Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Armadilha fotográfica flagra novamente os dois filhotes de onça-parda

Novo registro dos jovens da espécie Puma concolor aconteceu no Parque Estadual dos Três Picos

Dois jovens indivíduos de Puma concolor (onça-parda) deram as caras no último mês de fevereiro em armadilhas fotográficas localizadas no Parque Estadual dos Três Picos (PETP), unidade de conservação administrada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Os irmãos, que já haviam sido registrados anteriormente em companhia da mãe, apareceram a cerca de 400 metros de altitude e pertencem à espécie que é conhecida como o segundo maior felino das Américas. Também chamada de Suçuarana ou Leão-baio, a onça-parda alimenta-se de animais silvestres de portes variados e exerce papel vital na manutenção da integridade dos ecossistemas onde ocorre. O animal está na lista das espécies ameaçadas de extinção e tem a capacidade de adaptação a vários tipos de ambientes, de desertos quentes aos altiplanos andinos, com maior atividade ao entardecer e à noite.
O registro em vídeo é fruto do trabalho do “Caminho da Mata Atlântica” (CMA), iniciativa que visa a implantação de uma trilha de longo curso com o objetivo de promover o turismo sustentável com geração de renda e conservação do corredor de biodiversidade da Serra do Mar, e que tem o Inea como parceiro institucional. O flagrante dos felinos aconteceu em área entre o PETP e a Reserva Ecológica de Guapiaçu, a Regua, Reserva Particular do Patrimônio Natural reconhecida pelo instituto. “É muito gratificante ver que o trabalho de conservação que desenvolvemos pelo estado tem rendido lindos frutos como este flagrante de animais tão emblemáticos da nossa fauna selvagem. A união e diálogo entre entes ambientais permite uma atuação mais eficaz no que diz respeito à observação e monitoramento do patrimônio ambiental fluminense”, celebra o vice-governador e secretário de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha.
Segundo técnicos do Inea, o aparecimento de onças-pardas nas unidades de conservação indica que o ecossistema na região está saudável, uma vez que o felino está no topo da cadeia alimentar. Além disso, a sobrevivência do animal dentro dos limites dos parques evidencia também que o ambiente de Mata Atlântica está saudável e proporciona condições para sua alimentação.

Sobre as unidades de conservação
Com área aproximada de 65 mil hectares, o Parque Estadual dos Três Picos abrange áreas dos municípios de Teresópolis, Guapimirim, Nova Friburgo, Cachoeiras de Macacu e Silva Jardim, na Região Serrana do Rio. Além do novo núcleo em Teresópolis, a unidade de conservação possui sede em Cachoeiras de Macacu, um núcleo de montanha em Nova Friburgo e um núcleo operacional em Guapimirim. A onça-parda é a espécie símbolo do parque devido a sua presença na região.
A Reserva Ecológica de Guapiaçu (Regua), situada no município de Cachoeiras de Macacu, tem atuação de destaque na proteção e conservação dos remanescentes florestais de Mata Atlântica na bacia do rio Guapiaçu. A Regua desenvolve atividades de pesquisas científicas, restauração ecossistêmica, visitação recreativa, observação de aves, educação ambiental, dentre outras. No local, o Projeto Refauna, com o apoio do instituto, reintroduziu a anta (Tapirus terrestris) no estado, espécie antes considerada extinta no território fluminense.

Compartilhe:

Edição 01/03/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

GCM e PM apreendem produtos de beleza e saúde vendidos em via pública

Estudantes na campanha contra o mosquito Aedes aegypti

Homem preso com maconha e cocaína em Água Quente

OABRJ e TRF2 realizam parceria para casos de regularização fundiária

Foragido da Justiça é localizado em Teresópolis

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE