Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

G-20: um cenário de oportunidades para o Rio

O G-20 colocou o Rio de Janeiro no centro do mundo. É aqui que se reúnem os grupos das 19 maiores economias do planeta — a União Europeia e a União Africana — que, juntos, somam 80% do PIB e 65% da população mundial. Ser anfitrião de importantes encontros entre nações em desenvolvimento e emergentes reafirma a nossa vocação histórica de sediar grandes eventos internacionais. E esse é o cenário perfeito de oportunidades, especialmente políticas, econômicas e sociais.

Os cerca de 20 fóruns — que começaram este mês e seguem até 19 de novembro, com a reunião da cúpula do G20 — irão repercutir em todos os países. Nosso dever é pensar como a população fluminense pode se beneficiar a curto, médio e longo prazos. Mas não basta pensar, é preciso agir. Precisamos colocar em prática os conhecimentos que iremos adquirir com os maiores chefes de Estado e os melhores pesquisadores e acadêmicos especializados em finanças, meio ambiente, assistência social e outras importantes áreas.

Esse know how tem que ser aproveitado e potencializado, para o aprimoramento e criação de políticas públicas ainda mais eficientes. Um bom começo é trabalharmos alinhados aos objetivos sustentáveis estabelecidos pelas Organizações das Nações Unidas (ONU), o que o Governo do Rio tem feito bem. Não obstante, é fundamental explorar, ainda mais, ações que contribuam para uma gestão pública focada na governança socioambiental (ESG), sustentabilidade e desenvolvimento inovador. Aliás, esses foram alguns dos primeiros temas discutidos pelos grupos no último dia 22 de fevereiro, uma iniciativa inédita e exclusiva para os eventos no Brasil.

Algumas ideias fundamentais podem ser aperfeiçoadas, para o avanço científico, social e financeiro. Por exemplo, contemplar, por meio da inovação, a sociedade de forma ampla e igualitária. Privilegiar a economia verde, com o baixo carbono e a preservação das áreas verdes. Prosseguir com a transformação digital (conceito de Governo Digital), oferecendo serviços públicos online para facilitar a vida de todos. Fortalecer a governança pública. Extrair maior eficiência da máquina administrativa. Sediar o G20 é algo para impactar a gestão de hoje e do futuro, aprimorada pelos conhecimentos de todos esses países reunidos.

Ao longo de 2024, muitos outros assuntos virão à tona. Precisamos aproveitar cada boa iniciativa. Mas, pensando no dia o hoje, o G20 reforça o protagonismo do Rio de Janeiro como palco — E QUE PALCO! — de debates e troca de experiências. Daqui sairão decisões que afetarão todo o planeta. Ganham os cariocas e fluminenses, os brasileiros e a população mundial.

Bruno Garcia Redondo
Professor da PUC-Rio e UFRJ
Procurador da UERJ
Advogado, doutor e mestre em Direito

Tags

Compartilhe:

Edição 19/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Homem é preso com quatro armas e munições em Teresópolis

Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar

Agendamento online para passaportes está indisponível temporariamente

Polícia Civil conclui inquérito e indicia por tráfico mulher que deu balas com droga para camareira de hotel em Teresópolis

Prefeitura de Teresópolis confirma data do leilão de veículos apreendidos

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE