Região Serrana colhe bons resultados de pesquisas com frutas

Com apoio da Emater-RJ, diferentes espécies de frutas estão sendo testadas por pesquisadores no clima da Região Serrana

Com apoio da Emater-RJ, diferentes espécies de frutas estão sendo testadas por pesquisadores no clima da Região Serrana

– Dia de campo compartilhou informações sobre a adaptação de frutíferas às condições locais

O estado do Rio de Janeiro importa, anualmente, mais de R$ 1 bilhão em frutas de outros estados brasileiros e do exterior. Para incrementar essa cadeia produtiva, valorizando a produção local, várias ações da secretaria estadual de Agricultura incentivam o plantio de frutíferas em todo o estado, por meio do Programa Frutificar, em ações integradas com o Programa Rio Rural, a Emater-Rio, a Pesagro-Rio e a Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro).

Diferentes espécies de frutas estão sendo testadas por pesquisadores no clima da Região Serrana. Informações sobre capacidade de adaptação das frutíferas são compartilhadas entre pesquisadores, técnicos e agricultores, para que as melhores variedades sejam introduzidas nas lavouras. Para isso, eles se reúnem em dias de campo, quando há demonstração das técnicas de plantio e manejo.

Para o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, o envolvimento dos produtores é um dos principais motivos para o êxito das pesquisas. – Quando o agricultor compreende a importância do seu papel para o fortalecimento da cadeia produtiva, como no caso da fruticultura, os ganhos são muito mais efetivos – ressaltou o secretário.

O último encontro para o compartilhamento de informações, no final de agosto, em Cachoeiras de Macacu, teve como objetivo apresentar a todos os participantes os resultados de pesquisas com 21 variedades de citros (laranja, toranja, lima, tangerinas) e três espécies de bananeiras. A propriedade visitada foi o sítio Estrela do Sul, da família do produtor Narci Messias Fonseca, de 80 anos, onde o pesquisador da Pesagro-Rio Alcílio Viera deu as orientações técnicas. Ele estuda há anos a fruticultura como fator de preservação do meio ambiente e geração de renda nas regiões Serrana e Metropolitana Fluminense.

O evento reuniu cerca de 30 produtores e técnicos da Emater-Rio de Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis, Bom Jardim, Trajano de Moraes, Cachoeiras de Macacu e Itaboraí, além de cerca de 20 estudantes do Colégio Estadual Agrícola José Soares Júnior, de Itaboraí.

Junto com o produtor Alcemir Fonseca, que autorizou o plantio em sua propriedade e pôde fazer sua avaliação pessoal sobre cada variedade de fruta, o pesquisador Alcílio Vieira respondeu a cada um dos questionamentos dos agricultores sobre a qualidade e produção das variedades de citros. – É muito importante que os produtores verifiquem qual a melhor variedade para suas propriedades e façam testes. Hoje temos um grande mercado consumidor no estado, além da possibilidade de fornecimento para a merenda escolar. O plantio de citros pode alavancar a produção e a renda dos agricultores – frisou.

Segundo Vieira, a Região Serrana tem condições favoráveis para o cultivo de frutíferas no que se refere ao clima, solo, topografia e mananciais hídricos. Além disso, tem menor incidência de pragas e de doenças em comparação com outras áreas. Por isso, as pesquisas feitas em Cachoeiras de Macacu e Itaboraí têm apresentado bons resultados. Paralelamente, também está sendo incentivado o cultivo de frutas orgânicas.

Pesquisas com bananeiras

No Sítio da Goiaba, do agricultor Mario Oliveira Falcão, a produção de goiabas é voltada para comercialização e para os doces em compotas processados em sua agroindústria. O produtor, que já trabalhou com olericultura, está buscando a certificação em SPG (Sistemas Participativos de Garantia) para iniciar sua produção de goiabas orgânicas. Além disso, por meio do trabalho dos pesquisadores Francisco Maldonado e Carlos David Ide, da Pesagro-Rio, com três variedades de bananeiras, o agricultor pretende diversificar o plantio de fruteiras em suas terras, ampliando sua comercialização.

– Esse trabalho feito pelos pesquisadores da Pesagro-Rio e técnicos da Emater-Rio está sendo muito importante para os produtores da nossa região. Com o apoio deles, podemos identificar qual a melhor variedade para o plantio e a qualidade destes produtos – comentou.

Para o agricultor Joaquim Sérgio Lage, de Petrópolis, a oportunidade de conhecer novas variedades e os resultados das pesquisas só aumentam a vontade dos produtores de investirem no plantio de frutíferas. – Nestes encontros conhecemos novas formas de manejo. Saio hoje daqui com a intenção de plantar algumas variedades de laranja, que podem me dar produção em diversas épocas – declarou, no encontro.

Para o gerente estadual de Fruticultura da Emater-Rio, Martinho Belo, o evento serviu para informar e estimular o plantio de diversas variedades de frutíferas. – Os produtores puderam conhecer aqui em Cachoeiras de Macacu algumas variedades de citros e bananeiras da estação, precoces e tardias. Variedades que estão sendo testadas pelos pesquisadores da Pesagro-Rio, que garantem produção de qualidade do fruto para comercialização o ano inteiro. Tudo isso vai gerar melhor qualidade de vida e de renda para os produtores – concluiu

 

Deixe seu comentário

Todos os dias nas bancas, o DIÁRIO traz pra você as mais elaboradas reportagens, reclamações da população com o Diário Comunidade, as matérias policiais, políticas, cultura, esporte, entretenimento e tudo mais para manter o teresopolitano informado. Além da melhor seção de classificados da região. O DIÁRIO tem a sua trajetória inserida na história do município de Teresópolis e trabalha com profissionais especializados e graduados, sempre em busca do melhor jornalismo. Leia O Diário de Teresópolis. Nas bancas.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...