Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Moradores da Tijuca se unem para fazer “serviço da prefeitura”

Grupo coloca dinheiro do próprio bolso para realizar reparo em rua abandonada pela PMT

Isla Gomes

Cansados de esperar por uma solução do poder público, os moradores da Rua Aristides Pereira Machado, na Tijuca, resolveram se juntar para tapar um buraco que já estava quase impedindo o acesso às suas casas. Indignados por terem que usar o dinheiro do próprio bolso para resolver uma situação de âmbito público, alguns moradores relataram ao Diário o problema. “Sou moradora do local e vi um grupo de homens aproveitando seu dia de folga com concreto, virando massa, para tapar um buraco aqui da rua que não impedia o acesso dos carros. Aqui na rua tem muito idoso, muita gente com problemas de saúde, ou seja, pessoas que precisar de uber ou táxi e muitas vezes esses motoristas se recusam a vir até aqui por conta da situação da rua. Os moradores é que ficam sempre no prejuízo”, destaca Claudia Machado, costureira. Outra questão é que essa foi uma ação paliativa, pois, os próprios moradores tem consciência de que assim que chover o problema retornará. Além disso, outros perímetros da rua também estão esburacados e descuidados.


Claudia ressalta ainda a indignação por ver pessoas simples tendo que tirar dinheiro do bolso para comprar materiais no desespero de solucionar uma situação. “É um muito triste ver o povo tendo que gastar dinheiro e sacrificar um dia de folga para tentar resolver uma situação que era para a prefeitura resolver. Eu tenho os papéis que provam que a prefeitura passou com o drone fazendo a medição dos terrenos aqui para fazer os reajustes do IPTU, a pergunta que fica é: eles não viram os buracos pelo drone? Se tem uma equipe que se prontifica para fazer calculo do terreno para cobranças do IPTU, tem que ter uma equipe que venha para analisar se a rua precisa ou não de manutenção. A gente paga imposto e a gente tem uma prefeitura para isso, para atender as necessidades dos moradores. Mas, o que temos recebido em troca é uma cidade largada”, frisa a moradora.

Depoimentos
Carlos Bernardes também é morador do local. Ele é construtor e sacrificou seu dia de descanso para se juntar aos outros vizinhos nessa missão. “Eu fui um dos moradores que sacrificou um dia de folga e a mão de obra para tentar fechar aquele buraco. O buraco já estava tão grande que estava impedindo a passagem do caminhão do lixo, caminhão de mudança e dificultando a passagem de carros particulares. Eu fiz questão de dar uma força, me juntei com os vizinhos para tentar resolver isso, já que o governo municipal não faz, a gente tem que se sacrificar para fazer”, conta.
A aposentada Marli de Souza também mora na rua. Ela tem 77 anos e por conta dos buracos já se quase se acidentou. “Eu quase quebrei meu pé nessa rua, os moradores tentam solucionar colocando massa, mas, é provisório. Não adianta esse problema ficar na conta dos moradores, tem que ser uma coisa bem feita, que vai solucionar de vez o problema. O prefeito esteve aqui, mas, só visitou a rua de baixo, não fez questão de subir aqui na nossa rua e nem mandou equipe nenhuma”, salientou.

“Eu fui um dos moradores que sacrificou um dia de folga e a mão de obra para tentar fechar aquele buraco. O buraco já estava tão grande que estava impedindo a passagem de veículos”, ressalta Carlos Bernardes. Foto: Isla Gomes/O Diário

Outro problema
Além dos buracos, os moradores dessa rua também apontam para um bueiro que está de forma inadequada há cinco anos. “A minha reclamação é que eu moro aqui na rua e a saída da água do bueiro vai toda para dentro da minha casa quando chove. O bueiro está entupido e ninguém faz nada para resolver. Além disso, os carros ficam com medo de passar aqui por conta do bueiro também, que pode abrir a qualquer momento”, relata a aposentada Nilcéia de Lima.


Edição 16/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Sul do Brasil pode registrar geada nos próximos dias

Correios anunciam cargos de nível médio e superior em concurso público

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

Barra: 60 dias de trânsito lento na Rua Dr. Oliveira

ChocoSerra começa nesta sexta-feira em Teresópolis, confira a programação

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE