Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Escola João Adolpho Josetti homenageia o pintor impressionista Eliseu Visconti

Artista divulgou Teresópolis para o mundo, retratando a exuberância dos verdes e da natureza da cidade serrana em suas telas

A Escola Municipal João Adolpho Josetti, localizada na Posse, promoveu, no último sábado, 8, a I Vernissage da unidade de ensino, com o tema “O Impressionista que Impressionou Teresópolis”, em homenagem ao pintor Eliseu Visconti. Através da busca pelo entendimento, resgate e expressão artística, a vernissage marcou a culminância do projeto interdisciplinar inspirado em atividades como a “Lê Terê” – 1ª Festa Literária de Teresópolis, promovida pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, em agosto. Os alunos do 3º ao 5º Ano do Ensino Fundamental apresentaram releituras das obras do artista, um italiano de nascimento, mas brasileiro de coração. Tobias Visconti, neto do artista, e sua esposa Isabel, participaram da atividade. “A escola fez um trabalho maravilhoso sobre a vida do meu avô. Os alunos desenvolveram pesquisas, fizeram diversas colagens sobre as pinturas dele. Fiquei emocionado com a homenagem ao meu avô. Com certeza, o objetivo do projeto, que é fazer com que as novas gerações conheçam a obra do Eliseu Visconti, foi alcançado. Essa é uma maneira de perpetuar a obra dele. Agradeço muito à escola por essa realização”, relatou Tobias Visconti.
A diretora da escola, Vânia Lourenço, e os educadores Reico Takano e Antônio Cavalcanti, diretor da Escola George March, também prestigiaram a vernissage. “Nosso objetivo é resgatar, preservar e divulgar a memória da vida e da obra desse pintor que tanto amou, prestigiou e divulgou a nossa Teresópolis para o mundo, retratando a exuberância dos verdes e da natureza de Teresópolis em suas telas”, enfatizou a diretora Vânia Lourenço.
Responsável pelo projeto, a orientadora pedagógica da unidade, Anna Paula Arêas, explicou sobre a ideia de realizar a vernissage. “Ao participarmos da ‘Lê Terê’, os alunos puderam se deleitar em um encontro com Ana Maria de Andrade, autora do livro ‘A Cidade de Teresa’. A escritora contou-lhes sobre o trabalho de criação do livro e enalteceu as ilustrações usadas, bem como o seu criador, Eliseu Visconti. A história envolveu nossos alunos, que demonstraram um grande interesse e empatia sobre a vida e a obra desse pintor que tanto amou e valorizou nossas belezas naturais. Dessa forma, nasceu o projeto, um trabalho interdisciplinar”, frisou a orientadora pedagógica.
“Por ter sido um artista tão importante para o Brasil e pouco conhecido em Teresópolis, apresentá-lo às novas gerações é ter a certeza de que estamos contribuindo para trazer à luz, a história do município, promovendo e buscando apresentar o passado cultural de nossa cidade”, concluiu Anna Paula Arêas, pontuando que Eliseu Visconti imortalizou as montanhas emblemáticas da Serra dos Órgãos, seja no painel da boca de cena, do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, ou pelo mundo a fora.
Durante o projeto, os estudantes conheceram um pouco sobre a história de Eliseu Visconti e suas obras de arte que retratam Teresópolis, entre elas, ‘Autorretrato ao ar livre’, ‘Meditando’, ‘Dedo de Deus’, ‘Prestígio Quaresmas’ e ‘O Portão Hino à Bandeira’. Para enriquecer a vernissage, a educadora Reico Takano emprestou à escola obras originais da filha de Eliseu Visconti, Yvonne.

