Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Asfaltamento paralisado em Teresópolis será retomado nesta quinta-feira

Danificado, equipamento utilizado nas obras precisou ser consertado no Rio de Janeiro

Luiz Bandeira

O governo do estado abriu várias frentes de obras de infraestrutura em Teresópolis e uma delas, em parceria com o município, espera reparar mais de 50 quilômetros de vias. O início do programa “Asfalto Novo” se deu com a presença do prefeito Vinicius Claussen, na Rua Manoel Carreiro de Mello, em seus 850 metros entre o Bairro Pimentel e a Praça dos Expedicionários, no centro do Bairro de São Pedro. Na ocasião do lançamento do projeto, no dia 30 de maio passado, a equipe do jornal O Diário e Diário TV questionou o prefeito a cerca dos critérios usados para selecionar as ruas que seriam reformadas. “Nós já temos um plano de trabalho, foi feito um estudo viário, de necessidade de recapeamento, nós selecionamos ruas que já apresentavam degradação, asfalto muito quebradiço, com muito remendo”, anunciou o prefeito. Porém, quase três meses após o início do programa “Asfalto Novo”, menos de um terço dos 50 quilômetros de asfalto prometidos foi assentado e o pior, alguns contratempos vêm inviabilizando a continuidade do serviço. Seguidores das mídias sociais do Diário vêm manifestando indignação pelo atraso na conclusão da reforma de duas importantes vias do município, a Rua Prefeito Sebastião Teixeira, que liga a região central com os bairros da Tijuca, Bom Retiro e Ermitage, e a Rua Tietê no Bairro de Fátima, importante ligação entre os bairros do Alto e São Pedro.
Nesta quarta-feira, 24, procuramos o secretário de Serviços Públicos do município, Davi Serafim, para que ele pudesse justificar os motivos pelos quais as obras de recapeamento da Rua Prefeito Sebastião Teixeira e Rua Tietê, foram paralisadas. “A gente está sempre prestes a atender todas as questões, infelizmente a gente teve dois imprevistos na obra da Rua Prefeito Sebastião Teixeira, pois uma das máquinas quebrou, como eu tinha dito anteriormente e a Tietê a gente fez aquela melhoria, pois a máquina vibro-acabadora não faz o serviço de acabamento tanto igual ao que foi feito na Sebastião Teixeira, com o mesmo capricho, então o que a gente fez lá foi para eliminar o problema da poeira que era a maior reclamação. Na Prefeito Sebastião Teixeira os trabalhos estão sendo retomados ainda hoje ou amanhã. A máquina já está subindo, foi reparada no Rio de Janeiro e está vindo para Teresópolis pra gente concluir a Sebastião Teixeira e posteriormente dar andamento na Tietê”, resumiu o secretário, que explicou ainda que o reparo desta máquina que inicialmente seria realizado aqui, sem deslocar a máquina para outra cidade, não foi possível e o governo do estado, que contratou o trabalho deste maquinário, teve que providenciar o envio do equipamento para reparo na capital fluminense, aumentando o atraso da retomada dos trabalhos.

Secretário de Serviços Públicos admitiu o atraso e atribui o problema a demora no reparo de máquina essencial para assentamento do novo asfalto quente

Bairro de Fátima
Davi Serafim explicou ainda que a Rua Tietê recebeu apenas uma primeira camada de asfalto para minimizar os transtornos causados pela poeira e pelos muitos buracos que traziam perigo aos motoristas. “A Tietê a gente não finalizou, a gente fez ali um serviço emergencial, uma primeira camada, digamos assim, para aliviar o problema da poeira e daqueles buracos que estavam ali, então agora, se o tempo ajudar, entre hoje e amanhã a gente termina a Rua Prefeito Sebastião Teixeira, a Rua Tietê a gente termina na semana que vem, garantiu Davi Serafim.

Enquanto não chega o “Asfalto Novo” população precisa conviver com problemas antigos

Nova galeria na Tietê
A galeria de águas pluviais que passa por baixo da Rua Tietê já se rompeu diversas vezes e, em todas elas, o serviço de reparo realizado não se mostrou suficiente para resolver um problema recorrente no bairro, que vem passando por um crescimento demográfico muito maior que a capacidade da galeria antiga em absorver o aumento do despejo. Davi Serafim revela que o governo municipal está sensível a esse problema do bairro. “Já é um projeto antigo da prefeitura e agora esse projeto chegou na fase final e está sendo executado. A gente vai da Casa de Cultura até a Praça Dom Quixote, onde vai eliminar aquele problema de alagamento, rede de esgoto que é antiga. Então hoje a gente está subindo com outra rede, de um metro de diâmetro e vamos manter a rede antiga que é de 60, então teremos ali um metro e 60 de água pra correr sem problema até o Rio Paquequer. A gente comprou quinhentas manilhas, numa extensão de 450 metros”, revela o secretário.

Edição 23/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Chuvas no estado do Rio provocam ao menos sete mortes

Justiça Federal determina retorno de Adélio Bispo a Minas Gerais

Ônibus: novas tarifas intermunicipais entram em vigor neste sábado

Sexta e sábado com feira de adoção de cães na Várzea

Asfalto ficou na promessa e Vale dos Cedrinhos segue quase intransitável

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE