Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

ATLAS DA VIOLÊNCIA: Teresópolis é o município com a maior taxa de homicídios na Região Serrana

Dados divulgados pelo IPEA indicam números acima de Nova Friburgo e Petrópolis

O recém-lançado Atlas da Violência, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) indica que Teresópolis é o município da Região Serrana com a maior taxa de homicídios estimados por 100 mil habitantes. Segundo a pesquisa, que utiliza dados referentes ao ano de 2022, a cidade ocupa a posição de número 176, com 33 assassinatos registrados e uma taxa de 20 mortes na média populacional estudada, enquanto Nova Friburgo (276ª posição) registrou 17 mortes e tem taxa de 9.0. Em Petrópolis (278ª posição), no mesmo período foram 28 homicídios e a taxa é de 10.0. No caso dos últimos dois municípios, a terra de Pedro registrou mais óbitos, porém o número geral de habitantes é maior. Segundo o último Censo do IBGE, os números de moradores de cada município são os seguintes: Teresópolis – 165.123; Nova Friburgo – 189.939; e Petrópolis – 278.881.
A colocação das cidades da serra carioca na estatística é em relação a todos os municípios entre 100 e 500 mil habitantes no país. Nessa categoria, a cidade mais violenta do Brasil, com taxa de 94,1 mortes por 100 mil habitantes, é Santo Antônio de Jesus, na Bahia. No estado do Rio, lidera a lista negativa a cidade de Itaguaí, com a taxa de 59.9 assassinatos. Para a contagem, o IPEA utilizou o conceito de homicídios estimados, qual seja, a soma dos homicídios registrados mais os homicídios ocultos. Os homicídios registrados são aqueles provenientes do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde (MS), que correspondem aos óbitos causados por agressões mais as intervenções legais, segundo a décima Classificação Internacional de Doenças (CID-10) da Organização Mundial da Saúde (OMS) 1. Já os homicídios ocultos são os óbitos classificados no SIM/MS como mortes violentas com causa indeterminada (MVCIs), mas que seriam homicídios.
“No Brasil, foram registrados 46.409 homicídios em 2022, ou 21,7 homicídios registrados para cada 100 mil habitantes, calculados com a população da PNADc 2022 do IBGE. Com a metodologia aplicada, foram encontrados 5.982 homicídios ocultos (inicialmente registrados como MVCI), totalizando 52.391 homicídios estimados. Estes números resultam em uma taxa de 24,5 homicídios estimados por 100 mil habitantes no país. Quando olhamos para as taxas estimadas em cada Unidade Federativa (UF), o valor pode não ser muito destoante da taxa de homicídios registrados por 100 mil habitantes. Entretanto, quando a análise se centra nos municípios, grandes discrepâncias podem ocorrer, pelo fato de alguns poucos homicídios ocultados pela classificação incorreta alterarem significativamente a taxa de homicídio local, fazendo com que municípios tidos como pacíficos sejam considerados relativamente violentos”, informa o IPEA.

“Guerra do tráfico”
Acompanhando mensalmente os números divulgados pelo Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP-RJ), em 2022 O Diário produziu algumas reportagens mostrando a escalada na estatística relacionada aos crimes de homicídio, destacando por diversas vezes que a grande maioria dos casos, quase de maneira absoluta, tinha a mesma motivação: o tráfico de drogas. Mortes brutais foram registradas em bairros como Perpétuo, Rosário, Pimentel, Coréia, Vale da Revolta e Paineiras, seja na disputa por locais para o comércio ilícito ou por dívidas relacionadas à compra e venda de cocaína, crack e maconha – entorpecentes encontrados com mais frequência em Teresópolis. Também destacamos diversas ações das forças de segurança – Polícias Militar e Civil, Ministério Público e GCM – no enfrentamento ao tráfico. Em uma das operações realizadas naquele ano, a polícia apreendeu uma pistola e um revólver que teriam sido utilizados em um assassinato no bairro de Paineiras, sendo vítima um homem de 42 anos. Também foram conduzidos para o xadrez da 110ª DP suspeitos de participação nessa morte. Informações que possam contribuir com investigações e prisões podem ser passadas anonimamente para os telefones 190 / 2742-7755 (Polícia Civil) e 2642-9252 e 98596-7436 (Polícia Civil).

ATLAS DA VIOLÊNCIA – HOMICÍDIOS POR 100 MIL HABITANTES
Teresópolis – 176ª posição, 32 homicídios, taxa de 20.0 (165.123 habitantes)
Nova Friburgo – 276ª posição, 16 homicídios, taxa de 9.0 – (189.939 habitantes)
Petrópolis – 278ª posição, 27 homicídios, taxa de 10.0 – (278.881 habitantes)

Edição 25/07/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Mais dois flagrantes de corte irregular de árvores em Teresópolis

ATÉ DÍVIDA DE R$ 1: Prefeitura de Teresópolis notifica e divulga lista com 210 contribuintes

Transporte escolar: renovação do alvará até o dia 31

Onça-parda e Jaguatirica “gigante” flagrados em trilhas do Parque dos Três Picos

Estácio Teresópolis disponibiliza vagas para o ProUni

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE