Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Eleitor de Teresópolis votou em massa para presidente, mas não fez tanta questão na eleição para o Senado

Município registrou 11,4% de votos inválidos. Somando o “desperdício” em todos os cargos, foram 66 mil votos

Luiz Bandeira

O Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, disse no domingo, 02, que o primeiro turno das eleições foi marcado pela redução do número de votos brancos e nulos. Os dados foram divulgados durante coletiva de imprensa para apresentação do balanço final da de votação. De acordo com o Tribunal, entre os 80% dos eleitores que compareceram às urnas foi registrado um número de 4,20% de votos brancos e nulos. Nas eleições de 2018, o índice foi 8,8%. Na avaliação de Moraes, o maior comparecimento de eleitores pode ser o principal motivo para as filas que se formaram nas seções. “Aproximadamente 7,5 milhões de pessoas compareceram a mais para votar em candidatos, deixando de votar nulo e em branco. Talvez porque é uma eleição acirrada, mais polarizada. Isso pode ter sido um dos motivos concorrentes para que tenham ocorrido filas. É diferente uma pessoa anular o voto, votar em branco do que escolher as cinco opções, leva um tempo a mais. É um dado interessantíssimo, porque representa uma maior participação efetiva na escolha dos dirigentes do país”, avaliou.
Aqui em Teresópolis, para os cinco cargos em disputa, tivemos um total de 11,4% de votos inválidos, na soma de brancos e nulos. No total, somando o “desperdício” em todos os cargos, foram 66.017 votos que não foram dados a nenhum candidato. A disputa para a presidência teve a preferência do eleitorado teresopolitano, onde apenas 4.799 votos não foram somados aos que valiam para a eleição majoritária. Por outro lado, a eleição para o senado despertou menos interesse no eleitor teresopolitano que deixou de depositar 17.600 votos para um dos candidatos ao cargo. Ainda segundo os dados, 95.224 eleitores de Teresópolis votaram para a vaga na presidência da república, totalizando 95,20%. Para governador o índice ficou em 84,61%, para o senado 82,38%, câmara federal 86,27% e para Alerj 85,44%.
O presidente do TSE também confirmou que o índice de abstenção ficou em 20,89%, número considerado pelo ministro na média de pleitos anteriores, que costuma ficar em torno de 20%. Nas eleições municipais de 2020, realizadas durante o auge da pandemia de Covid-19, o número de eleitores faltosos foi 23,15%. Sobre o dia de votação, o presidente do TSE considerou que a Justiça Eleitoral cumpriu a missão de garantir a segurança e transparências das eleições. “A sociedade brasileira demonstrou grande maturidade democrática. Os eleitores se dirigiram às seções eleitorais, votaram, escolheram seus candidatos em absoluta paz e segurança”, afirmou.

Filas
Sobre as filas de eleitores registradas em diversos pontos do país, Moraes disse ainda que o problema pode ter sido causado pelo acréscimo dos 7,5 milhões de eleitores que passaram a escolher um candidato, a mudança que permitiu que o eleitor tenha um segundo a mais na tela de urna para confirmar o candidato de sua preferência antes de confirmar o voto e falhas no reconhecimento da leitura biométrica. “São causas que serão analisadas para o segundo turno”, completou.
No segundo turno, em 30 de outubro, o eleitor do estado do Rio escolherá apenas entre os candidatos que irão para a disputa presidencial.

Edição 22/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

LADRÕES DE RESIDÊNCIAS: Troca de tiros e quadrilha presa na Barra do Imbuí

Flávio Dino toma posse como ministro do Supremo Tribunal Federal

Bolsonaro não responde à PF em depoimento sobre golpe de Estado

Governo do Estado atua nas cidades afetadas pelas chuvas

Moradores denunciam possível foco do mosquito em casa abandonada

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE