Tag Arquivo | "livro"

Andrea Taubman lança “Sonho de Mãe” em Teresópolis

A escritora Andrea Taubman lança seu novo livro no próximo sábado na Livraria Clube Cultural

A escritora Andrea Taubman lança seu novo livro no próximo sábado na Livraria Clube Cultural

– Escritora especializada em livros infanto-juvenis apresenta mais uma publicação

 

Com mais de dez mil livros vendidos, a escritora Andrea Viviana Taubman apresenta mais um de seus trabalhos em Teresópolis. O livro “Sonho de Mãe”, lançado no dia 8 de março, será oficialmente apresentado aos leitores da cidade em uma manhã de autógrafos da autora. O evento acontece neste sábado, dia 9, na Livraria Clube Cultural, que fica na sobreloja do Várzea Shopping, no centro da cidade. A data foi especialmente escolhida por ser a véspera do Dia das Mães. “Toda mulher é mãe, de fato ou não. A maternidade está dentro de cada uma”, destaca a autora. “Sou mãe de dois meninos e depois de observar e meditar durante algum tempo, concluí que, como as famílias atualmente são cada vez menores, as crianças têm poucas oportunidades de observar como é o cuidado de uma mãe com um irmão mais novo. Eu tive o desejo de contar para as crianças como é esse trabalho de mãe, que começa nos sonhos, antes mesmo do bebê vir ao mundo, quando ele é objeto de pensamentos e desejos, até os cuidados que acontecem durante toda a infância”, detalha.

O “Sonho de Mãe” foi criado em formato de poesias e é ricamente ilustrado com desenhos de Sandra Ronca

O “Sonho de Mãe” foi criado em formato de poesias e é ricamente ilustrado com desenhos de Sandra Ronca

O livro é voltado para mães e filhos, já que é um convite para a interação familiar. Na avaliação da própria autora, a publicação tem uma função que prima pelo afeto. “O propósito é do exercício do afeto numa leitura compartilhada, da mãe conversando com o filho, um lendo para o outro. A criança tem oportunidade de perguntar se foi da mesma forma com ele, enfim, uma oportunidade de diálogo. A gente precisa muito disso”, reconhece.

Além da atual obra, Taubman é autora de outros quatro trabalhos voltados para o mesmo público. “O menino que tinha medo de errar”, lançado em 2009 e reeditado em 2012; A Escola que eu quero para mim, de 2010; e Rosa Formosa, de 2013. O próximo lançamento também já está editado e em breve chegará às livrarias: “O menino só”, que aborda o universo das crianças altistas.

Andrea Taubman já lançou cinco publicações para o público infanto-juvenil e vai apresentar em breve um livro que trata sobre o universo das crianças altistas

Andrea Taubman já lançou cinco publicações para o público infanto-juvenil e vai apresentar em breve um livro que trata sobre o universo das crianças altistas

 

Relação com Teresópolis

A autora é moradora de Teresópolis há 19 anos. “Minha literatura nasceu aqui. Tenho um filho teresopolitano e outro que veio para cá bem pequeno. Amo essa cidade”, declara. Andrea diz que parte de suas obras surgiu com as experiências que teve na cidade. “No Rosa Formosa, as crianças costumam perguntar de onde veio minha inspiração. Digo que fui uma menina de apartamento, de cidade grande. Quando vim para Teresópolis, onde morei em duas casas, pude contribuir para a formação de dois jardins. Esse contato, conhecimento com as plantas é que me serviu de conhecimento para escrever”, revela. Outra publicação também mostra a experiência da autora. No livro “A escola que eu quero para mim”, ela fala sobre uma horta comunitária. “A primeira horta que eu vi na minha vida foi aqui, isso é algo que tenho carinho e gratidão”, reconhece.

Além de se inspirar e trabalhar na cidade, a escritora é também uma incentivadora da leitura entre as crianças e os adolescentes daqui. Tanto que, por dois anos seguidos, promoveu a FliSerrana, evento literário que aconteceu na Casa de Cultura, reunindo autores, editores e principalmente leitores. Ela também já trouxe eventos como o ‘Carnalivro’, para incentivar a prática durante as festas de Momo, e o ‘Futebolendo’, aproveitando a passagem da Seleção Brasileira para abordar a paixão nacional. “Tudo que eu puder fazer para promover a leitura entre os nossos meninos, enquanto tiver forças e apoio, vou continuar. Já buscamos apoio de parceiros e patrocinadores para a terceira Fliserrana. Conseguimos enquadrar o evento na Lei Ruanet e isso será importante para captação das empresas que tiverem disponibilidade e que queiram se engajar na nossa festa. Temos o desejo de tornar Teresópolis uma cidade muito leitora”, promete.

O novo livro de Andrea Viviana Taubman pode ser encontrado na Livraria Clube Cultural e em outras lojas especializadas . “Sonho de Mãe” recebeu diversos comentários de críticos literários. A obra, toda em formato de poesias, tem ilustrações de Sandra Ronca e uma apresentação na última capa da também escritora Flavia Savary. O livro é vendido por R$ 34.

 

Postado em Capa, CulturaComentário (0)

Ladmir Carvalho lança livro com dicas para empreendedores

Dicas e conhecimentos adquiridos nos quase 26 anos à frente de uma das maiores empresas de softwares do país estão compilados no livro: “Dicas de Gestão e Carreira para Empreendedores”, lançado com a presença da família, amigos e colaboradores da empresa em sua própria sala

Dicas e conhecimentos adquiridos nos quase 26 anos à frente de uma das maiores empresas de softwares do país estão compilados no livro: “Dicas de Gestão e Carreira para Empreendedores”, lançado com a presença da família, amigos e colaboradores da empresa em sua própria sala

– Primeira publicação do empresário apresenta compilação de artigos e oferece ferramentas de crescimento e motivação

 

Com a generosidade que lhe rendeu a fama de um dos melhores patrões do país, fazendo de sua empresa, a Alterdata, um dos melhores locais do Brasil para se trabalhar, Ladmir Carvalho acaba de publicar o seu primeiro livro e, justamente, voltado para a capacitação e aprimoramento de pequenos e médios empresários. Dicas e conhecimentos adquiridos nos quase 26 anos à frente de uma das maiores empresas de softwares do país estão compilados no livro: “Dicas de Gestão e Carreira para Empreendedores”, lançado com a presença da família, amigos e colaboradores da empresa em sua própria sala.

Com a mesma preocupação em compartilhar o conhecimento que sempre lhe foi característica, Ladmir englobou nos seus artigos reunidos na obra, momentos e situações em que uma boa dica pode realmente mudar realidades. No livro, o autor tem a preocupação de enumerar possibilidades e construir ambientes propícios ao crescimento empresarial, sempre com o foco no desenvolvimento e progresso destas empresas.

Com a mesma preocupação em compartilhar o conhecimento que sempre lhe foi característica, Ladmir englobou nos seus artigos reunidos na obra, momentos e situações em que uma boa dica pode realmente mudar realidades

Com a mesma preocupação em compartilhar o conhecimento que sempre lhe foi característica, Ladmir englobou nos seus artigos reunidos na obra, momentos e situações em que uma boa dica pode realmente mudar realidades

O empresário falou da emoção de lançar um livro. “Esse é mesmo um momento muito especial para mim. Eu me sinto muito bem transmitindo conhecimento, passando para os outros um pouco daquilo que eu venho aprendendo ao longo dos anos e esse livro tem um conceito que acho importante e útil, que ao invés de compor um livro com uma trajetória linear, direta, ele é composto de pequenos artigos, ou seja, ele traz uma compilação com diversos textos curtos, diretos, práticos e focados no universo empresarial e do empreendedorismo. Assim temos assuntos ligados ao marketing, ao planejamento, de estratégia, uma série de conceitos voltados para tornar o empresário em um gestor melhor, sempre com foco no empresário, médio e pequeno. A linguagem é simples e objetiva e tem tudo a ver com o universo da Alterdata, com o mundo que eu pratico a tantos anos, num segmento que tanto precisa de informação, de melhoramentos nos negócios e nas práticas empresariais”, enalteceu Ladmir.

Apesar de ser o primeiro livro do empresário, ele também é muito conhecido no segmento por seus artigos em revistas e publicações especializadas. “Eu tenho o hábito de escrever sempre para revistas e publicações segmentadas e aqui neste livro podemos encontrar uma compilação, ou seja, uma união de artigos escritos ao longo de um ano e meio inteiro”, explica.

Como a obra traz textos curtos, rápidos e objetivos, para serem lidos fora de sequência, fica muito mais fácil a aplicação dos conceitos àqueles que não dispõem de tempo para leitura regular, progressiva, de um livro na forma convenciona

Como a obra traz textos curtos, rápidos e objetivos, para serem lidos fora de sequência, fica muito mais fácil a aplicação dos conceitos àqueles que não dispõem de tempo para leitura regular, progressiva, de um livro na forma convencional

Aliás, a preocupação com o treinamento faz parte da estrutura da própria Alterdata, que há algum tempo lançou a sua Universidade Corporativa. A unidade utiliza modernos e conceituados métodos de educação corporativa e oferece uma estrutura educacional organizada, sólida e inovadora. O principal objetivo é construir condições para um aprendizado completo, visando valorizar a capacitação prática sem prejuízo do embasamento teórico. Esse ensino corporativo tem garantido ganhos para toda a sociedade e tem efeito multiplicador.

“A Alterdata, desde a sua formação, sempre foi uma empresa formadora, ou seja, nunca esperamos que chegasse para nós um profissional pronto. Nós sempre estivemos preparados para treinar, capacitar e moldar as pessoas. Esse jeito de ensinar é algo que está em nosso DNA, e a Universidade Corporativa hoje é algo tem uma estrutura muito robusta com possibilidade de capacitação no Brasil inteiro. Funcionários nossos de Porto Alegre a Manaus, passando pelo país inteiro são treinados da mesma forma que os nossos funcionários treinados aqui em Teresópolis. Muitos conceitos que estão aqui nesta literatura são coisas que nós acreditamos muito e praticamos ainda mais. Nós estamos expandindo esse tipo de capacitação inclusive para os nossos clientes. Acreditamos que nossos clientes precisam de informações para tornar os seus negócios melhores e mais competitivos e a Universidade Corporativa tem como proposta fazer com que esses clientes consigam estabilizar os seus negócios ainda mais nessa situação que o país está que exige tanto um bom gestor. Acreditamos que esse conjunto de elementos que a Universidade Corporativa tem, com a literatura e a crença do treinamento que nós praticamos na Alterdata, clientes, colaboradores e a cidade como um todo ganham muito”, explica.

Como também lhe é característico, Ladmir não se furtou em falar do momento delicado vivido pelo país atualmente e convidou os empresários a enxergarem na crise uma oportunidade de crescimento sólido e permanente

Como também lhe é característico, Ladmir não se furtou em falar do momento delicado vivido pelo país atualmente e convidou os empresários a enxergarem na crise uma oportunidade de crescimento sólido e permanente

Como também lhe é característico, Ladmir não se furtou em falar do momento delicado vivido pelo país atualmente e convidou os empresários a enxergarem na crise uma oportunidade de crescimento sólido e permanente. Perguntado se são os momentos de crise os mais propícios para alavancar o crescimento, Ladmir não hesitou em confirmar e ratificar sua preocupação. “Nós vamos fazer agora 26 anos e nesse período passamos por muitas crises, muitos momentos de adversidade como temos hoje. Mas foram nesses momentos, em todos esses momentos de crise que a Alterdata cresceu consideravelmente. Porque nós não tiramos o pé do acelerador. Nós acreditamos muito que no momento de crise existem grandes oportunidades, e ficamos o tempo inteiro olhando com lupa para tentarmos encontrar essas chances de crescimento, que a maioria das pessoas não vê! Gosto muito de usar uma frase em minhas palestras que diz: “Um grande navegador se descobre na tempestade e nunca na calmaria”. Quando tudo está tranquilo, qualquer administrador medíocre consegue tocar o seu negócio, mas quando a situação está complexa exige um bom administrador e nesta hora um excelente administrador percebe oportunidades que o outro não consegue ver. O momento é de oportunidades! As empresas precisam estudar mais os seus mercados, entender mais aquilo que pode ser feito. Dá para crescer num momento de adversidade e dificuldades como o que vivemos”, conclama Ladmir.

Como a obra traz textos curtos, rápidos e objetivos, para serem lidos fora de sequência, fica muito mais fácil a aplicação dos conceitos àqueles que não dispõem de tempo para leitura regular, progressiva, de um livro na forma convencional. Assim, o conteúdo privilegia duas ordens de leitores: o empresário pequeno e médio que precisa fazer sua empresa mais dinâmica e rentável. Afinal Ladmir utiliza exemplos, conceitos, casos reais e sugestões de atividades, além de expor de forma límpida o ambiente corporativo de menor porte, e o colaborador que almeja crescer na carreira no âmbito empresarial, e para isso precisa compreender o comportamento e conhecimento imprescindíveis para agregar mais valor à respectiva empresa.

 

Postado em Capa, CidadeComentário (0)

Livro conta a trajetória do político Paulinho Nascimento

– De vereador a deputado federal, o carismático homem público conta como atuou nos mais diversos momentos da política nacional

“Mesmo com tanto tempo de vida pública ando com a cabeça erguida na minha cidade”, disse Paulinho

“Mesmo com tanto tempo de vida pública ando com a cabeça erguida na minha cidade”, disse Paulinho

Um dos políticos mais conhecidos de nossa região e um dos mais atuantes enquanto mandatário acaba de ganhar uma extensa obra literária contando essa bonita e reta trajetória, num segmento dos menos favoráveis aos bons exemplos. Orgulhoso de andar de cabeça erguida em seu município de origem, Paulinho Nascimento recebeu dois presentes com o lançamento da sua biografia política: a sua história perpetuada e contada através do talento da filha e jornalista Márcia Nascimento Chiapeta. O lançamento acontece na Casa da Memória Arthur Dalmasso, na próxima terça-feira, 09, às 19 horas e toda a renda da obra será destinada a instituições cristãs do município.
Muito orgulhoso do resultado do trabalho da sua filha, Paulinho contou para nossa reportagem como o projeto surgiu por acaso e acabou tomando as mais de 280 páginas que compõem a obra “Nos Bastidores”. “A minha relação com a política vem de berço e fui me apaixonando pelo tema ao longo do meu crescimento como cidadão, daí tive a ideia de sintetizar essa relação de vida política e atuação pública em algo que pudesse ser passado para os meus filhos, netos, bisnetos, enfim, para a minha família. Mas, a minha filha Márcia, que é jornalista, me convenceu a transformar esse projeto de memória para a família em algo para toda a cidade. Na verdade a culpa é mesmo dela, foi a Márcia que insistiu para que o livro se tornasse uma realidade. E o engraçado foi que surgiu meio que por acaso, com amigos me cobrando, baseados em participações minhas em canais de televisão, que aquilo tudo fosse colocado em um livro. Então, essas cobranças dos amigos, somadas a insistência da minha filha Márcia, fez surgir o livro com minha trajetória com a minha vida política na cidade, minha vida política no estado como deputado estadual e a minha participação em Brasília como deputado federal”, enaltece.

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (1)

Acordo ortográfico volta a ser discutido

Desde 2010, todos os livros do Programa Nacional do Livro Didático estão sendo publicados em conformidade com o acordo ortográfico (Foto: Marcello Casal Jr/ABr)

Desde 2010, todos os livros do Programa Nacional do Livro Didático estão sendo publicados em conformidade com o acordo ortográfico (Foto: Marcello Casal Jr/ABr)

– Obras do Programa Nacional do Livro Didático têm sido publicadas em conformidade com a legislação

Agência Senado) O professor Ernani Pimentel, idealizador do projeto Simplificando a Ortografia, é um dos coordenadores do grupo de trabalho criado na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado para discutir o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Ele pretende ampliar a discussão sobre a Língua Portuguesa e levar além do estágio atual as transformações no idioma. Segundo sua avaliação, o acordo ortográfico precisa ser repensado.
– O acordo foi concebido em 1970, assinado em 1990 e promulgado em 2008. Já nasceu defasado – analisa ele.
O objetivo final do ciclo de debates, explica o professor, é levar propostas a respeito do acordo para exposição no Seminário Internacional Linguístico-Ortográfico da Língua Portuguesa, que será realizado em Brasília no mês de setembro. No evento, as melhores ideias serão selecionadas pelos participantes, que são especialistas e profissionais da Língua Portuguesa. Depois disso, audiências públicas amplificariam o assunto.
Na visão de Pimentel, o que está em jogo é o próprio ensino da língua.
– O acordo mantém regras que estão dissociadas da didática moderna. É tão cheio de incoerências que nenhum professor em sã consciência pode dizer que o entende completamente – critica.
Sua intenção, expressa no nome de seu projeto, é simplificar normas ortográficas. Ele acredita que muitas são mantidas por motivos que não fariam mais sentido.
– A grafia de certas palavras só tem explicação pela etimologia. Mas ninguém se preocupa mais em saber a origem das palavras. Então temos regras inaplicáveis, que não são práticas. Podemos eliminar algumas delas e facilitar o aprendizado.
Por outro lado, o linguista Carlos Alberto Faraco, da Associação Brasileira de Linguística (Abralin), acredita que o país já está bem organizado em torno da proposta original do acordo e não vê razão para que se reabra a discussão da ortografia.
– No momento, é absolutamente prioritário o fechamento do círculo do acordo, que veio não para reformar a ortografia, mas apenas para dissolver a dualidade de ortografias oficiais que estavam criando constrangimentos à internacionalização da nossa língua – opina ele.
Faraco acredita que o Brasil já está pronto para adotar definitivamente as normas do acordo ortográfico de forma exclusiva, o que só está previsto para acontecer em 2016. Atualmente, vive-se uma fase de transição, em que tanto as regras antigas quanto as novas devem ser aceitas como corretas.
– A partir de 2010, todos os milhões de livros do Programa Nacional do Livro Didático estão sendo publicados em conformidade com o acordo ortográfico. O sistema escolar o incorporou sem qualquer trauma. Os documentos oficiais estão ajustados. Toda a imprensa brasileira e todas as editoras o adotaram. Em suma, o acordo já está inteiramente implantado no Brasil de fato – acredita o linguista.

