Tag Arquivo | "Matriz de Santa Tereza"

Católicos da cidade participam da Semana da Família

A Igreja de Santa Rita, no Meudon, terá o encontro no sábado, 17, onde o tema será “Iniciação Cristã, educação para a felicidade”

Missas e bênçãos do Santíssimo Sacramento acontecem em todas as paróquias de Teresópolis

Começou nesta segunda-feira e segue até o dia 19 de agosto, a Semana Nacional da Família. Durante os dias, as matrizes das paróquias da cidade vão sediar celebrações especiais, como homilias preparadas dentro dos temas sugeridos, ligados ao ambiente da casa. Ao final de cada missa, passeio e bênção do Santíssimo Sacramento.

O tema deste ano será “A transmissão e educação da fé cristã na família”. As celebrações começam sempre às 19h30.
Os encontros começaram na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Barra. Nesta terça-feira, dia 13, será na Paróquia de São Judas Tadeu. O tema da noite será “Desafios Cristãos na Educação dos Filhos na Fé”. Na quarta-feira, 14, o local escolhido é a Igreja de Santa Teresa, na Várzea, com o tema “Valores que permanecem na memória da educação dos filhos na Fé”. Quinta-feira, 15, a matriz de Santo Antônio, no Alto, terá o tema “Educar pela presença dos pais, modelos de virtudes e valores humanos”. Já na sexta, 16, será a vez da paróquia de São Cristóvão, em Fonte Santa, onde a homilia vai falar sobre “Educar com fortaleza e docilidade de alma”. A Igreja de Santa Rita, no Meudon, terá o encontro no sábado, 17, onde o tema será “Iniciação Cristã, educação para a felicidade”. O encerramento do evento será na segunda, 19, na paróquia de São Pedro, onde o assunto será “Projeto de vida pessoal e familiar”.

Na quarta-feira é a vez da Matriz de Santa Tereza receber a celebração especial da Semana da Família

Papa envia bênção

O Papa Francisco enviou uma benção apostólica para os fiéis, comunidades e paróquias que participam, no Brasil, da Semana Nacional da Família. O evento é animado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB.
A seguir, a íntegra da mensagem do Papa Francisco:

Queridas famílias brasileiras:

Guardando vivas no coração as alegrias que me foram proporcionadas durante a recente visita ao Brasil, me sinto feliz em saudá-las por ocasião da Semana Nacional da Família, cujo tema é “A transmissão e a educação da fé cristã na família”, encorajando os pais nessa nobre e exigente missão que possuem de ser os primeiros colaboradores de Deus na orientação fundamental da existência e a segurança de um bom futuro. Para isso, “é importante que os pais cultivem as práticas comuns de fé na família, que acompanhem o amadurecimento de fé dos filhos” (Carta Encíclica. Lúmem Fidei, 53). Neste sentido, os pais são chamados a transmitir, tanto por palavras como, sobretudo pelas obras, as verdades fundamentais sobre a vida e o amor humano, que recebem uma nova luz da Revelação de Deus. De modo particular, diante da cultura do descartável, que relativiza o valor da vida humana, os pais são chamados a transmitir aos seus filhos a consciência de que esta deva sempre ser defendida, já desde o ventre materno, reconhecendo ali um dom de Deus e garantia do futuro da humanidade, mas também na atenção aos mais velhos, especialmente aos avós, que são a memória viva de um povo e transmissores da sabedoria da vida. Fazendo votos de que vocês, queridas famílias brasileiras, sejam o mais convincentes arautos da beleza do amor sustentado e alimentado pela fé e como penhor de graças do Alto, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, a todos concedo a Benção Apostólica.
Francisco

 

Postado em Banner principal, CidadeComentário (0)

Coro Lírico Acrópolis encanta plateia no Música na Matriz

O coro foi regido por Agnes Silva e encantou a plateia

– Com 25 componentes, sob a regência do maestro Agnes Silva, o grupo apresentou concerto eclético

Na tarde do último domingo, 2 de junho, foi realizada na Matriz de Santa Teresa, na Praça Balthasar da Silveira, no Centro, mais uma edição do projeto Música na Matriz. Promovido pela Prefeitura de Teresópolis, através da Secretaria de Cultura, desta vez o projeto teve como atração o Coro Lírico Acrópolis, de Nova Friburgo, que encantou a plateia com peças clássicas e contemporâneas.
“Com mais de 15 anos de existência, o Música na Matriz é um projeto sólido, que conquistou um público seleto e fiel. Por esta razão, primamos cada vez mais pela escolha de artistas de qualidade, oferecendo à população e turistas concertos de alto nível, como foi o caso do Coro Acrópolis. Ver as pessoas satisfeitas ao fim de cada apresentação é nosso maior reconhecimento”, comentou o Secretário de Cultura, Wanderley Peres.

O Coro Lírico Acrópolis, de Nova Friburgo, foi a atração de domingo do Música na Matriz

Repertório eclético

Com 25 componentes, sob a regência do maestro Agnes Silva, o Coro Lírico Acrópolis apresentou um concerto eclético, com repertório que incluiu trechos de óperas famosas, números sacros e ainda canções contemporâneas. Entre as peças, destaque para Perhaps Love, de Plácido Domingo, interpretada com a participação do solista Marcos Medeiros. Destaque ainda para a ária Zarastro, da ópera A flauta Mágica, a canção Adiemos, da Enya, e a consagrada Yesterday, dos Beatles. No encerramento, Ave Maria, na voz do regente Agnes Silva, levando o público a aplaudir de pé o espetáculo. A apresentação teve ainda a participação da pianista Mirian Schenguert, que acompanhou o grupo ao longo de todo o concerto.
Ao fim da apresentação, Agnes se mostrou satisfeito. “Não é nossa primeira vez em Teresópolis e, novamente, fomos muito bem recebidos. Só temos a agradecer pelo convite e pelo enorme carinho”, comentou o maestro, ao lado do Subsecretário de Cultura, Arnaldo Almeida, que prestigiou a apresentação.
Criado em 1994, o Projeto Música na Matriz é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura, tem a coordenação da professora Célia Seabra e conta com apresentações mensais, sempre no primeiro domingo de cada mês, na Matriz de Santa Teresa, no Centro.

 

 

Postado em CulturaComentário (0)

Corpus Christi é celebrado em Teresópolis

Monsenhor Antônio Carlos e o Sagrado Sacramento, pelas ruas do centro da cidade em evento que reuniu centenas de fieis

Corpus Christi. A comunidade católica celebra O Corpo de Cristo no Sagrado Sacramento em procissão por todas as ruas do mundo inteiro. Em Teresópolis, todas as paróquias tiveram sua manifestação da fé pelas vias do município. A da Matriz de Santa Tereza, rodou pelas ruas do centro da cidade, com muita música, louvor e uma grande quantidade de fieis acompanhando os padres que empunhavam o ostensório com a Hóstia Consagrada.

Postado em Banner principal, CidadeComentário (0)

Homem furta caixa de ofertas da Igreja de Santa Tereza

Homem foi detido e levado para a DP, mas acabou sendo liberado

– Após invasão, morador do Caleme saiu correndo pela praça da Matriz

Nas últimas semanas, diversos ataques a templos religiosos têm sido registrados em Teresópolis, principalmente católicos. No final da tarde desta segunda-feira, um homem foi ainda mais ousado: Ele entrou na Igreja de Santa Tereza, pegou a caixa de ofertas e saiu correndo pela praça da Matriz. Revoltados, frequentadores do principal templo católico no município começaram a gritar e acionaram a Guarda Municipal. O homem acabou sendo detido ainda na praça. “Ele pegou a caixa inteira, colocou nas costas e saiu correndo. Daí populares pediram apoio e o Azevedo conseguiu segurá-lo, acionando a Polícia Militar”, explicou o Guarda Municipal Lopes. Confira a matéria completa em nossa edição impressa. Nas bancas.

 

Postado em Banner principal, PolicialComentário (0)

Mais um templo religioso é invadido em Teresópolis

Após invadir a paróquia, furtaram dois aparelhos de Datashow e um notebook

– Igreja Sagrado Coração de Jesus foi o quarto alvo da bandidagem em menos de duas semanas

Depois da Matriz de Santa Teresa, da Capela de Pimenteiras e de um templo batista na localidade de Jardim Suspiro, a Igreja Sagrado Coração de Jesus, na Barra do Imbuí, foi vítima da bandidagem em Teresópolis. Invadiram a paróquia e furtaram dois aparelhos de datashow e um notebook. O furto foi registrado no plantão da 110ª Delegacia de Polícia pelo Sacerdote Mário José Coutinho, pároco da igreja católica da Barra. Nenhum suspeito foi apontado para o crime. Vale lembrar que quem adquirir produtos furtados pode ser autuado em flagrante por receptação, que pode render até três anos de cadeia. Os policiais pedem que a população denuncie atos ilícitos pelo telefone 2742-7755. Não é necessário se identificar. Confira a matéria completa em nossa edição impressa. Nas bancas.

 

Postado em Banner principalComentário (0)

HISTÓRIA: “Claudina não era nenhuma santa”

 

claudine thevenet

É comum ouvirmos, e até já se escreveu em livros, que a antiga capela de Santa Teresa chamava-se “capela de Santa Claudina”. Derrubada em 1927 para a conclusão das obras de construção do atual templo, a igrejinha da Várzea teria o orago, até então, à santa católica Claudia Thévenet (1774-1837).

Da mesma forma que não resistiu à pesquisa histórica a lenda das “constantes visitas da Imperatriz Teresa Cristina à Teresópolis”, a nomeação de Santa Claudina à antiga capela da Várzea também não passa de um mito. A igreja sempre teve invocação à Santa Teresa e os documentos, embora raros, bem provam isso.

Capela de Santa Tereza

Dez anos depois da morte de George March e, retalhadas suas terras, ao mesmo tempo em que, em 1855, tornava-se a capela de Santo Antonio, no bairro do Alto, a matriz da freguesia, era construída na Várzea, a capela de Santa Teresa. Mas, enquanto a já existente capela de Santo Antônio passava a ser responsável pelos ofícios católicos da emergente freguesia de Therezopolis, a da Várzea, apesar de atender um bairro também com possibilidade de emergir-se, subordinava-se à do Alto onde, à época, ficavam as terras mais valorizadas do lugar.

E é, vamos ser sinceros, na questão das terras que residem os interesses e a história das nossas duas capelas primitivas.

Ainda sem o relógio, a igreja de Santa Teresa no início dos anos 1940

Divisão da Fazenda March

Extinta a Fazenda March e dividida sua propriedade, as glebas maiores ficavam com sedes no Alto e na Várzea. Área mais desenvolvida, já sede da grande Fazenda dos Órgãos, as melhores terras do Alto, atendidas pela capela de Santo Antônio, foram adquiridas por Antonio Fernandes Coelho, enquanto as terras da Várzea – e também de Araras, Vidigueiras, Meudon e Ermitage – passaram ao Comendador Polycarpo Magalhães Alvarez de Azevedo.

Empreendedor, Coelho tratou logo de buscar valorizar mais ainda sua propriedade. Juntou-se a Antônio Feliciano da Trindade na empresa Fernandes Coelho & Cia. e tratou de loteá-la. Arruou o bairro e até doou ao Imperador Pedro II uma quadra, onde queria ver construído um castelo dedicado à Imperatriz Teresa Cristina. Num quarteirão da avenida Bragantina ficariam as ruas “da Imperatriz”, “Dom Pedro II” e “rua Imperial”.

No início do século, um cortejo fúnebre, sainda da primitiva igreja de… Santa Teresa

Doação de capela

E a Várzea? Diante de tanta expectativa de desenvolvimento para o bairro do Alto, as terras do Comendador Polycarpo tinham pouco valor. Tratou então o proprietário de “dotá-las” de uma capela, também promovendo seu arruamento e outras benfeitorias. Policarpo fez mais: doou à igreja a capela que construiu e mais 116 mil metros quadrados de terra em torno dela, esperando que a capela aos cuidados da paróquia promovesse o progresso da localidade. Nessa escritura de doação aliás, é que se define bem o nome da igreja. O documento, lavrado em Magé no dia 17 de dezembro de 1859, além de trazer o nome de Santa Teresa como padroeira da capela, cita ainda os objetos pertencentes ao patrimônio existente, entre eles, quadro à óleo e imagens da padroeira. E a padroeira, em 1859, já era Teresa de Ávila.

Mas, e Santa Claudina?

Doar cinco alqueires de terra no centro da Várzea já daria ares de santo a qualquer um, até mesmo que uma segunda intenção parecesse haver por trás do gesto. Mas, é por conta da capela que construiu que Policarpo viu-se marido de uma santa: sua esposa, devota ao catolicismo, chamava-se Claudina. E, embora a história não tenha deixado registros de outras generosidades da importante dona, a mulher locupletou-se no gesto altruístico do marido. – “Capela de dona Claudina, logo Capela de Santa Claudina”, admite o Monsenhor Antônio Carlos Motta do Carmo, pároco da Matriz de Santa Teresa.

 

 

Postado em MemóriaComentário (1)


Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...