth Rech. E em terceiro, o soneto ‘Renovação’, de Ilbelis Esteves de Almeida. O prêmio de melhor intérprete da noite foi para a cineasta Regina Carmela, que declarou o poema ‘Soneto da felicidade’, de Luciano Couto, um dos finalistas. Os seis finalistas, somados a outros 12 sonetos selecionados pela comissão julgadora vão integrar uma antologia, a ser publicada pela Secretaria de Cultura, com os melhores sonetos do concurso, incluindo foto e biografia dos autores.

Professora Adalgisa de Carvalho e os finalisdtas Giulia Correa, Ozair Furtado, representando Moema Tavares, e Luciano Couto

Professora Adalgisa de Carvalho e os finalisdtas Giulia Correa, Ozair Furtado, representando Moema Tavares, e Luciano Couto

Geremias Cruz

A final do Concurso de Sonetos contou ainda com a admirável apresentação do violonista Geremias Cruz. Titular do curso de violão da Secretaria de Cultura, Geremias apresentou sucessos de Dilermando Reis, Francisco Tárrega e Villa-Lobos, entre outros. Logo depois, teve a parceria da cantora Martha Rocha e, juntos, interpretaram clássicos como ‘O mundo é um moinho’, de Cartola’, e ‘Lua Branca’, de Chiquinha Gonzaga.
Já no sábado, 30, encerrando a Semana Literária, a noite foi dedicada à Academia Teresopolitana de Letras, com a realização da cerimônia de entrega das medalhas de Prata e de Ouro da ATL. Anfitrião da noite, o presidente Delmo Ferreira falou sobre a homenagem. “Este evento encerra as atividades da ATL em 2013 e é com grande orgulho que acontece durante a I Semana Literária, iniciativa excelente que, mesmo ainda sendo um embrião, tem todo o nosso apoio. Que esta seja a primeira de muitas”, elogiou.

Montada na galeria, a mostra Arte Lida foi outro ponto alto da Semana Literária

Montada na galeria, a mostra Arte Lida foi outro ponto alto da Semana Literária

Homenagem

Na ocasião, foram homenageados seis acadêmicos pelo tempo de participação na ATL. Vidocq Casas, Índio Brasileiro Rocha, Luiz Ataíde Alcântara de Carvalho, Sandra Pimentel e Edson Amaral receberam a Medalha de Prata, que representa mais de 25 anos de ingresso na Academia. E logo depois, foi a vez da homenagem principal da noite, feita a Alice Nunes, sócia-fundadora da ATL, que recebeu Medalha de Ouro por seus 52 anos de Academia. “Me sinto muito feliz em participar desta noite especial, na qual pude rever meus amigos e ainda tive a alegria de receber esta bela homenagem. Nosso trabalho sempre foi desenvolver a cultura para torná-la acessível às pessoas e fico satisfeita em ver que, aos poucos, estamos todos fazendo isso. Que nossas crianças possam finalmente ter acesso às manifestações diversas da arte”, comentou a fundadora Alice Nunes.
Finalizando a noite e encerrando as atividades da I Semana Literária, o público assistiu uma performance de seresta, protagonizada pelo violonista Rogério Barros e o cantor Paulo Carminatti. ‘As rosas não falam’, Resposta ao tempo’ e ‘Carinhoso’ fizeram parte do repertório da apresentação, que teve ainda a participação especial de Delmo Ferreira, com ‘Paz do meu amor’.
Agregando valor à Semana Literária, foram realizadas também na Casa de Cultura, durante o dia, ações do projeto Chega Mais Leitura, promovido pela Secretaria de Educação. As atividades incluíram realização de palestra, biblioteca na rua, contação de histórias e oficinas.

Postado em Banner principal, CulturaComentário (0)

Grupo de teatro faz seleção para musical

Carla Carvalho está realizando a montagem de um musical e convida os interessados a participarem da audição

– Audições serão realizadas na Casa de Cultura Adolpho Bloch

O grupo de teatro Cena Perdida vai realizar audições nos dias 5 e 6 de setembro na Casa De Cultura Adolpho Bloch para selecionar o elenco de uma peça musical que deve estrear no ano que vem. A idéia é fazera montagem de um espetáculo que trata da última semana da vida de Jesus Cristo. Uma das responsáveis pela produção é Carla Carvalho que está entusiasmada para desenvolver este projeto.
Ela é atriz e por anos se preparou no Rio de Janeiro com profissionais especializados na montagem de musicais e agora quer movimentar a cena cultural de Teresópolis com essa novidade contando com pessoas oriundas da cidade. “O meu grupo de teatro já fez vários trabalhos em Teresópolis, todos com excelentes críticas e a gente que trazer uma novidade. A gente tem muita experiência e por isso vamos fazer uma audição para chamar todos a participarem desse musical que a gente está montando sobre a última semana de Jesus Cristo, como se fosse a Paixão de Cristo, mas musical. A gente quer fazer disso até um workshop, para ensinar para as pessoas tudo que a gente aprendeu de técnicas de canto, técnicas de interpretação cantando que é algo completamente diferente. A gente está com contatos que virão ajudar a gente e vai ser muito legal”, disse.

As audições serão na Casa de Cultura Adolpho Bloch

Inovação

O objetivo é conseguir inovar na construção dessa montagem, buscando um diferencial em relação aos padrões dos musicais tradicionais. Carla explicou que a idéia é realizar uma montagem com um ritmo diferente do habitual para este tipo de espetáculo, para tornar o espetáculo ainda mais interessante para o público teresopolitano: “Vai ser um musical bem rock e Teresópolis tem muitas bandas de rock, então acho que os fãs dessas bandas vão se interessar em ver algo que é no estilo musical que mais predomina aqui, então vai ser diferente dos clássicos de teatro musical”.
Jovens e adultos podem participar do teste para o espetáculo que vai precisar de bailarinos, cantores e atores. Os responsáveis pela produção irão avaliar a voz de todos no dia dos testes e, mesmo quem não tem experiência poderá terá sua chance.
“Pessoas de qualquer idade podem participar, a gente está divulgando no Facebook direto. A idade é do personagem, não da pessoa, que será caracterizada para o personagem. Será feito o registro vocal de cada um para depois definir que é tenor, barítono, soprano ou contralto. Vai ser nos dias 5 e 6 de setembro, às 19 horas na Casa de Cultura, mas para se inscrever tem que mandar um e-mail para cenaperdida@hotmail.com, a gente manda a ficha de inscrição para você preencher e escolher o dia que quer fazer a audição e a gente organiza e manda de volta”, explicou Carla.

 

 

Postado em CulturaComentário (1)

Sucesso absoluto no Festival da Cultura Popular

A quadrilha estilizada do Grupo Folclórico Brega e Chique foi aplaudida de pé

Milhares de pessoas prestigiaram o evento que lotou a praça da Casa de Cultura Adolpho Bloch

Do maracatu ao repentista, da quadrilha ao show de forró… Em grande estilo e com muita animação, os shows de Fernando Mello, com o ‘Seu Quixote e Chico Pança’, e de Wenderson Rosa encerraram na noite deste domingo, 25 de agosto, o Festival da Cultura Popular. Promovido pela Prefeitura, através da Secretaria de Cultura, em parceria com a Secretaria de Educação e ainda a concessionária de energia Ampla, o evento foi sucesso absoluto e agradou em cheio a população. Ao longo de cinco dias, milhares de pessoas passaram pelos arredores da Casa de Cultura Adolpho Bloch e conferiram as diversas atividades realizadas no local. Quadrilha, apresentações de maracatu e bumba meu boi, casamento na roça e diversos shows fizeram parte da programação, inteiramente com entrada franca.
“Um grande sucesso. O Festival da Cultura Popular superou até mesmo as nossas expectativas. Foram cinco dias de festa, trazendo a Teresópolis atrações diferenciadas para mostrar ao público a verdadeira cultura popular e comemorando da melhor forma o mês do folclore. Tivemos diversas manifestações artísticas, prestigiadas por milhares de pessoas ao longo do evento e que saíram satisfeitas. Tudo isso em clima totalmente saudável, sem nenhuma ocorrência ou qualquer problema. Um balanço 100% positivo”, comemora o Secretário de Cultura, Wanderley Peres.

Diversas manifestações artísticas foram apresentadas, como o Bumba Meu Boi

Atrações diurnas ganham o público

Iniciado na quarta-feira, 21, o Festival da Cultura Popular teve de tudo um pouco, com atividades de dia e à noite. De quarta, 21 a sexta, 23, foram realizadas durante o dia nas dependências da Casa de Cultura as oficinas e apresentações do Consciência Ampla Cultural – que fez parte do festival -, atendendo a cerca de 3.000 crianças, alunos da rede municipal de ensino. O desenhista Daniel Azulay foi uma das atrações. Já no sábado, 24, e no domingo, 25, as atrações aconteceram do lado de fora, no anfiteatro e arredores da Casa de Cultura. No sábado, as atrações começaram pela capoeira de mestre Cidinho, seguida pelos alunos de teatro infantil da Secretaria de Cultura, que encantaram a plateia com muitas parlendas, adivinhas e trava-línguas, orientados pela professora Jeanette Albuquerque.
Depois, um festival de cores tomou conta do lugar com a apresentação do Maracatu. Coordenado por Írio Lima, a atração teve a participação de 60 pessoas, integrantes dos projetos Pro-Jovem, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e Pólo do Idoso, que vieram diretamente de Guapimirim para o evento. Um ônibus da Prefeitura de Guapimirim trouxe o grupo, que encantou a plateia. Mais tarde, outra turma de teatro se apresentou, desta vez sob o comando de Ayrton Rebello, mostrando ao público a encenação do Bumba Meu Boi. Os músicos Fernando Mello, Andréa Sant’Anna, Arnaldo Almeida, Clara Gonçalves e Marcos André foram os responsáveis pela trilha sonora que embalou a encenação. E ainda no sábado, a bailarina Rafaela Ribeiro encantou a todos com a coreografia Esmeralda.

O divertido casamento na roça encantou e interagiu com a plateia

Cultura de Raiz especial

No domingo, mais atrações diurnas divertiram os visitantes. Logo pela manhã, uma edição especial do Cultura de Raiz movimentou o palco concha. Apresentado pelo engenheiro agrônomo Beto Selig, o evento teve a participação de diversos artistas: Trio Bico Seco, Zé Paulo, Mario do Violão, Moacir e Edson Rosa, Genaro da Zabumba e Tião do Triângulo, Írio Lima, Zé Luiz, Antônio Corino, Carmem Bartoly e Geremias Cruz, Zé Rodrigues, Wanda Pinheiro, Roninho, Paulo Medeiros, Banda Versão Brasileira, Daiane Maciel, Crésio da Vila, Paulo Carminatti e Rogério Barros.
Já à tarde, foi a vez da capoeira de Mestre Sorriso encantar o público, com a tradicional roda, mostrando ainda o maculelê e o samba. Em seguida, uma quadrilha tradicional teresopolitana, da Igreja de São Cristóvão, na Fonte Santa, alegrou quem estava na praça. Para quem ainda não tinha visto, uma nova apresentação do Bumba Meu Boi foi realizada e, logo depois, um dos momentos mais divertidos do dia: o casamento na roça, encenado pela turma de teatro do professor Adriano Ramires. No esquete, os atores não apenas atuaram, como interagiram com a plateia a todo momento. A encenação agradou em cheio e arrancou muitas risadas do público.
Ainda na tarde de domingo, a última das atrações diurnas foi aplaudida de pé. De Nova Iguaçu, o Grupo Folclórico Brega e Chique apresentou uma quadrilha estilizada, composta por 48 integrantes, tendo como tema as Brincadeiras de Criança. O figurino de época, muito colorido, despertou o interesse das pessoas, assim como a coreografia em si, embalada por músicas do cancioneiro popular. Marcador da quadrilha, Carlos Noronha ficou satisfeito. “O festival foi maravilhoso e a participação do público foi muito calorosa. Nós adoramos fazer este trabalho, mas quando encontramos um público como o de Teresópolis, o prazer é ainda maior”, disse.

O Festival da Cultura Popular contou com ampla praça de alimentação e também estandes de artesanato

Shows à noite garantem diversão

Além de todas as atrações realizadas durante o dia, diversos shows divertiram o público à noite entre os dias 21 e 25. O cantor e compositor Dudu Nobre participou de bate-papo no teatro da casa, cantando também diversos sucessos. Mas este foi só o início. Um grande palco em formato concha foi montado no anfiteatro da Casa de Cultura e por lá passaram diversos artistas. Írio Lima divertiu a plateia na quarta, 21, e a simpática dupla Bento e Mariano foi a atração de quinta, 22. Na sexta-feira, 23, Sandra de Sá lotou a Praça Juscelino Kubitschek e fez um show emocionante. Apresentou grandes sucessos de sua carreira, como ‘Olhos Coloridos’, ‘Solidão’ e ‘Retratos e Canções’ e desceu do palco para cantar no meio do público a consagrada ‘Bye-bye Tristeza’. “Maravilhoso chegar aqui e ver tanta gente. Um evento como este merece aplausos por divulgar a cultura”, enalteceu a cantora. A noite teve ainda a participação do DJ Ricabreu, que embalou o público com a música mecânica.

O Trio Bico Seco foi uma das atrações da edição especial do Cultura de Raiz, realizada dentro do festival

Noite nordestina

No sábado, 24, a noite foi nordestina. Primeiro, o show de Zé da Onça e Sua Gente, diretamente da Feira de São Cristóvão para Teresópolis, que embalou casais ao som de muito forró, como ‘Que nem jiló’ e ‘O último pau de arara’. Depois, os repentistas Eri e Silvânia, que arrastaram uma multidão. Até quem estava nos estandes saiu correndo para assistir um pouco da divertida embolada apresentada pelos artistas. E, por fim, o show do Caraforró, também da Feira de São Cristóvão. Liderada por Gilberto Teixeira, a banda agradou com inúmeros sucessos como ‘Luiz respeita Januário’, “Vida viajante’, ‘Coronel Antônio Bento’ e ‘Asa Branca’. “Parabéns à Secretaria de Cultura por este festival. O Brasil precisa de projetos como este, que valorizam a cultura de raiz, a autêntica arte brasileira”, comentou Gilberto, que tem forte ligação com Teresópolis.
Finalmente no domingo, 25, foi a vez de Fernando Mello e o show ‘Seu Quixote e Chico Pança’, que também colocou todo mundo pra dançar ao som de muito forró. ‘É proibido cochilar’, ‘Esperando na janela’ e ‘Táxi Lunar’ estiveram no repertório do show. E, encerrando o evento em grande estilo, Wenderson Rosa e Banda Expressão Brasil. Na apresentação, clássicos da música sertaneja, como ‘Panela Velha’ e ‘Evidências’, ‘Couro de boi’ e ‘Peão de estância’ e, é claro, sucessos do sertanejo universitário, como ‘Camaro Amarelo’ e ‘Ai se eu te pego’.

Os repentistas Eri e Silvânia agradaram em cheio

Cidade cenográfica: um show à parte

Parte fundamental da festa, a cidade cenográfica montada pela equipe da Secretaria de Cultura, com coordenação do designer e artista plástico Ricardo Guarilha, foi um show à parte. Com inúmeros detalhes e uma simpática igrejinha, a decoração caiu nas graças do público e foram muitos os que fizeram questão de registrar o momento com fotos. “Eu adorei. Achei muito legal. Fiquei curioso em ver tudo de perto e fiz questão de fazer fotos. Incrível”, disse Rômulo da Silva.
A igrejinha, aliás, não foi apenas decorativa. Ao contrário, teve papel fundamental na encenação do casamento na roça, sendo o cenário do esquete. A decoração contou ainda com pórtico, banners e paineis personalizados, o Cantinho da Cultura, com informações, e uma sala de artesanato, onde ficaram expostos artigos de artesanato típicos do Nordeste, como esculturas em barro.
Para atender o público em todas as suas necessidades, a festa teve ainda ampla praça de alimentação, com os mais deliciosos quitutes típicos de um bom arraial, e também diversos estandes de artesanato, explorados pelas artesãs do Espaço Mulher e do Cultura de Raiz. Para a criançada, além das atrações em si, a diversão ficou garantida com estandes de brincadeiras como pescaria, tiro ao alvo, chute a gol e boliche eletrônico, além de um parquinho montado ao longo da tarde no sábado e no domingo com escorrega inflável, cama elástica, touro mecânico e piscina de bolas.

A cidade cenográfica fez enorme sucesso

Público aplaude e comerciantes comemoram

Durante os cinco dias de atrações, o público foi só elogios. O empresário João Luiz Pires e a mulher Regina foram ao festival na sexta, para assistir Sandra de Sá, e, satisfeitos, voltaram no sábado. “Maravilhoso. Tudo aqui ficou ótimo. Bonito, prático, acessível e tranquilo”, comentou Regina. “Parabenizo a Prefeitura de Teresópolis pelo Festival da Cultura Popular. Espero que esta iniciativa se repita sempre, utilizando este espaço, pois tenho certeza que os moradores de Fátima e bairros vizinhos se sentiram prestigiados”, elogiou João.
Os amigos Katia Alves e Rafael Protasio também fizeram dobradinha e se divertiram. “Ficamos encantados ontem, tínhamos que voltar. Muito interessante o projeto”, disse Katia. “Os shows estão ótimos. E a embolada foi 10. A cidade precisa de projetos assim”, completou o amigo.
Alessandra Ázara foi com toda a família passar o domingo no festival. “A programação foi ótima, a organização perfeita e o cenário lindo. Não tem o que comentar. Simplesmente nota 10!”, destacou Alessandra. “Realmente impressionante. Valeu a pena vir”, disseram Diana Guimarães e Vera Lúcia Ázara, sogra e mãe de Alessandra. As filhas, Diana e Alice, também se divertiram e queriam mais.

Satisfação geral

Entre os expositores, tanto do artesanato, como da alimentação, o clima também era de satisfação no último dia de evento. “Eu expus até sábado e só parei porque meu estoque acabou. Mesmo assim, voltei só para aproveitar. Achei o festival maravilhoso. Shows divinos, cenário incrível. Como vi gente parando para fazer fotos no cenário… E todas as atrações em um horário legal, acessível a todos. Não há o que falar: perfeito! Parabéns à Prefeitura pela festa! Que venham muitos outros”, elogiou Maria de Oliveira Medeiros. “Não tenho do que reclamar. Foi ótimo”, comentou Tatiana Moreira, que explorou estande na praça de alimentação. “Foi excelente.. Tomara que outros festivais como este sejam realizados. O espaço foi muito bem aproveitado e a festa ficou simplesmente maravilhosa”, completou Ana Alice Araújo.

 

Postado em Banner principal, CulturaComentário (0)

Festival da Cultura Popular recebe grande público

Festival da Cultura segue até domingo com muitas atrações que vão até a noite

– A cantora Sandra de Sá é a atração principal do evento nesta sexta-feira

 

O Festival da Cultura Popular de Teresópolis teve início nesta quarta-feira e segue até domingo variadas atrações, inclusive com a realização simultânea do Consciência Ampla Cultural, com três dias de atividades voltadas para os alunos da rede municipal de ensino, contribuindo com a programação na Casa de Cultura Adolpho Bloch. O evento tem entrada franca e terá a cantora Sandra de Sá se apresentando nesta sexta-feira.
Foi montada uma grande estrutura nos arredores do prédio com palco, cidade cenográfica e bandeirinhas criando um clima de arraia. Até o próximo domingo, serão cinco dias inteiros com, comidas típicas, danças regionais, artesanato, oficinas, bate-papo, apresentação de quadrilha e diversos shows.
Com o tema “O Brasil que os brasileiros ainda não conhecem”, a Ampla está promovendo atividades como oficinas, contação de histórias, teatro, shows e bate-papo com artistas.
Na abertura oficial do evento realizada na noite desta quarta-feira, o público lotou o auditório para assistir a um bate-papo com o cantor Dudu Nobre que também cantou alguns de seus maiores sucessos, como parte da segunda edição do evento da Ampla.

Vice-Prefeito Marcio Catão e Prefeito Arlei com o Secretário de Cultura Wanderley Peres na abertura do evento

Presenças ilustres

Estiveram presentes ao evento o prefeito Arlei, o vice-prefeito Márcio Catão, o Secretário de Cultura Wanderley Peres, de Educação Leonardo Vasconcelos, de Segurança Pública Marco Antonio da Luz, de Governo José Carlos Cunha e alguns vereadores.
Arlei deu os parabéns pela realização do evento. “Parabenizo a Secretaria de Cultura por este grande evento e agradeço à Ampla por trazer à nossa cidade este projeto maravilhoso. Me sinto feliz e realizado ao ver os resultados positivos desta bela parceria”, comentou.
O secretário Wanderley Peres destacou que o Festival da Cultura Popular é um evento de grande porte, unindo os esforços da prefeitura e da Ampla para oferecer conhecimento, entretenimento e arte à população durante os cinco dias. “Esse Festival da Cultura Popular que acontece do lado de fora da Casa de Cultura, é um evento piloto, pela primeira vez, em 25 anos, foi montado um palco concha no anfiteatro, com iluminação e som de qualidade, usando também a área externa como praça de alimentação, todos os cantos com atrativos, sempre dosados para que não haja excessos em tipos de comida ou de atrações. É uma experiência para que a gente faça outras festas nesse espaço, de repente até revitalizando a Festa das Colônias, que é um projeto antigo, no início do ano que vem, também nesse formato com cenários. Nesse caso aqui, temos uma cenografia de cidade do interior, onde vão funcionar a secretaria e oficinas de artesanato”.

Cantor Dudu Nobre foi a grande atração do primeiro dia do Festival de Cultura Popular

Poder público e a iniciativa privada

O vice prefeito Márcio Catão destacou o sucesso do trabalho conjunto entre o poder público e a iniciativa privada: “O mais extraordinário é a evolução no processo cultural do município. A Ampla não costuma repetir as cidades nesse projeto que é itinerante, mas a empresa enxerga Teresópolis como uma cidade acolhedora, que realmente deu valor ao processo produtivo deles. É importante ainda o nosso processo interno entre as secretarias de estarem interagindo na compreensão que o povo precisa ser educado da maneira cultural mais correta. Hoje a gente vê a Secretaria de Educação, a Secretaria de Serviços Públicos, enfim, um grupo de secretários trabalhando junto com o secretário de Cultura e dando esse aporte. Isso é uma evolução muito grande dentro do nosso processo administrativo. É lindo de se ver o auditório lotado, lá fora lotado e a população participando desse evento”.
Leonardo Vasconcelos exaltou a possibilidade de fortalecer o aprendizado dos estudantes da rede municipal: “Com certeza a participação da Ampla, nesse convênio com a Secretaria de Cultura, torna muito importante a Educação participar disto porque a gente oportuniza que os alunos de nossa cidade tenham acesso a tudo de melhor que o Brasil tem. A Ampla trazendo isso com a Secretaria de Cultura engrandece a nossa cidade. Eu só tenho a agradecer por esta oportunidade. Nós temos ajudado e colaborado com o público. Fazer cultura torna a Educação melhor”.

Um palco em concha leva shows diário para a praça da Casa de Cultura

Difusão da cultura brasileira

Beatriz Stutzel, representante da Ampla, enfatizou a importância de investir na difusão da cultura brasileira: “A nossa empresa entende a Cultura e a Educação como pontos fortes para a sociedade em que estamos inseridos. A Ampla acredita muito nos projetos e é por isso que tem esse tema: “O Brasil que você ainda não conhece” é um resgate de uma cultura tão rica dos quatro cantos do país. A gente consegue ver aqui o rostinho das crianças quando assistem desde o Bumba-meu-boi até uma grande ciranda, muitas manifestações culturais que foram se perdendo ao longo do tempo. A parceria entre a iniciativa privada e o Órgão Público é muito importante. Quem tem a ganhar é a comunidade, como está acontecendo aqui. Nós agradecemos muito à prefeitura e às Secretarias de Cultura e Educação”.
Na tarde desta quinta-feira, estudantes da rede municipal de Educação se divertiram com uma oficina de desenho com Daniel Azulay. O artista contou histórias e levou muitas brincadeiras, ensinando algumas dicas para que os pequenos alunos pudessem tentar reproduzir os desenhos que ele fazia no palco.
O desenhista, que fez muito sucesso nas décadas de 70 e 80 na TV, mostrou que ainda está em plena forma, cativou a criançada e ainda alguns adultos que recordaram dos tempos de infância.
“O Daniel Azulay faz parte do imaginário coletivo de várias gerações e está aqui fazendo parte dessa nova geração também. A programação vai até domingo, sempre com shows todas as noites, pode vir e trazer sua família que você vai ficar satisfeito”, disse o subsecretário de Cultura Arnaldo Almeida.
Zé da Onça e o grupo Caraforró, ambos da Feira de São Cristóvão, se apresentam no sábado, 24, e Fernando Mello (Seu Quixote e Chico Pança) e Wenderson Rosa e Banda Expressão Brasil são as atrações de domingo, 25, encerrando o evento.

Criançada se divertiu com o desenhista Daniel Azulay em um oficina realizada na tarde desta quinta-feira

Decoração divertida e muitos quitutes

Uma verdadeira cidade cenográfica, bem colorida, foi confeccionada pela equipe da Secretaria de Cultura e dará um toque completamente diferente à Casa de Cultura. Pórtico, lanternas, bandeirinhas e cerca complementam a decoração.
O palco em formato concha, onde serão realizadas diversas atividades, inclusive os shows, está montado no anfiteatro da Casa de Cultura, facilitando o acesso do público. E também já está montada na Praça Juscelino Kubitschek a praça de alimentação do evento, onde os visitantes poderão encontrar as mais variadas guloseimas típicas de uma festa ‘agostina’. Explorados pelas paróquias católicas do município, os estandes de alimentação terão seu lucro revertido em prol de projetos sociais realizados pelas igrejas. Para a criançada, um parquinho de diversões estará disponível.
Além disso, agregando valor ao evento, a feira de artesanato Espaço Mulher será levada ao Festival da Cultura Popular, funcionando excepcionalmente nesta sexta e sábado nos arredores da Casa de Cultura. A feira, que normalmente funciona na Praça Balthasar da Silveira, desta vez mudará de endereço, levando para o festival artigos de confecção, artesanato e lanche confeccionados exclusivamente por mulheres.

 

Postado em Banner principal, ColunistasComentário (0)

Ampla realiza festival de cultura em Teresópolis

A cantora Santa de Sá é a atração especial da sexta-feira, 23 de agosto

– Evento levará costumes e tradições da cultura popular brasileira ao município a partir do dia 21

Artistas, contadores de histórias e grupos de dança movimentarão a cidade de Teresópolis, no Estado do Rio de Janeiro, entre os dias 21 e 23 de agosto. Promovido pela distribuidora de energia Ampla, o “Consciência Ampla Cultural – o Brasil que você ainda não conhece” tem por objetivo levar ao público da cidade e entorno costumes e tradições de cada região brasileira. Serão apresentados ritos, lendas e ritmos que ajudaram a formar o país como conhecemos hoje. O festival, que terá entrada gratuita e acontecerá na Casa de Cultura Adolpho Bloch (localizada na Praça Juscelino Kubitschek, no bairro Nossa Senhora de Fátima), terá programação voltada para públicos de diferentes faixas etárias.

O desenhista Daniel Azulay estará em Teresópolis na quinta-feira, dia 22

Manifestações culturais

Durante três dias, o público conhecerá diversas manifestações culturais brasileiras, por meio de apresentações, oficinas, exposições, bate-papos, entre outras atividades. Será possível participar de encontros com grandes nomes da música brasileira como Dudu Nobre e Sandra de Sá. O público infantil também terá diversão garantida no “Consciência Ampla Cultural”.  O desenhista Daniel Azulay irá interagir com as crianças usando a arte e desenho. O grupo “Baú que Conta e Canta” fará uma apresentação com lendas e fábulas do folclore brasileiro contadas por meio da música e da literatura.
O grupo Cazumbaque, formado por dançarinos, cantores e percussionistas, apresentará os ritmos e danças do país, como o Maracatu, Coco de Roda, Jongo, Samba de Roda e Bumba meu Boi. Nas oficinas de danças típicas, música, pintura e brinquedo com material reciclado, o público presente será convidado a explorar o lado artístico de cada um. Além disso, crianças e adultos entrarão no universo mágico da literatura de cordel.
O evento conta ainda com uma exposição de fotografias sobre o Jongo da Serrinha, tradição afro-brasileira que perdeu espaço nos morros cariocas. O autor das fotos é o fotógrafo italiano Alcinoo Giandinoto, colaborador da ONG Jongo da Serrinha, que realiza um trabalho de resgate desta tradição. Em todos os dias do evento, será exibido o documentário Mulatas, de Walmor Pamplona, que explora o papel delas na cultura popular e no Carnaval.  Serão entrevistadas 13 mulatas de escolas de samba do Rio de Janeiro de diferentes gerações, para compor um retrato de personagens fundamentais da cultura popular.

Sobre o Consciência Ampla Cultural

O “Consciência Ampla Cultural” faz parte da plataforma de responsabilidade social da distribuidora de energia elétrica, o “Consciência Ampla”, com foco em Educação para o consumo consciente nas comunidades atendidas pela distribuidora. O programa prevê ações práticas, educacionais e profissionalizantes que envolvem também temas como a segurança, o meio ambiente e os direitos e deveres dos cidadãos.

Programação

21/08 Quarta-feira

– Oficina de Danças Típicas: 9h, 13h30 e 15h; Oficina de Música: 9h, 13h30 e 15h; Oficina de Pintura: 9h, 11h, 13h30 e 15h; Oficina de Brinquedo: 9h, 11h, 13h30 e 15h.
– Atividades: Manifestações de Samba de Roda, Jongo, Coco de Roda e Maracatu com o Grupo Cazumbaque: manhã e tarde (horários surpresa); Vídeos Educativos: 10h a 21h; Literatura de Cordel: 10h; Contação de Histórias: 10h, 13h30 e 15h.
– Espaço Bate Papo: Solenidade de Abertura e bate-papo com cantor e compositor Dudu Nobre: 19h.

22/08 Quinta-feira

– Oficina de Danças Típicas: 9h, 13h30 e 15h; Oficina de Música: 9h, 13h30 e 15h; Oficina de Pintura: 9h, 11h, 13h30 e 15h; Oficina de Brinquedo: 9h, 11h, 13h30 e 15h.
– Atividades: Manifestações de Samba de Roda, Jongo, Coco de Roda e Maracatu como Grupo Cazumbaque: Horários surpresa; Vídeos Educativos: 10h às 21h; Literatura de Cordel: 10h; Contação de histórias: 10h, 13h30 e 15h.
– Atração Especial: Show com o desenhista Daniel Azulay: 15h.

23/08 Sexta-feira

– Oficinas: Oficina de Danças Típicas: 10h, 13h30 e 15h; Oficina de Música: 9h, 13h30 e 15h; Oficina de Pintura: 9h, 11h, 13h30 e 15h; Oficina de Brinquedo: 9h, 11h, 13h30 e 15h.
– Atividades: Manifestações de Samba de Roda, Jongo, Coco de Roda e Maracatu como Grupo Cazumbaque: manhã e tarde (horários surpresa); Vídeos Educativos: 10h às 21h; Literatura de Cordel: 10h;
– Contação de Histórias: 10h, 13h30 e 15h
– Atração especial: Show com a cantora Sandra de Sá: 19h.

 

Postado em Sem categoriaComentário (0)

Daniel Azulay: “Passei minha infância em Teresópolis”

O ateliê da Casa de Cultura ficou cheio de pessoas que partiparam da oficina de desenho oferecida pelo artista Daniel Azulay

Artista passou pela cidade nas atrações do Festival de Artes de Teresópolis

 

Quem tem idade na faixa dos 40 lembra bem dele: Daniel Azulay. O cantor e desenhista, que apresentava programas infantis entre os anos de 1976 e 1986 nas TVs Educativa e Bandeirantes, passou por Teresópolis na terça e quarta-feira desta semana. Azulay ministrou uma oficina de desenho na Casa de Cultura Adolpho Bloch, em Araras, dentro do Festival de Artes de Teresópolis. O ateliê da casa ficou pequeno para receber o grande número de pessoas que comparecer para desenhar e fazer arte.
Com uma gravata colorida, óculos de aros arredondados e o inconfundível sorriso, ele revelou que passou parte de sua infância em Teresópolis. “É um grande prazer estar aqui. Estou feliz, passei minha infância em Teresópolis, no Quebra Frascos. Tenho uma ligação afetiva enorme, é um prazer retornar sempre que posso à cidade”, revela.

Daniel Azulay, artista que encantou toda uma geração, esteve em Teresópolis ministrando uma oficina de desenho e arte

A Arte e Seus Desígnios

O artista comandou a oficina “A Arte e Seus Desígnios”, utilizando práticas de desenho, recorte, colagem, pintura e modelagem. “A garotada está aqui a todo vapor. Eu tenho um ditado que diz ‘Criança que desenha não passa a infância em branco’. É uma lembrança para os pais de que essa fase é maravilhosa na vida e que pode ser preenchida, além de atividades criativas, com o desenho que é um grande combustível para a imaginação e para a criatividade”, detalha. “É uma experiência de mais de duas décadas. A oficina de desenhos começou por sugestão dos pais que me escreviam, tanto na TVE quanto na Bandeirantes, falando sobre o talento e aptidão dos filhos para desenho. Quando saí da televisão, passei dez anos me dedicando, dando aulas, formatando a oficina, que é um curso que já tem 22 anos”, conta Azulay, que falou também sobre o trabalho social que desenvolve: “É o Crescer com Arte, onde damos gratuitamente acesso ao desenho, à expressão artística para crianças de comunidades carentes ou em situação de risco. Esse trabalho já recebeu um prêmio de Voluntário do Ano e ajuda a criança a desenvolver sua imaginação e alcançar uma geração de renda”.
O artista não está mais na TV. Daniel Azulay diz que pode ser encontrado diariamente caminhando pelas ruas no Rio de Janeiro, sua cidade natal. “Estou também na internet com minhas atividades, meus vídeos. É o melhor lugar para me encontrar. A televisão mudou muito e a programação hoje é diferente. Principalmente as crianças têm outros canais de comunicação através da internet, TV a cabo, DVDs, games de bolso e jogos eletrônicos. Mudou bastante, para melhor”, opina.

Falando à Diário TV, Daniel Azulay lembrou de sua infância no Sítio que sua família possuía em Quebra Frascos

Educar com arte

Para ele, a arte deve estar sempre presente no processo educacional da criança. “Educar com arte. Às vezes, por uma razão qualquer, não existe o emprego, o acesso à escola. De forma independente o indivíduo pode adquirir aptidão artística, com a capacitação adequada, e encontrar nisso uma profissão, uma atividade remunerada e até um projeto de vida. No desenho encontramos equilibro emocional, autoestima e a construção de uma personalidade útil”, garante.
Finalizando, Daniel Azulay destaca a importância de iniciativas como a que trouxe o Festival de Artes de Teresópolis. “Espero voltar em breve e agradeço a oportunidade do Festival de Artes de Teresópolis, da Água Grande Produções, enfim, todo esse trabalho, esforço coletivo. Não só pelo desenho, mas em todo esse encontro que envolve dança, música, literatura, poesia. É um festival que constrói e ajuda na diversificação de identificar a criança brasileira com a cultura do seu próprios país”, finaliza.