Tobias Visconti, neto do artista, e sua esposa Isabel, participaram da atividade realizada na escola municipal

Eliseu Visconti
Eliseu d’Angelo Visconti nasceu em 30 de julho de 1866, na Vila de Santa Catarina, Comuna de Giffoni Valle Piana, Província de Salerno, Itália. Filho de Gabriel d’Angelo e de Christina Visconti, imigrou para o Brasil ainda menino, juntamente com sua irmã Marianella. Aqui já se encontravam seus irmãos maiores, Tobias, Afonso e Anunciata. A matrícula no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro viria ainda no ano de 1882. Os trabalhos de Visconti, além de valerem-lhe dos colegas o apelido de “papamedalhas”, despertaram a atenção dos professores do Liceu. Sem abandonar o Liceu, ingressou na Imperial Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro em 1885, onde, em 1886, recebeu o prêmio da Medalha de Prata em Ornatos.
Com o trabalho “Mamoeiro”, o artista conquistou, em 1889, a Medalha de Ouro em Pintura. Nessa obra já se apresentam aspectos que seriam constantes na produção de Visconti, como, por exemplo, o manejo da cor. Em 1892, Eliseu vence o primeiro concurso da República na Escola Nacional de Belas Artes, conquistando o Prêmio de Viagem à Europa. No ano seguinte, ingressa na Academia Julian, atelier de Bouguereau e Ferrier e participa da “World’s Columbian Exposition” em Chicago, EUA, com oito paisagens a óleo e recebe medalha por mérito especial. Em 1900, recebe a Medalha de Prata na “Exposition Internationale Universelle” de Paris, por suas telas Gioventú e Oréadas, e Menção Honrosa na Seção de Arte Decorativa e Artes Aplicadas.
Em 1901, inaugura no dia 1 de maio sua primeira exposição individual na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, apresentando 60 quadros e 28 trabalhos de arte decorativa e arte aplicada à indústria. Em 1904, na “Universal Exposition of Saint Louis”, recebe a medalha de ouro em pintura com a obra “Recompensa de São Sebastião”. Também foi declarado vencedor dos três concursos de selos postais e cartas-bilhete, organizados pela Casa da Moeda. Em 1927, constrói sua casa de veraneio em Teresópolis e inicia a fase em que executa trabalhos retratando a paisagem daquela região serrana, à qual incorpora figuras de sua família, sob a luz tropical, criando um impressionismo próprio. Eliseu Visconti faleceu em 1944, aos 78 anos de idade, no Rio de Janeiro.

Homenagens a Visconti
Em 1949, o Museu Nacional de Belas Artes inaugurou a “Exposição Retrospectiva da obra de Eliseu Visconti”, com 285 trabalhos do artista expostos em nove salas do Museu. Em 1952, foi inaugurado o busto de Eliseu Visconti, no foyer do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, e uma exposição no Museu dos Teatros, com os documentos relativos à decoração, croquis, estudos e outras obras de Visconti. O Museu de Arte Moderna do Estado de São Paulo também homenageou o pintor em Bienal, com exposição de 37 obras de Eliseu Visconti. Em 1967, o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro realizou exposição comemorativa do centenário de nascimento do artista.
Em 1976, foi realizada em Paris, por iniciativa de O Globo e da Rede Globo de Televisão, exposição dos 18 artistas brasileiros mais importantes do Século XX. Nessa exposição, Eliseu Visconti participa com a tela Maternidade. Em 2002, é inaugurado o Espaço Cultural Eliseu Visconti na Biblioteca Nacional, no Centro, no Rio de Janeiro. Em outubro de 2005, Tobias Stourdzé Visconti, neto de Eliseu Visconti, lança o site oficial do artista e cria o Projeto Eliseu Visconti, com o objetivo de preservar e divulgar a obra do pintor. As informações sobre a vida e a obra do artista podem ser conferidas na página https://eliseuvisconti.com.br/

Tags

Compartilhe:

Edição 27/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

“Passarinhada” leva grande público ao Parque Montanhas de Teresópolis

Governo Federal repassa área na Quinta Lebrão e Fonte Santa para o município de Teresópolis

Bicho-preguiça visita pousada no bairro do Alto pela segunda vez em uma semana

Sesc RJ oferece 167 vagas gratuitas em cursos de inglês e espanhol para adolescentes

PF prende homem que cedeu abrigo a fugitivos de Mossoró

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE