Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

BR-040 vai ganhar passagens suspensas para a fauna

Primeiras passarelas serão para primatas, marsupiais e roedores

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro 

Para evitar atropelamento de animais silvestres, o trecho da rodovia BR-040 entre o Rio de Janeiro e Juiz de Fora (MG) vai ganhar duas passagens suspensas para fauna, construídas com materiais naturais e com videomonitoramento.

As estruturas serão as primeiras do tipo no trecho e se somam a uma passagem subterrânea já existente na rodovia em Minas Gerais, monitorada por armadilha fotográfica.

De acordo com a Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora-Rio de Janeiro (Concer), concessionária que administra o trecho de 180 quilômetros, as passagens serão instaladas em novembro, nos quilômetros 86 e 95, na descida da Serra de Petrópolis. Os locais foram escolhidos pela grande incidência de animais nas proximidades da via.

Entre as espécies encontradas na região estão primatas como o mico-leão-dourado, ouriços, gambás e pequenos roedores como a cuíca e o rato-do-mato.

Os dados do Projeto Caminhos da Fauna, implantado pela Concer em 2006, indicam o resgate de aproximadamente 800 animais silvestres nos últimos anos nesse trecho da BR-040, sendo 36 em 2022.

Já os atropelamentos somaram 981 apenas em 2019, últimos dados disponíveis. Os animais resgatados são encaminhados para clínicas veterinárias conveniadas. As carcaças podem ser destinadas a institutos de pesquisa como o Museu Nacional.

Passagens para animais

As passagens para fauna são mecanismos construídos nas rodovias para evitar o atropelamento de animais silvestres. Antes da instalação, é necessário um estudo das espécies encontradas na região e seus hábitos, para verificar qual o modelo e locais mais adequados.

As passagens podem ser inferiores, com túneis sob as rodovias ou mesmo aproveitando pontes com a construção de caminhos secos nas laterais, e superiores ou suspensas, que podem ser de uma simples corda atravessando a rodovia, passagens com cerca e vegetação, pontes de madeira e até viadutos com vegetação e arborizados, ainda não implantados no Brasil.

Levantamento feito pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em 2014, em 20 trechos de rodovias federais, com 5.514,63 quilômetros em todas as regiões do país, registrou 14.445 animais atropelados, entre mamíferos, aves, répteis e anfíbios. Na época, o departamento contou 507 passagens de fauna já implantadas ou em estudo nos trechos monitorados.

Compartilhe:

Notícias Relacionadas
Edição 29/11/2023
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas causam danos irreparáveis, diz presidente do STF

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

RETRO-ESCAVADEIRA: Vereadores criticam marca de máquina comprada pela Prefeitura

Calor fora de época muda rotina de animais peçonhentos

Policial civil denunciado por lavagem de dinheiro é preso no Rio

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE