Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Bonita rua em Quebra-Frascos está sendo transformada em lixão

Cercada por um fragmento florestal, via pública tem sido utilizada como depósito de restos de todo o tipo

Uma dos serviços públicos prestados pela atual “gestão” que nada mudou em relação aos da “velha política”, como gosta de chamar o prefeito ao se referir aos que vieram antes dele, é o de coleta de lixo. Continua muito ruim e questionado pela maioria dos contribuintes. Agora, do outro lado dessa história, com “prefeito novo ou velho”, também não mudou a cultura de parte da população teresopolitano que acha que pode jogar em via pública o que para ela não tem mais utilidade. Em diversas ruas, nas zonas urbana e rural, são comuns os “lixões clandestinos”, pontos onde se descarrega de tudo: de lixo doméstico a restos de material de construção ou jardinagem, além de móveis velhos. Nesta quinta-feira (01), a reportagem do Diário registrou mais um desses vergonhosos locais, agora em Quebra-Frascos.
A pequena e bonita Estrada Conde da Covilhã, que conecta a Francisco Smolka, naquele bairro, a João Dalt de Oliveira, a Estrada de Pimenteira, no bairro de Pimenteiras, tem vários pontos onde foram descarregados diversos resíduos que não deveriam estar ali, seguindo em gritante contraste com o fragmento florestal que deixa gélido e aconchegante essa região. A falta de iluminação pública e pouca movimentação, aliada a reduzida fiscalização e campanhas de educação, contribuem para esse tipo de situação.

Em diversas ruas, nas zonas urbana e rural, são comuns os “lixões clandestinos”, pontos onde se descarrega de tudo, como registrado pelo Diário em Quebra-Frascos. Foto: Marcello Medeiros/Diário

Como denunciar os criminosos
Para reclamar a situação ao poder público não é necessário informar seus dados. Basta ligar para a Secretaria Municipal de Ambiente (2742-7763), Secretaria de Posturas (2742-8445) ou Ouvidoria Municipal, pelo telefone 0800 282 5074. Também segundo a Prefeitura, para quem joga lixo nesses terrenos ou em via pública a multa equivale a R$ 1.000,00 e pode dobrar em caso de reincidência e a fiscalização é feita pela a equipe do Controle Urbano. Além disso, os donos dos terrenos também são responsáveis pela preservação do seu patrimônio e são obrigados a cercar e murar, ficando sujeito às penalidades da lei, que no caso são 500 UFIR.

Edição 22/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Ônibus: novas tarifas intermunicipais entram em vigor neste sábado

Sexta e sábado com feira de adoção de cães na Várzea

Asfalto ficou na promessa e Vale dos Cedrinhos segue quase intransitável

Justiça condena quadrilha acusada de pirâmide financeira

Acorrentamento permanente pode ser tipificado como maus-tratos aos animais

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE