Teresópolis se destaca com títulos internacionais no jiu-jitsu

O teresopolitano Enes e a sua medalha de ouro conquistada nos EUA

O teresopolitano Enes e a sua medalha de ouro conquistada nos EUA

– Faixa preta Eduardo Enes se sagra campeão mundial em Las Vegas e Clube Pitbull traz cinturões do NAGA

O ano do jiu-jitsu teresopolitano é sempre recheado de medalhas. Tradicionalmente os moradores e os filhos da terra conquistam resultados expressivos nesta arte marcial durante todo o período mas, nas últimas semanas, a galera do tatame foi especialmente vitoriosa, com conquistas históricas para o município. Tanto nos eventos nacionais de renome, como foi o caso da Copa Tauron da SJJSAF, federação que vem fazendo muito sucesso no meio, como no primeiro NAGA organizado no Rio de Janeiro – Uma federação americana de grande renome no mundo todo e até no Mundial Master que aconteceu em Las Vegas, que teve um teresopolitano no ponto mais alto do pódio em sua categoria. O faixa preta Eduardo Enes, grande fera que “nasceu” na Nova Barra e hoje compete pelo GF Team. Grandes medalhas e cinturões subindo a serra para manter o nome de Teresópolis lá no alto, como formadora de grandes campeões da tal Arte Suave.

Tim Maia, Gabriel, Douglas e Takayas. Medalhas e cinturões para Teresópolis

Tim Maia, Gabriel, Douglas e Takayas. Medalhas e cinturões para Teresópolis

O Campeonato Mundial Master de Las Vegas é considerado dos mais conceituados mundiais de jiu-jitsu (ao lado do de Abu Dhabi) e grandes nomes da Europa e América vão para a capital dos cassinos em busca de uma pesada medalha da IBJJF (International Brazilian Jiu Jitsu Federation) e muitos saíram felizes demais da quente cidade americana. E um deles é filho da nossa terra. Eduardo Enes fez bonito e trouxe o ouro para Teresópolis. “O mais difícil é controlar a emoção de estar lá, com os melhores do mundo em uma estrutura de outro planeta, né? Uma loucura. É mais difícil controlar o emocional do que a própria parte física”, explica o campeão, mostrando a sua bela medalha, que vai colocar junto às outras pesadas que já tem na sua carreira. Ele falou ainda da dureza dos adversários em uma competição tão importante. “Eu fiz quatro lutas duríssimas, contra gringos inclusive e eu tive que colocar o regulamento debaixo do braço, amarrar umas lutas… Foi muito difícil, mas consegui chegar na final e fechar a categoria com o meu parceiro de treino na GF Team Denilson Pimenta.”, completa o professor que agradeceu os seus patrocinadores que possibilitaram a sua viagem para a Terra do Tio Sam. “Queria agradecer à Zabal Bikes, Posto irmãos Resende, Ótica Prazer de Ver e Rowar Kimonos. Meu muito obrigado”, completa a campeão que passa durante o ano entre aulas, treinos e seminários pelo Estado do Rio.

Roger Takayas disputou em quatro categorias e trouxe dois cinturões

Roger Takayas disputou em quatro categorias e trouxe dois cinturões

Campeões do NAGA

O famoso canil formador de campeões está em festa. O Clube de Jiu-Jitsu Pitbull novamente é destaque no meio da arte marcial no Estado do Rio de Janeiro. Afinal se  empenha diariamente com treinos pesados para se alinhar com as grandes academias da capital e segue fazendo bonito entra ano e sai ano. Como nestas últimas semanas, que trouxe resultados de deixar o povo orgulhoso. O NAGA é a North American Grappling Association, federação de grande conceito no meio internacional do jiu-jitsu e que atrai diversos campeões para os Estados Unidos em busca do seu pesado cinturão. E neste final de semana aconteceu a sua primeira competição no Brasil e o professor Roger Takayas (responsável pela equipe de competição) levou a garotada da Pitbull para fazer bonito na cidade maravilhosa. Ele, inclusive, brilhou intensamente ao competir em quatro categorias e trazer nada menos que dois cinturões para a cidade. “Lutamos no maior campeonato de luta agarrada do mundo e eu lutei em quatro categorias diferentes com quimono e sem quimono e graças a Deus consegui trazer dois cinturões para a cidade”, afirma o professor, sempre tímido, mas que quando chega no tatame, se revela muito competitivo. O pequeno Pitbull Gabriel Pereira, de 11 anos, também lutou como “gente grande” e também faturou dois cinturões. “Graças a Deus eu pude trazer estes cinturões e gostaria de agradecer o meu pai, que não pode lutar, mas me fez participar e a todos que me ajudaram aqui na academia”, destacou o garoto que ainda criticou os empresários locais. “Tanta gente boa no esporte aqui e tanta gente que poderia patrocinar, mas eles não querem”, finaliza mostrando descontentamento e os seus dois cinturões conquistados no Rio de Janeiro. O evento ainda teve o atleta Nem que faturou um cinturão e o Luiz Eduardo Cabral com bronze e prata Gi e No Gi. Antônio Carlos Tim Maia também faturou o bronze. “Foi  uma experiência nova pra mim e conquistei um terceiro lugar em uma competição top com atletas do mais alto nível, então fico muito feliz com essa medalha”, sorri o atleta faixa azul. Como o roxa Douglas Oliveira, pesadíssimo que conquistou ouro e prata: “Foi uma experiência incrível em um campeonato sensacional que tinha até tradutores a nossa disposição e a pesagem igual UFC. O nível de campeonato tão bom eu nunca vi e pude fechar com o meu companheiro de academia e trouxemos o ouro e o cinturão para Teresópolis na categoria. No sem quimno, infelizmente não pude faturar o ouro, mas trouxe a prata e fico muito feliz. Quero agradecer a toda equipe Pitbull e ao mestre Pé de Chumbo que ficou aqui treinando com a gente intensamente nos últimos quatro meses pra gente poder fazer bonito nesse NAGA. Meu muito obrigado”.

Deixe seu comentário

Cláudio Tatu tem mais de vinte anos de jornalismo na mídia impressa com o próprio Diário de Teresópolis e o extinto Caderno Zero e na radiofônica com as emissoras AM e FM de Teresópolis. Está desde 2009 no grupo Diário e é repórter, fotógrafo e apresentador.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...