Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Homem está desaparecido desde a última sexta-feira

Última informação que companheira recebeu é que “ele havia sido atropelado e jogado em um barranco”

A Polícia Civil registrou e está investigando o desaparecimento de Adilsinei Oliveira Valença, de 46 anos, mais conhecido como “Nei”. Ele não é visto por familiares desde a última sexta-feira, 10, quando saiu para realizar o trabalho de vendedor de gêneros alimentícios. Imagem do circuito de segurança de uma casa lotérica mostra que ele fez uma entrega no local, por volta das 11h30 daquele dia. Algumas duas horas depois, a sua companheira, Diva Souza, conseguiu contata-lo via telefone celular, após perceber que ele não havia retornado para casa no horário habitual. E, nessa rápida conversa, ela constatou que havia algo errado. “Quando vi que ele não havia chegado, liguei para ele, duas e pouco da tarde. Perguntei onde estava e ele disse ‘mozinho, fui atropelado, quebraram minha perna, colocaram em um carro dizendo que iriam me levar para um hospital, mas começaram a rodar comigo e me jogaram ribanceira abaixo’. Comecei a perguntar, gritar, desesperada, onde ele estava, mas disse que não sabia a localização, que só sabia que a bateria do celular estava acabando, que não sabia como fazer, que iria enrolar a perna e tentar pedir socorro. Foi isso o que ele falou para mim, depois fiquei ligando e não consegui mais nada”, relatou Diva ao Diário nesta segunda-feira, 13, após registrar o fato na 110ª Delegacia de Polícia.

Ainda segundo ela, que estava acompanhada de irmãos de Adilsinei, ele havia informado mais cedo que a última entrega seria no bairro do Alto, supostamente para uma pediatra chamada Jaqueline, em um condomínio, sendo tal pessoa uma cliente habitual. “Depois iria comprar algumas coisas para fazer mais produtos para no sábado entregar para outras pessoas”, informou a esposa de “Nei”, informando ainda não ter mais informações além disso. “É o que passou para mim. Não sei onde procurar, o que fazer. Já fui à delegacia, já fiz ocorrência, dois boletins, e eles vão pedir autorização par rastrear o celular dele para ver se conseguem encontrá-lo”, explicou Dirce. Ainda segundo dela, seu companheiro já atuou como Pastor no município de Araruama, na Região dos Lagos, mas atualmente não exercia tal função. Informações sobre o paradeiro de Adilsinei Oliveira Valença podem ser passadas para os telefones (21) 98596-7436 (Polícia Civil), 190 e 2742-7755 (Polícia Militar).

Edição 17/07/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Preso acusado de receptação de sinal de Tv a cabo em Saquarema

BR-116: 14 radares fixos começam a funcionar no dia 22

Teresópolis: Passagens de ônibus dos doentes crônicos continuam sem solução

Polícia Ambiental flagra mais um desmatamento em Albuquerque

Parque Nacional terá processo seletivo para agente ambiental

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE