Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Equipe da Sala Lilás é homenageada na Câmara Municipal

Dedicação dos servidores foi fundamental para instalação do posto de apoio às mulheres vítimas de violência

Marcello Medeiros

Desde o dia 1º de novembro Teresópolis conta com um espaço criado para prestar atendimento especializado e humanizado às mulheres vítimas de violência física e sexual, com serviço de uma equipe multidisciplinar. Funcionando no primeiro piso do prédio do Posto de Polícia Técnica Científica de Teresópolis, a Sala Lilás tem recebido muitos elogios e vista como um bom caminho para o enfrentamento e consequentemente diminuição desses crimes no município. Na última sessão da Câmara de Vereadores, na terça-feira, 05, os servidores do PRPTC foram homenageados com um Voto de Congratulações. “Esses profissionais foram fundamentais para que esse projeto tão importante saísse do papel e virasse realidade em prol dos cidadãos de Teresópolis e municípios vizinhos. Juntos fizeram a diferença no processo de instalação e inauguração da Sala Lilás, dedicando-se em tempo integral, inclusive em dias de folga, durante quase três anos, em que auxiliaram a Direção do PRPTC-Teresópolis na organização do espaço, compras de materiais, aquisição de doações e correta destinação dos recursos”, pontua o autor do Voto, Vereador Marcos Rangel.
Foram homenageados o Perito Criminal e Diretor do PRPTC, Luiz Augustus Gonçalves; a Inspetora de Polícia Priscila Lopes Subtil; Renata Carneiro Ribeiro, Perita Legista; Edson Rodrigues Maciel, Técnico Policial de Necropsia; Luciene Gasse Silva, Perita Criminal e Reinaldo Rodrigues Etelvino da Silva, Perito Papiloscopista. Também recebeu Voto de Congratulações pela participação nesse projeto a professora Renata Mendes Barbosa, Enfermeira e Coordenadora de Estágios e Ações de Saúde Unifeso.

Mais sobre a Sala Lilás
Funcionando na Avenida Alberto Torres, 531, Alto, o espaço é equipado para fazer exames periciais e possui uma equipe multidisciplinar composta por policiais, assistentes sociais e enfermeiras para realizar os atendimentos especializados. A integração dos serviços pretende ajudar as vítimas a se sentirem mais à vontade para relatar e falar sobre a violência sofrida. O projeto vai de encontro à Lei Maria da Penha (nº 11.340/2006) e conta com apoio do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, do Unifeso (Centro Universitário Serra dos Órgãos), da Polícia Civil/Posto Regional de Polícia Técnico-Científica (PRPTC) e do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ). 

Na última sessão da Câmara de Vereadores, na terça-feira, 05, os servidores do PRPTC foram homenageados com um Voto de Congratulações. Foto: Divulgação

Edição 20/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

População transforma terreno vizinho da UPA em lixão clandestino

Cães farejadores ajudam polícia a encontrar grande carga de drogas

Jovem encontrado morto na BR-116 tem passagem por tráfico, diz PCERJ

Prefeito diz que não vai pagar o aumento de ninguém

Teresópolis: matagal toma conta de rua no Golfe

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE