Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Escolas recebem campanha contra a exploração sexual infantil

Palestras do “Maio Laranja” realizadas pelo CRAS em parceria com o “Bem Me Quer Terê”

A equipe dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) Alto e Meudon, em parceria com a equipe do programa municipal “Bem Me Quer Terê”, do Centro de Atendimento a Crianças e Adolescentes em Situação de Violência Sexual, realizaram, durante a última semana, palestras educativas sobre o tema em duas grandes escolas do município. As conversas tiveram o intuito de orientar as crianças e adolescentes sobre como identificar situações de violência sexual e como denunciar seus agressores. A assistente social Sirléia Noboa, juntamente com a psicóloga Janete Rezende, ambas da equipe do “Bem Me Quer Terê”, visitaram o Colégio Estadual Lions Club, no Meudon, e a Escola Municipal Manuel da Silveira Medeiros Sobrinho, no Vale do Paraíso, e conversaram com adolescentes de 13 a 17 anos, sobre quais os principais tipos de violência sexual infantil, como denunciar o agressor de maneira segura e sobre como a acolhida do menor abusado é feita pela equipe do projeto. As profissionais ainda esclareceram quais direitos não podem ser violados durante o ato da denúncia para que eles tenham ciência do que pode ser perguntado a eles ou não.
O trabalho realizado pelo “Bem Me Quer” em Teresópolis é pioneiro no Brasil no acolhimento de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, sendo implementado no município por meio de decreto municipal de 2015, enquanto a lei que regulamenta esse tipo de atendimento especializado só foi criada em 2017. O programa é vinculado ao Centro Materno Infantil/Secretaria Municipal de Saúde e está instalado no prédio anexo ao Centro Administrativo Manoel de Freitas (Avenida Lúcio Meira, 375, terceiro piso), na Várzea. Conta com equipe formada por assistente social, psicólogo, médica e enfermeira, que faz o acolhimento de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, que são ouvidos em ambiente apropriado, com escuta qualificada. Quando necessário, os casos são encaminhados à rede de saúde e assistência social para tratamento e acompanhamento. O atendimento acontece de segunda a sexta, das 9h às 17h.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Edição 09/08/2022
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

Policial de férias prende acusado de tráfico na entrada da cidade

Policial civil denunciado por lavagem de dinheiro é preso no Rio

Magalu vai abrir loja em Teresópolis e inicia processo de contratação

Petrópolis x Teresópolis, a travessia mais bonita do Brasil