Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Número de apreensão de drogas em Teresópolis cresceu 14,4% em 2022

Operações policiais renderam 437 ocorrências do tipo entre janeiro e setembro, grande parte por tráfico

Por muitos anos Teresópolis tem encabeçado a lista das cidades mais seguras do país, motivo que tem feito muita gente buscar o município para fugir dos problemas de locais como o Rio de Janeiro, por exemplo. Vez ou outra, porém, os meios de comunicação acabam noticiando informações que parecem seguir no sentido contrário, mas, que, na verdade, têm relação, na grande maioria das vezes, apenas com ocorrências relacionadas ao uso e tráfico de drogas. Dados do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro confirmam que, nos últimos meses, cresceu bastante o número de registros policiais relacionados a esses crimes. Segundo a última atualização do ISP, entre janeiro e setembro deste ano foram feitas 437 apreensões de drogas em Teresópolis, sendo que grande parte desse número inclui a prisão de acusados de participar do tráfico de drogas, com 202 flagrantes nos nove primeiros meses do ano. Em relação ao mesmo período de 2021, houve um aumento de 14.4%, sendo anotadas no setor de plantão da 110ª DP no ano passado 382 apreensões de drogas. Em relação às prisões por esse crime, que pode render pelo menos cinco anos de cadeia, também houve aumento. Entre janeiro e setembro de 2021, 178 pessoas foram encaminhadas para a cadeia pelo delito.
Ainda de acordo com os números do Instituto de Segurança Pública, que têm como base os registros feitos nas delegacias do estado, nos primeiros nove meses deste ano foram 168 autuações por posse de drogas, contra 119 de 2021, um aumento de 41.2%. O encaminhamento de material entorpecente sem autoria, portanto não havendo flagrante por tráfico ou autuação por uso, situação onde a polícia encontra cargas escondidas em esconderijos ou abandonadas pelos “proprietários”, por exemplo, houve uma pequena redução. Em 2022, foram 85 notificações, contra 99 do ano passado.
O crescimento do número de ocorrências é um reflexo das ações policiais realizadas pela PM, Civil e Ministério Público, que nos últimos meses fizeram diversas incursões em bairros como Perpétuo, Rosário, Pimentel, Quinta-Lebrão e Fonte Santa, entre outras. Em julho passado, por exemplo, as forças de segurança estiveram no chamado complexo “PPR” (Perpétuo, Pimentel e Rosário) com a intenção de sufocar o comércio de entorpecentes nessa área da cidade. Tal operação contou com o apoio da Guarda Civil Municipal, que enviou equipe da guarnição K9 – que realiza o treinamento de cães farejadores.
“As equipes entraram nas comunidades e conseguiram cumprir dois mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão nas localidades do Perpétuo e do Rosário, sendo um dos mandados referente ao tráfico de drogas e outro referente à lei Maria da Penha, além de buscas no alto das comunidades, o que ocasionou a apreensão de crack, cocaína e maconha nas proximidades da quadra esportiva do Perpétuo. O comando da operação considera exitosa a investida e garante que outras incursões vão continuar sendo feitas na cidade no sentido de coibir o tráfico de todo tipo de entorpecente, dando ênfase principalmente no combate ao comércio de crack”, divulgou O Diário na ocasião.

Em agosto passado, apurando denúncias anônimas passadas ao quartel do 30º BPM, os militares prenderam dois homens e deram aproximadamente R$ 200 mil de “prejuízo” para o tráfico de drogas

Mais de R$ 200 mil de prejuízo
Em agosto passado, equipes dos setores PATAMO e Polícia Reservada (P2), com apoio de colegas que estavam de folga, conseguiram evitar que uma grande carga de cocaína e craque fosse entregue e distribuída novamente no complexo “PPR”. Apurando denúncias anônimas passadas ao quartel do 30º BPM, os militares prenderam dois homens e deram aproximadamente R$ 200 mil de “prejuízo” para o tráfico de drogas. Um homem de 36 anos, que conduzia um GM Ônix de cor vermelha, foi parado em operação montada na Avenida Rotariana, no Soberbo. No interior do veículo havia 16.400 pinos de cocaína, totalizando 16,5 quilos, e 3.900 pedras de crack, em torno de quatro quilos desse entorpecente – considerado o “resto do resto” e altamente viciante, sendo responsável pelo desencadeamento de diversos outros delitos, como furtos, roubos e assaltos, ações realizadas por viciados que fazem de tudo para manter o consumo dessa droga. As embalagens de ambas as drogas tinham a sigla de uma facção criminosa do Rio de Janeiro e a informação “PPR”, confirmando que tal bando tem ligações com os traficantes de Teresópolis. Na abordagem, o condutor do veículo relatou que faria a entrega para um homem de 30 anos, morador do Rosário, quem lhe pagaria a quantia de R$ 1 mil pelo serviço.

Cães farejadores
A guarnição K9, da Guarda Civil Municipal, tem sido fundamental para encontrar cargas de drogas enterradas em locais de difícil acesso, com operações de sucesso em bairros como Quinta-Lebrão, Fonte Santa, Rosário, Perpétuo e Pimentel. A equipe especial da corporação tem se destacado de tal maneira que, recentemente, equipe da prefeitura de Rio das Ostras esteve no município para conhecer mais sobre o projeto. Posteriormente, uma cadela farejadora foi doada para a cidade da Região dos Lagos.

Denúncias
Outra participação fundamental para o enfrentamento diário ao uso e tráfico de drogas é a da população. Através do Disque Denúncia, o cidadão pode contribuir com o trabalho de investigação e prevenção de crimes. Os números são 190 e 2742-7755, sendo que o último também funciona como WhatsApp. Não é necessário se identificar.

Compartilhe:

Edição 22/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Temporal mata cinco pessoas no estado do Rio

LADRÕES DE RESIDÊNCIAS: Troca de tiros e quadrilha presa na Barra do Imbuí

Flávio Dino toma posse como ministro do Supremo Tribunal Federal

Bolsonaro não responde à PF em depoimento sobre golpe de Estado

Governo do Estado atua nas cidades afetadas pelas chuvas

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE