Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Lixo continua espalhado no bairro da Fonte Santa

Moradores reclamam da retirada de central coletora e atraso no serviço de recolhimento

“O novo que já nasceu velho”. Assim tem sido rotulado o governo Vinicius Claussen, que embasou toda sua campanha com promessas de realizar uma grande mudança em Teresópolis, sempre olhando de maneira negativa os prefeitos anteriores, mas que em mais de cinco anos não apresentou praticamente nada de novo. Um dos muitos exemplos é o sistema de coleta de lixo, sendo mantida “desde sempre” a mesma e questionada empresa terceirizada, que continua deixando insatisfeitos moradores de vários bairros e o governo finge desconhecer tal insatisfação. Na Fonte Santa, quem mora na Rua Júpiter não sabe mais a quem recorrer. Ignorados pelo “time da gestão”, eles relataram ao Diário que a situação do lixo continua uma verdadeira vergonha por lá. “Lixeira derrubada e nada da prefeitura? Vergonha! E ainda querem cobrar taxa de lixo! Moradores passam em cima do lixo e nada é feito, vergonha esse governo”, relatou a moradora Juliana L.
Ainda segundo ela, na verdade a situação nunca foi boa por lá, visto que os de coleta nunca foram suficientes para atender a demanda. Porém, desde dezembro a coisa ficou ainda pior. De acordo com a jovem, havia uma central coletora que era utilizada pela vizinhança, mas um morador, insatisfeito com o grande volume de lixo, que ganhava grandes proporções pela inoperância da empresa Inova Ambiental, demoliu a “casinha de lixo”. Agora, as sacolas ficam às margens da via, são rasgadas por cachorros e outros animais interessados em conseguir algum tipo de comida e os resíduos ficam espalhados pela Rua Júpiter. Em dezembro passado, o governo municipal prometeu uma vistoria no local, além de cobrar um posicionamento da terceirizada, mas aparentemente nada foi feito.
Também em contato com o nosso WhatsApp (2742-9977), outro morador da região relatou o descaso da “gestão Claussen” e a ideia de tal prefeito criar uma taxa para a retirada do lixo. “O serviço já é uma porcaria e ainda querem cobrar a mais por isso, além do que já pagamos no IPTU. Esse já ex-prefeito em atividade só tem complicado ainda mais a nossa vida, sendo que na verdade parece que nunca olhou nada além do empresariado local. Vai cobrar taxa de lixo no seu bairro, onde não deve atrasar a coleta”, pontuou Márcio Arruda, residente na Fonte Santa, populosa localidade às margens da rodovia BR-116.

Lixo e comunicação
Desde a primeira semana de janeiro, a assessoria de comunicação da prefeitura, uma subsecretaria subordinada a secretaria de Governo, não tem respondido às demandas dos contribuintes teresopolitanos – feitas através do Diário. Não só em relação à lixeira da Rua Júpiter, mas diversos outros problemas apontados pelos leitores do jornal e telespectadores da TV têm sido encaminhados para tal setor, a quem cabe buscar a informação da secretaria responsável e, se for o caso, informar a esses setores, algo emergencial que precise ser resolvido. Em total desrespeito não ao Diário, mas aqueles que pagam os seus salários, os teresopolitanos, o governo municipal ignora os pedidos de informação e, mais do que isso, de ajuda da população. Se algo grave ocorrer pela insensibilidade de supostos gestores, a culpa será de quem?

Edição 22/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Temporal mata cinco pessoas no estado do Rio

LADRÕES DE RESIDÊNCIAS: Troca de tiros e quadrilha presa na Barra do Imbuí

Flávio Dino toma posse como ministro do Supremo Tribunal Federal

Bolsonaro não responde à PF em depoimento sobre golpe de Estado

Governo do Estado atua nas cidades afetadas pelas chuvas

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE