Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Incêndio em Teresópolis: Caixa acionou construtora para fazer revisão da obra

Síndico garante que instalações elétricas são seguras, porém moradores relatam problemas constantes

Luiz Bandeira

No último dia 08, moradores do Condomínio Margarida, construído na Fazenda Ermitage, passaram momentos de tensão: O apartamento 101, localizado no primeiro andar do bloco 11, foi parcialmente destruído por um incêndio e muita fumaça se espalhou para as unidades vizinhas. O fogo foi controlado inicialmente pelos moradores, que utilizaram os extintores do próprio condomínio, e depois pelos militares do Corpo de Bombeiros. Ninguém seu feriu, mas os moradores desse imóvel tiveram bastante prejuízo. Nesta terça-feira, 18, o jornal O Diário e Diário TV esteve no bairro Fazenda Ermitage para conversar com moradores sobre o risco de novos incêndios e também para tentar falar com a moradora do apartamento 101 do bloco 11. Nós conseguimos conversar com a vizinha do apartamento incendiado, Dona Eliane Cruz, moradora da unidade 102, que relatou os momentos de terror vividos no dia 08, quando percebeu o incêndio. Ela disse que havia muita fumaça saindo do apartamento e que sua mãe, uma senhora enferma com quem mora sozinha e que vive acamada, não pôde ser removida de casa e acabou bronco-aspirando gases tóxicos. Eliane relata ainda que ligou para o 193 do Corpo de Bombeiros, mas como foi atendida por uma central de atendimento que não é em Teresópolis, as pessoas ao telefone não sabiam a localização exata do bairro para enviar as equipes que acabaram chegando somente depois das chamas estarem controladas. Dona Eliane disse também que, com esse incêndio, já são cinco só no Residencial Parque das Margaridas, por motivações diversas, porém esse até agora foi o que causou mais estragos. O condomínio possui 260 apartamentos distribuídos em 13 blocos.

Móveis e roupas foram destruídos pelo incêndio. Vizinhos agora arrecadam donativos para a família que morava no apartamento atingido

Tal situação gerou muitos comentários nas redes sociais, não só pelo fato do risco que correram essas famílias, mas porque, segundo relatos dos moradores do condomínio construído para as vítimas da Tragédia de 2011 às margens da BR-116, diversos problemas semelhantes foram registrados nos últimos meses.
Sobre essas reclamações, a Caixa Econômica Federal, agente financiador do empreendimento, disse que acionou a construtora Emccamp para verificar problemas elétricos. O banco emitiu a seguinte nota: “A CAIXA esclarece que o Empreendimento Parque Ermitage, localizado em Teresópolis/RJ, foi contratado no âmbito do Programa Minha, Casa Minha Vida – FAIXA I – FAR, pela Construtora EMCCAMP, responsável pela obra. Considerando o relato de incêndio ocorrido, esclarecemos que a Construtora Emccamp foi acionada para verificação. O banco informa que disponibiliza o canal De Olho na Qualidade para atendimento a reclamações sobre possíveis vícios construtivos nos imóveis financiados no Programa Minha Casa Minha Vida, por meio do telefone 0800-104-0104 ou pelo site www.caixa.gov.br na opção Fale Conosco, no qual a construtora é acionada para promover os reparos de sua responsabilidade”.

Luiz Carlos, síndico do condomínio, garante que as instalações são seguras e que alguns moradores é que não estariam usando sistema corretamente

Síndico se posiciona
Enquanto conversávamos com a Dona Eliane, quem chegou para falar com a nossa equipe foi o síndico do condomínio Residencial Parque das Margaridas, Sr. Luiz Carlos, que prontamente respondeu aos nossos questionamentos e ainda fez questão de mostrar que todos os equipamentos de segurança contra incêndio estavam funcionando. O Sr. Luiz Carlos disse que o primeiro combate às chamas foi feito com recursos do condomínio. “Tinha água, a mangueira foi usada, os extintores estão todos vazios, todos eles funcionaram, estão lá dentro guardados, inclusive eu já encomendei pro rapaz fazer a troca dos extintores, estão todos na validade, tudo certo. Foi mais no quarto, queimou mais as roupas e o resto foi fumaça que enfumaçou tudo”, relatou.
O senhor Luiz Carlos garantiu ainda, a despeito das queixas relatadas nas redes sociais, que as instalações elétricas dos prédios são seguras e que alguns moradores é que estariam sobrecarregando a rede com equipamentos mal conservados. “Falaram que foi causado pelas instalações elétricas, mas pelo quê constataram os Bombeiros, a causa foi um aparelho celular recarregando que aqueceu e pegou fogo na cama. Só um apartamento que pegou fogo no bloco 12, pois a máquina de lavar da moradora esquentou o capacitor e a mulher deixou ela ligada na tomada, era uma máquina antiga que pegou fogo. Eu não sei, mas os fios que foram retirados de dentro da tomada está intacto, não tem fechamento de curto nenhum”. Perguntamos ao síndico se ele considera seguras as instalações do condomínio. “Sim, porque até hoje não pegou fogo em instalação nenhuma aí, a única coisa que pega fogo é ‘nego’ deixar aparelho na tomada direto, são equipamentos mal utilizados que põe fogo no negócio”, pontuou o síndico.

Z

Edição 22/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Temporal mata cinco pessoas no estado do Rio

LADRÕES DE RESIDÊNCIAS: Troca de tiros e quadrilha presa na Barra do Imbuí

Flávio Dino toma posse como ministro do Supremo Tribunal Federal

Bolsonaro não responde à PF em depoimento sobre golpe de Estado

Governo do Estado atua nas cidades afetadas pelas chuvas

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE