ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Dia das Crianças deve injetar R$ 1,2 bilhão na economia fluminense

Data: 08/10/2019

Como esperado, os brinquedos compõem a maior parcela de intenções de compra, representando 72% do todo, segundo pesquisa do Fecomércio - Fernando Frazão/ABr

Segundo pesquisa realizada pelo IFec RJ (Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises), 57% dos consumidores fluminenses pretendem comprar presentes para o Dia das Crianças. Como esperado, os brinquedos compõem a maior parcela de intenções de compra, representando 72% do todo. As roupas são a segunda opção dos fluminenses, e correspondem a 39% das intenções de compra, seguidas pelos eletrônicos que compõem 22% do total. Outras opções de presentes também foram mencionadas no levantamento, como, por exemplo, calçados (21%) e livros (19%). Os jogos de computador representam 12% e as bicicletas, apenas 8%. A pesquisa verificou ainda que o os fluminenses pretendem investir, em média, R$ 163,33 nos presentes. O IFec RJ espera que a data movimente cerca de R$ 1,2 bilhão.
Outro dado analisado refere-se ao comportamento de compra em lojas. Dentre os fluminenses pesquisados, 57% disseram que preferem ir às compras em lojas físicas e 13% afirmaram que vão realizar suas compras online. Para 30% dos entrevistados as compras podem ser em lojas online ou físicas. A porcentagem de intenção de compra deste Dia das Crianças (57%) é a menor quando comparada às outras datas comemorativas de 2019: Dia das Mães (80%), Páscoa (76,2%), Dia dos Pais (64%), Dia dos Namorados (63,8%). Entretanto, o gasto médio com o Dia das Crianças (R$ 163,33) será o segundo maior, perdendo apenas para o Dia dos Namorados (R$ 167,78). A sondagem ocorreu entre os dias 21 e 24 de setembro e contou com a participação de 500 consumidores em todo o estado do Rio de Janeiro.

Preço de cesta básica cai
O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que calcula a variação de preços da cesta de compras de famílias com renda até 2,5 salário mínimos, registrou deflação (queda de preços) de 0,09%. Em agosto, havia sido registrada uma inflação de 0,11%, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IPC-C1 acumula taxas de inflação de 3,19% no ano e de 3,81% em 12 meses, acima dos 3,51% registrados pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR). A queda da taxa do IPC-C1 de agosto para setembro foi puxada pelos grupos de despesas habitação (cuja taxa caiu de 0,95% para 0,26%), alimentação (de -0,46% para -0,72%), transportes (de 0,05% para 0,03%) e comunicação (de 0,68% para 0,54%). Por outro lado, quatro grupos tiveram alta na taxa: saúde e cuidados pessoais (de 0,01% para 0,22%), vestuário (de -0,44% para 0,03%), educação, leitura e recreação (de 0,04% para 0,37%) e despesas diversas (de -0,07% para 0,13%).

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ação de facções criminosas assusta população

Campanha pelo uso correto das vagas de deficiente em Teresópolis

Outubro Rosa, conscientização precoce do diagnóstico do Câncer de Mama

Programa Limpa Rio será retomado em Teresópolis

IBGE pode auxiliar no levantamento sobre moradores de rua

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