Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Carteiros farão mutirão para regularizar entregas em Teresópolis

Chegou ao fim nesta quarta-feira a greve dos trabalhadores dos Correios em Teresópolis, após duas semanas de prestação de serviços reduzida de forma drástica com o objetivo de atentar para o impasse quanto ao atendimento do plano de saúde dos funcionários da ECT no município. Após muito debate sobre o tema, ficou definida a retomada do trabalho enquanto a empresa negocia com os hospitais locais a retomada dos convênios e, além disso, será mantida em Teresópolis uma UTI móvel até que situação seja finalizada.

Marcello Medeiros

Chegou ao fim nesta quarta-feira a greve dos trabalhadores dos Correios em Teresópolis, após duas semanas de prestação de serviços reduzida de forma drástica com o objetivo de atentar para o impasse quanto ao atendimento do plano de saúde dos funcionários da ECT no município. Após muito debate sobre o tema, ficou definida a retomada do trabalho enquanto a empresa negocia com os hospitais locais a retomada dos convênios e, além disso, será mantida em Teresópolis uma UTI móvel até que situação seja finalizada. Com o Centro de Distribuição Domiciliária trabalhando com o mínimo de funcionários previstos para esse tipo de movimento, o acúmulo de correspondências e encomendas para serem entregues é enorme.
Para atualizar a prestação do serviço o mais rápido possível, haverá mutirão nos próximos quatro finais de semana – existindo ainda a possibilidade de uma equipe atuar no domingo para desafogar a central local e também outros CDDs, como Nova Iguaçu e Centro do Rio de Janeiro, que passaram a manter o que tinha como destino Teresópolis depois que o espaço no galpão da Avenida Tenente Luiz Meirelles ficou insuficiente. A orientação é que as pessoas que aguardam algum tipo de mercadoria ou carta não procurem a o Centro de Distribuição, visto que o serviço já foi retomado e, consequentemente, tais objetos já podem ter saído para entrega. Além disso, devido ao grande número de embalagens no CDD atualmente, é inviável algum funcionário encontrar um material especifico para entrega em mãos. 

Posição dos hospitais
Os trabalhadores dos Correios entraram em greve por conta do descredenciamento do Hospital São José, único que atendia ao plano de saúde da categoria. O pedido é que seja reativado o acordo com o HSJ ou contratado o Hospital das Clínicas de Teresópolis Constantino Ottaviano. Na última sexta-feira, a Assessoria de Comunicação do São José informou que as negociações estavam em andamento “e em fase adiantada”. Na mesma data, o HCTCO confirmou que também está em negociações com a Postal Saúde: “No momento, estamos na fase de aprovação pela Direção Geral dos termos propostos”. De acordo com a nota enviada pela direção do hospital, os trâmites de aprovação e contratualização podem ainda levar cerca de 30 dias.
“Os trabalhadores estão sofrendo. Em alguns casos precisam ir para outros municípios, o que está trazendo grandes prejuízos financeiros. Foi preciso suspender o atendimento e os trabalhadores sinalizarem com mobilização, para que a empresa fosse verificar o fato. Por quê não  fizeram antes? Onde está o controle dos gastos e pagamentos? Esperamos uma resposta imediata da ECT e do Postal Saúde”, pontuou Joás Castro, diretor do sindicato da categoria.

Servidores municipais em greve
Na edição desta quarta-feira, o jornal O DIÁRIO publicou comunicado do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresópolis atentando para mais um movimento da categoria, que há meses está com salários em atraso e teve todos os benefícios – entre eles o plano de saúde – suspensos há quase dois anos. O documento, assinado pela Presidente Andrea Pacheco, informa o seguinte: “Considerando que a categoria dos servidores públicos municipais lotados na Secretaria Municipal de serviços públicos estão com sérias dificuldades financeiras por falta do pagamento de seus salários; Considerando que os servidores públicos municipais de Teresópolis estão desde mês de outubro de 2016 recebendo seus salários com até dois meses de atraso e escalonado, e isso resultou na vida dos servidores um caos em suas finanças; Considerando que por causa da falta do pagamento dos seus vencimentos e vale transporte, referente ao mês de julho e do mês de agosto 2017, os servidores públicos municipais lotados nas secretarias municipal de serviços públicos e secretaria municipal de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural através do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresópolis COMUNICA a toda população de Teresópolis que a partir do dia 14 de setembro do corrente estarão em GREVE, e será suspenso cerca de 30% dos serviços prestados a população de Teresópolis como coleta de lixo, limpeza urbana, manutenção das vias públicas até receberem os seus vencimentos integrais, referente ao mês de julho e agosto de 2017”.

 

Tags

Compartilhe:

Edição 19/06/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Prefeitura não paga e viação ameaça suspender transporte de idosos

Prefeitura encerra o “lixão da UPA”, denunciado pelo Diário

Lei Seca: 22 motoristas autuados em Teresópolis

Carro invade a calçada e bate na porta de loja, na Várzea

Teresópolis: Acordo da água ainda não foi homologado pela Agernesa

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE