Tricano toma posse prometendo regularizar salários atrasados em 12 meses

Mesmo diante de graves problemas que assolam o município, o tom do prefeito após tomar posse foi de otimismo

Mesmo diante de graves problemas que assolam o município, o tom do prefeito após tomar posse foi de otimismo

– Prefeito quer aumentar arrecadação em R$ 20 milhões com licitação de serviço bancário e criação de imposto

O primeiro dia do ano marcou o início de mais um mandato do empresário Mario Tricano à frente da prefeitura de Teresópolis. Mesmo diante de graves problemas que assolam o município, o tom do prefeito após tomar posse foi de otimismo, prometendo dar solução às dificuldades que atribui aos governos anteriores, como os salários atrasados do funcionalismo público. O prefeito afirmou que a melhoria nas contas virá a partir de iniciativas como a licitação para o banco que vai atender aos servidores do município e da criação de um tributo sobre a atividade cartorária, que ele estima atingir a arrecadação extra de R$ 20 milhões.

Relação com vereadores
Ao tomar posse ao lado do seu vice Sandro Dias, ele fez um breve discurso em que exaltou o fato de ter vários aliados na nova composição do legislativo municipal. Depois, da cerimônia oficial, Tricano foi para o Palácio Teresa Cristina onde, ao lado de assessores, secretários e familiares, fez um novo discurso, mais demorado, em que ressaltou ter conseguido ser eleito pela quinta vez para comandar o executivo municipal, o que foi apontado como um recorde no estado no Rio de Janeiro. “Até mesmo no Brasil, entre os homens, isto é um fato inédito”, declarou.

Objetivo do governo
“A palavra de ordem é moralização da administração pública, sem isso nada pode ser feito. Se a gente não socorrer esse povo, não estamos cumprindo o nosso papel, pois o povo acreditou na gente. Precisamos restaurar, restabelecer e levar a Saúde do município ao primeiro lugar do ranking do estado. Um desafio, mas temos fé em Deus que vamos cumprir esse desafio. Assim também como na Educação, caminhar juntos para um futuro melhor dos nossos filhos, de nossos netos e da população em geral”.

Risco de perder o mandato
Sobre a ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre sua candidatura, Tricano afirmou está tranquilo: “Nunca tive dúvida, se tivesse nem seria candidato. Tenho certeza absoluta da legitimidade da minha candidatura e do meu mandato. Quem viver verá. Não tem problema se é decisão liminar ou definitiva. O povo de Teresópolis precisa de um escolhido por Deus e eu fui escolhido para comandar o município pelos próximos quatro anos”.

Aumento de arrecadação
“Escolhemos o caminho das Parcerias Público-Privadas. Traz dinheiro, empresas e emprego. Posso antecipar algumas decisões do governo. Temos que trazer dinheiro novo para a prefeitura. Temos formas de trazer novos recursos. Assinamos convênio com o Tribunal de Justiça para cobrar a dívida ativa do município; tem um banco que presta serviço para a prefeitura e o contrato dele termina daqui a quatro meses e já estamos preparando a licitação para este ou outro banco participar e isso vai gerar de R$ 10 milhões a R$ 15 milhões novos; temos um projeto que vai ser levado à Câmara que vai trazer recursos novos também que trata dos tributos dos cartórios da cidade, que pagam muito pouco do muito que recebem”.

Empréstimos consignados
“Outra coisa que me incomoda é trabalho escravo, que é trabalhar para alguém que leva vantagem e não retribui em nada e tem um negócio chamado empréstimo consignado que todos os banqueiros fazem, enriquecem e o município não leva nada, só trabalha, tem obrigação e responsabilidade. O banco tem que pagar ao município pelo trabalho que a gente tem de descontar e repassar para ele”.

Secretarias e cargos
“Pretendo fazer algumas modificações. Pelo menos nesses seis primeiros meses, quando eu puder ter um secretário respondendo interinamente por uma ou duas secretarias, assim será feito. Eu tenho os cargos comissionados que eu entendo que eu preciso. Apesar dessa recessão e dessa dificuldade toda, o município de Teresópolis economizou R$ 30 milhões”.

Arrecadação do IPTU e quitação de dívidas
“Eu cheguei em fevereiro e paguei três folhas de pagamento, no final do ano eu devia duas folhas de pagamento. Se eu não tivesse pago as três folhas lá atrás, teria dinheiro para pagar essas duas, então eu estou em dia com os funcionários. A prefeitura é quem deve, o prefeito não está devendo. O orçamento prevê a arrecadação de IPTU na ordem de 15 a 17 milhões de reais e esse imposto pode ser pago em cota única ou parcelado em até 10 vezes. A dívida da folha de pagamento está na ordem de R$ 22 milhões, então seria imprudente que dizer que o IPTU resolveria esse problema. Eu ofereci uma proposta ao Sindicato para pagar o mês de dezembro agora e continua r pagando os meses em dia e a dívida que sobra nós dividíramos em 12 vezes. Eu acho que deve ter uma conversa entre eles para trazer uma contraproposta”.

Deixe seu comentário

Marcus Wagner formou-se me jornalismo pela FACHA em 2009. Já trabalhou como repórter no Diário Lance e TV Esporte Interativo. Trabalhou no grupo Diário de 2010 a 2015.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...