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (0)

Projeto Escola da Paz vira livro

– “Enterrem Meu Coração no Pátio da Escola” apresenta a realidade da violência em escolas públicas

Para Denilson Cardoso é fundamental que as atitudes em prol da educação sejam tomadas por professores, pais e pelos alunos

Para Denilson Cardoso é fundamental que as atitudes em prol da educação sejam tomadas por professores, pais e pelos alunos

Conhecido por muitos educadores aqui de Teresópolis, o “Projeto Escola da Paz” agora virou livro. O palestrante e escritor Denilson Cardoso de Araújo trouxe para as páginas da publicação “Enterrem Meu Coração no Pátio da Escola” textos com trechos das explanações feitas em unidades escolares. Objetivo é chamar pais, educadores e os filhos à responsabilidade que lhe é cabida, para que juntos possam mudar a triste realidade de violência nas escolas.
São 264 páginas de crônicas que dão uma visão realista sobre a situação em que as unidades escolares (especialmente as públicas) se encontram atualmente no que tange a violência. Na mesma mão, apresenta soluções para que as famílias possam lidar com os dramas peculiares desta idade, a adolescência, de maneira a construir cidadãos dignos, cientes de direitos e deveres.
Hoje o projeto “Escola da Paz” é abraçado e executado pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio, sendo o Desembargador Siro Darlan, inclusive, quem escreve o prefácio da obra.

Postado em Banner principal, Capa, CidadeComentário (0)

Cantor Fernando Mello lança livro de crônicas

Fernando Mello e o seu livro: músico, professor e compositor, artista mostra o talento para a escrita que poucos conheciam.

Fernando Mello e o seu livro: músico, professor e compositor, artista mostra o talento para a escrita que poucos conheciam./

Músico, cantor e compositor mostra talento também com as histórias

O artista Fernando Mello, conhecido pela suas performances nos palcos em shows musicais da cidade tem uma faceta pouco conhecida pelo público geral. Formado em Letras, o artista – que também é professor de música – fará o pré-lançamento de seu primeiro livro: “As Aventuras de Mário Mico”. A publicação, com 17 crônicas, será apresentada nesta quinta-feira, dia 3 de outubro, no Café com Bolhas, que fica na Rua Heitor de Moura Estevão, 229, na Várzea. O lançamento oficial da obra está previsto para o fim do ano, em uma feira literária que vai reunir esta e outras obras de artistas locais. As duas livrarias em atividade na cidade já estão com a obra disponível para venda por R$ 28. Algumas bancas de jornais também servirão como ponto de venda, além de empresas parceiras do artista. Fernando fala de sua experiência de trocas os instrumentos musicais pelas letras. “Eu fui escolhido com orador da minha turma na formatura do Segundo Grau, hoje Ensino Médio. Lembro-me que quando peguei o microfone, a primeira frase que eu disse foi: ‘Se tivesse um violão seria bem mais fácil’. [Carlos] Drumond [de Andrade] já dizia que a luta com as palavras é vã. Realmente sou um músico que tem facilidade para cantar e compor. Isso todos sabem. Então resolvi partir agora para uma nova empreitada, que é esse meu livro recém saído do forno”, relata.

Homenagem

Segundo Mello, o título do livro é uma homenagem a um amigo que acabou tornando-se um personagem. “Mário Mico existe, é um grande amigo meu. Ele trabalha como produtor musical do Monobloco. É uma pessoa que tem históricas mirabolantes. Comecei então a escrever as histórias dele e lembrei que também tenho várias situações vividas, comigo e amigos. Então porque não escrever tudo isso também? Comecei então a escrever e atribuir a ele, que virou o personagem principal”, explica. O escritor conta que são 17 histórias em formato de crônicas. “São verdadeiras e abordam os mais variados temas, principalmente com a música, com as roubadas que os profissionais desse ramo acabam se metendo. Também histórias mais densas, algumas tristes. Enfim, uma miscelânea de fatos da minha vida e de alguns amigos mais chegados. O Mário Mico é a grande estrela do livro e se envolve nas histórias”, antecipa.

Ter um filho, plantar uma árvore…

Segundo o autor, a editoração do livro é a realização de um sonho. “É uma grande emoção. Tem aquela história de que a pessoa para se realizar precisa plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. Eu cumpro a minha cota e posso até morrer em paz. É um produto diferente, principalmente para quem gosta de livros como eu. Na contracapa conto um pouco da minha história e lembro que meu pai teve a maior biblioteca do Estado do Acre, onde haviam mais de três mil volumes. Sempre vivi no meio dos livros, estudei, me formei em literatura e gosto da Língua Portuguesa, de redação”, conta. A obra de Fernando Mello foi impressa pela Editora Zen. Além dos pontos de venda, o artista conta que vai disponibilizar o contato via rede social Facebook para quem quiser ter acesso ao livro.

Postado em CulturaComentário (0)

Aluna lança o livro “Histórias da Chapeuzinho Roxo”

– Mariana Reis, de apenas 13 anos, fez o lançamento da obra para amigos, professores e familiares

A manhã desta sexta-feira, 6, foi cheia de emoção e sentimento de orgulho no Colégio Nossa Senhora do Carmo, isso porque a adolescente Mariana Reis, de 13 anos, fez o lançamento oficial de seu primeiro livro “Histórias da Chapeuzinho Roxo”, que fala sobre o crescimento de uma menina meiga que adora a cor roxa. Professores, familiares e amigos da escola prestigiaram o evento, que serve de incentivo para as pessoas que buscam a realização dos sonhos, sejam eles profissionais, ou não.
Cláudia Bach, diretora do Colégio Nossa Senhora do Carmo diz que acompanha Mariana desde o início de sua vida escolar e que é com grande satisfação que a menina faça o lançamento da obra na escola: “A Mariana é nossa aluna desde pequenininha, foi minha aluna na alfabetização, inclusive, e sempre demonstrou muita firmeza naquilo que ela gostaria de realizar na vida dela, sempre correu atrás dos ideais, então é uma satisfação muito grande para nós, e serve de incentivo para os outros alunos, que talvez tenham o mesmo talento e talvez não tenham tido a coragem. Uma menina tão nova e tão decidida naquilo que ela quer e ela conseguiu conquistar mesmo o sonho dela”.
Para a educadora, a vitória certamente não é só de Mariana, mas de toda a comunidade escolar. “Esse lançamento aqui na escola tem todos os gostos possíveis, é muito maravilhoso, além de uma satisfação muito grande para a escola, e um orgulho para a gente. É uma alegria enorme poder estar sendo o ponto de lançamento do livro da Mariana”, ressalta.

Mariana Reis, autora do livro, diz que desde que aprendeu a escrever sempre esteve envolvida com literatura

História diferente com linguagem simples

A escritora Ana Maria de Andrade auxiliou em todo o processo de lançamento do livro, e foi a primeira profissional da área a ter contato com o trabalho da adolescente: “Conheci a Mariana aqui na escola quando eu vim fazer o trabalho do livro ‘Água Viva’ e desde pequenininha, com cerca de sete anos ela chegou perto de mim e disse: ‘Tia, eu queria ser escritora’. Isso para a gente não tem preço, porque a maior felicidade para quem escreve um livro infantil é ver o quanto que isso estimula as crianças a gostarem de ler e escrever, e também quererem ser escritoras. O texto realmente é muito diferente, mesmo com uma linguagem simples ela conta a história da Chapeuzinho Roxo, só que esta não é a história da Chapeuzinho Vermelho, é a menina que cresce até a fase de idosa, e ela flexiona o tempo nesse contexto com uma grande habilidade, para a idade dela, até porque ela está lançando esse livro hoje, mas na verdade ela escreveu a história quando tinha apenas nove anos de idade”.
Zenilda Reis, avó de Mariana diz que tem algum tempo que a família já sabe do amor da menina pela literatura: “A Mariana começou a escrever e sempre nos surpreendeu quando ela, em uma festa de fim de ano, escreveu um texto e fomos percebendo esse talento dela. As brincadeiras prediletas dela sempre envolviam um bloquinho e um lápis, e onde ia estava sempre escrevendo. Quando com sete anos ela montou um CD e deu de presente. A gente tem descoberto muitas das coisas que ela escreve e aos nove anos ela escreveu a história da Chapeuzinho Roxo. A vitória é dela, nossa e de todos que ajudaram. A emoção é muito grande”.

O lançamento do livro de Mariana Reis foi acompanhado por parentes e amigos que ajudaram no processo

Carreira Promissora

A jovem escritora falou um pouco sobre suas inspirações: “Sempre gostei muito de escrever, desde a alfabetização, e mesmo quando eu era pequena eu sempre associava as figuras com as palavras e acaba construindo o texto. A história da Chapeuzinho Roxo fala sobre uma menina que é sempre muito delicada e fala sobre o decorrer dessa história que tem como personagens, a mãe, a avó e acabam surgindo também outros personagens nessa história”.
Mariana Reis diz que esse é apenas o começo, e que sua cabecinha “fervilha” de ideias para os próximos livros. “Pretendo continuar a minha carreira de escritora, e já tenho alguns outros livros já sendo pensados e só falta mesmo editar e lançar”, enfatiza.
Toda a ilustração do livro foi desenvolvida por Argélia de Paula, e foi pensada de forma que possa ser reproduzida pelas crianças, como desenhos em um bloco, e a editora que tornou o sonho de Mariana uma realidade é a Livraria Arco-Íris.
Mais informações sobre como conseguir o livro podem ser conseguidas no Carmo através do telefone 2742-2977.

Postado em Banner principal, CidadeComentário (0)

SUPER MAIS: Era uma vez… Literatura infantil

técnica japonesa que existe há mais de um século e consiste na arte de dobrar papel e fazer as mais diversas figuras

Era uma vez…. Um novo mundo infantil. Em tempos de internet, o resgate da literatura através de um mundo lúdico e divertido.

 

Era uma vez, Ana Maria de Andrade, uma professora do ensino infantil, que através de ilustrações confeccionadas por ela mesma, contava histórias para seus pequeninos alunos que ficavam encantados com a riqueza de cores e formatos e os temas até então complexos e distantes para crianças pequenas, tais como: reflorestamento, chuva ácida, escassez de água potável, reciclagem, consumo consciente e as contradições do comportamento humano diante do planeta e da sua própria sobrevivência. De forma lúdica, simples e envolvente, a professora encantava em sala de aula.

Um belo dia, uma colega de trabalho a questionou: – porque você não publica suas histórias?
Surgia assim, a escritora infantil, que publicou seu primeiro livro em 2004, Água Viva, pela Editora Santa Clara de Minas Gerais. De lá pra cá, Ana não parou mais. Em 2005 foi a vez do livro Terra-Mãe, em 2006, Ar Doce Ar, em 2007 É o Bicho Homem, já pela Editora Ao Livro Técnico do Rio de Janeiro, em 2008 A Casa do Lixo Zero, da mesma editora, depois em 2009 Uma História Diferente Contada de trás Pra Frente, da Editora Imperial Novo Milênio do Rio de Janeiro, e não parou por ai, em 2010 publicou o livro Quando o Natal Acontece e finalmente em 2012 lançou o belíssimo livro Olhos da Terra. Ana Maria também é jornalista, o que segundo ela, facilitou bastante o trabalho de escrever livros infantis com temas tão atuais e importantes para a preservação do meio ambiente.

Ana Maria já obteve vários reconhecimentos importantes, dentre eles: a adoção do livro Água Viva no Plano Nacional do Livro Didático, para todas as escolas da rede pública do Estado de São Paulo

Excelente ferramenta

Os livros da escritora são excelentes ferramentas para pais, professores, dinamizadores de leitura, gestores de recursos humanos e promotores de eventos culturais. Estão conquistando espaço em projetos de Educação Ambiental nas escolas, empresas e espaços de cultura, no Brasil e em Portugal. “Procuro despertar na criança o amor pela natureza e a reflexão sobre o comportamento do homem diante do planeta”, afirma Ana Maria. Além de unirem textos de literatura infantil, com foco nas questões ambientais, as histórias são contadas com linguagem de fácil entendimento para crianças a partir da Educação Infantil e trazem em sua concepção gráfica uma nova proposta, pois a autora ilustra as suas histórias a partir do reaproveitamento de materiais tais como sobras de papel, recortes de revistas, papel machê, sucata e materiais diversificados trazendo um novo conceito para o campo das artes plásticas: a Arte

Em sua participação no programa Super Mais, Ana Maria mostrou todos os seus livros e falou um pouquinho da concepção de cada um

Preservação do nosso planeta

Em sua participação no programa Super Mais, Ana Maria além de mostrar todos os seus livros e falar um pouquinho da concepção de cada um, ela mostrou a arte do Origami (técnica japonesa que existe há mais de um século e consiste na arte de dobrar papel e fazer as mais diversas figuras), eu não resisti e embarquei nessa deliciosa aventura.
Eu conheci a Ana em um Encontro de Educação Ambiental que aconteceu lá no Parque Nacional, onde várias oficinas foram oferecidas aos participantes, e em uma delas, lá estava a simpática escritora para nos mostrar como ensinar as crianças a importância da preservação do nosso planeta. Naquela oficina éramos as crianças e participamos ativamente da contação de história de seu último livro, Olhos da Terra, e em seguida, todos nós fizemos um Origami, um lindo Beija Flor que foi colocado no painel do Parque. A experiência foi maravilhosa, e uma delícia, desde então, venho acompanhando seu trabalho, até porque, na minha casa ela tem uma pequena fã, minha filha Manuela que tem todos os livros da escritora, e todos autografados!

Os livros da escritora são excelentes ferramentas para pais, professores, dinamizadores de leitura, gestores de recursos humanos e promotores de eventos culturais

Orgulho teresopolitano

Ana Maria é um orgulho teresopolitano, já obteve vários reconhecimentos importantes, dentre eles: a adoção do livro Água Viva no Plano Nacional do Livro Didático, para todas as escolas da rede pública do Estado de São Paulo; a adoção do livro È o Bicho Homem para todas as escolas municipais do Rio de Janeiro; a reprodução do texto A Casa do Lixo Zero nos cadernos de apoio pedagógico da Secretaria de Educação do Rio de Janeiro, distribuídos a todas as escolas do Estado; a certificação pela fundação ABRINQ como empresa Amiga da Criança pelo projeto Água Viva, desenvolvido no setor de responsabilidade socioambiental da empresa ICQL Química (empresa vencedora do prêmio MPE Brasil 2010 e Prêmio Ser Humano 2012); a adoção do livro Ar Doce Ar pela Câmara Municipal da cidade da Guarda em Portugal, para o setor de Educação Ambiental, em ações desenvolvidas em todas as escolas municipais.
É uma verdadeira história de amor entre a escritora e seus pequenos leitores, certamente.
“E viveram felizes para sempre”.

Postado em Arte, Super MaisComentários (2)

Hudson Fernandes lança livro no Teatro Municipal

Hudson Fernandes com o empresário Paulo Lomenha e Cintia

– ‘Cartas à minha mãe e ao meu amado’ é o quarto trabalho de servidor público

O poeta Hudson Fernandes lançou na última semana, no Teatro Municipal, o livro ‘Cartas à minha mãe e ao meu amado’. Quarta publicação do escritor, que é funcionário da Prefeitura, a obra traz uma reflexão poética sobre o encontro e o desencontro na existência humana.
“A experiência de escrever sobre o sentimento é o grande desafio… Entretanto, ao se deixar mover pelo ato de amar, já se escreve uma história cotidianamente. As cartas à mãe e ao amado são palavras unidas pela força de elos consistentes que se formaram no instante em que descobrimos um no outro o milagre de ser feliz acompanhado, graças à nobreza existente no compartilhar do que se tem ou mesmo do que por vezes falta”, comentou Hudson Fernandes.
O lançamento contou com a presença de representantes ilustres da sociedade teresopolitana, como a juíza Inês Coutinho, os ex-secretários municipais de Esportes e Lazer, Demerval Casemiro e Francisco Gaspar, a ex-secretária municipal de Educação, Graça Medeiros, os empresários Paulo Lomenha e Álvaro Menezes. Amigos e companheiros de trabalho, como Yuri Rodrigo, também prestigiaram o evento.
Para o escritor, encontrar o rever amigos é sempre o melhor que pode acontecer com o humano. “Ver que continuamos juntos é, sem dúvida, dádiva divina. Todos os presentes fazem parte da melhor das histórias que Deus me deixou escrever”, frisou o poeta.

Amigos e companheiros de trabalho prestigiam o lançamento do livro

Perfil

Nascido em Sapucaia, no estado do Rio de Janeiro, em 1965, o poeta e escritor Hudson Fernandes mora em Teresópolis há 37 anos. Funcionário público concursado há 28 anos, Hudson possui vasta experiência na Administração Municipal e já passou pelas secretarias de Administração, Cultura, Educação, Esportes e Lazer, Fazenda, Turismo. Atualmente exerce função na Assessoria de Comunicação Social.
Hudson tem coluna no jornal A Verdade e no Notícias da Hora, nos quais escreve sobre o cotidiano e apresentou o programa ‘Esquinas da Palavra’ em um canal de tv a cabo da cidade. O programa voltará ao ar em breve na Terê TV, com produção da Córtex Filmes.
Os livros já publicados por Hudson Fernandes são ‘Anjos não voam na chuva’ (1994), ‘Pedro Anjo (1998) e ‘Ainda florescem ipês no meu caminho’ (2006).

Postado em CulturaComentário (1)


Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...