João Bosco abriu o Festival das Artes de Teresópolis

Confira a programação dos próximos dias do festival.

Oficinas de Arte – Até sexta-feira, dia 7, acontecem oficinas de criação artística direcionadas ao público em geral, mas principalmente aos educadores. Com acesso gratuito, as atividades acontecem na Casa de Cultura Adolpho Bloch (Praça Juscelino Kubitschek, Araras), no Centro Cultural Feso Pró-Arte (Rua Gonçalo de Castro, 85 – Alto), nos Espaços Arte e Conhecimento, Cultura das Artes e Criar e Contar Histórias (Praça Higino da Silveira – Feirinha de Teresópolis – Alto).
Nesta quinta, dia 6, e sexta, 7, das 9h às 12h e de 14h às 17h, na Casa de Cultura, o artista plástico Deneir, na oficina ‘Para criar é preciso brincar’, conduzirá os participantes a criar ciclos de vida para objetos descartados. Artista plástica com longa experiência em projetos de arte-educação, a artista plástica A. Cássia apresentará a oficina ‘Criar para transformar’, com a transformação de caixas de papelão, tampinhas de garrafa e CDs usados em objetos decorativos. Também na quinta e sexta, no Centro Cultural Feso Pró-Arte, das 9h às 12h e de 14h às 17h, o artista plástico Jarbas Lopes, na oficina ‘Arte e liberdade’, conduzirá os participantes a apresentar o pensamento e a expressar no papel as suas idéias. Já o artista Domi Junior integrará as técnicas de desenho a imagens presentes no cotidiano dos participantes para a composição de figuras na oficina ‘A arte de colar’.

 

Mostra de Ciência e Meio Ambiente

– Até sexta, dia 7, será realizada a Mostra Ver Ciência Teresópolis, com a exibição de programas de TV com temáticas sobre ciência e tecnologia produzidos no Brasil e em vários países. A mostra comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho. A mostra acontece na Casa de Cultura Adolpho Bloch e na Escola Estadual Euclydes da Cunha (Rua Melo Franco, 608 – Alto).

Bia Bedran – Na sexta-feira, 7, às 14h, e no sábado, 8, às 11h, a atração será o espetáculo musical ‘Histórias da Mãe Natureza’, com a renomada contadora de histórias e educadora Bia Bedran. A artista contará duas histórias de Ana Maria Machado: ‘Um problema chamado coiote’ e ‘A briga da Terra com o Ar’. A apresentação terá a participação de Paulão Menezes (percussão), Tadeu Santiago (teclado e acordeom), Alexandre Maionese (flauta e flautim) e Elias Rosa (percussão e dança). O local é o Espaço Arte e Conhecimento, na Praça Higino da Silveira, a da Feirinha de Teresópolis, no Alto.

Contação de histórias sábado e domingo

– O fim de semana do Festival de Artes de Teresópolis será marcado por uma sessão de contação de histórias no Espaço Criar e Contar Histórias, na Praça Higino da Silveira – a da Feirinha de Teresópolis, no Alto.
No sábado, 8, a contadora de histórias, escritora e produtora cultural Benita Prieto apresenta o espetáculo ‘Histórias sem fronteiras’, seleção de contos populares e autorais para todas as idades, às 10h e 12h30. Já a escritora e arte-educadora Lúcia Fidalgo vai apresentar contos literários para despertar o prazer e o gosto pela leitura às 10h30 e 13h30.
Já no domingo, 9, haverá o espetáculo ‘O baú que conta e canta’, com a arte-educadora e pedagoga Silvia Ferraz e o cantor e compositor Marcelo Peregrino, às 10h e 12h. Nas apresentações, os artistas interagem com o público misturando literatura e música. Às 13h30, a escritora Andréa Viviana Taubman lança o seu mais recente livro ‘Rosa Formosa’, com ilustração de Eliana Delarissa, uma história de respeito às diferenças. Ela apresentará histórias de sua autoria que levam as crianças a sonhar com um mundo melhor.

Teatro

– Sábado, 8, das 14h às 20h, e domingo, 9, das 11h às 17h, a Mostra de Teatro de Teresópolis vai movimentar o Espaço Arte e Conhecimento, na Praça Higino da Silveira – a da Feirinha de Teresópolis, no Alto. São nove espetáculos elaborados, dirigidos e encenados por artistas e produtores teatrais da cidade: Grupo Pirueta, GT de Artes Cênicas de Teresópolis, Grupo Os Brômios, Cena Perdida, Cia Teatral Fantasia, Hocus Pocus, Pick Cola, Trupe Circonflexo e Ayrton Rebello.

 

Postado em Banner principal, CidadeComentário (1)


Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...