Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Já são 19 casos de febre amarela em Teresópolis

Desses, sete óbitos. Prefeitura não divulga informações sobre ocorrências

Marcello Medeiros

Dados divulgados nesta sexta-feira pela subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro mostram que continua crescendo o número de casos de febre amarela silvestre em humanos confirmados em Teresópolis. Desde o início dos registros da doença, em meados de janeiro, já são 19 ocorrências. Dessas, sete terminaram com a morte das vítimas. Nosso município está atrás apenas de Valença (21 casos, seis óbitos) e Angra dos Reis (43 casos, 14 óbitos). Em Nova Friburgo, foram anotados até o momento 14 casos e cinco mortes. Em Petrópolis foi confirmada apenas uma ocorrência.
Os outros municípios que fazem parte da estatística são: Duas Barras (13 casos -dois óbitos), Sumidouro (12 casos – cinco óbitos), Cantagalo (7 casos – quatro óbitos), Rio das Flores (5 casos – dois óbitos), Trajano de Moraes (4 casos – três óbitos), Silva Jardim (4 casos – dois óbitos), Vassouras (3 casos – dois óbitos), Cachoeiras de Macacu (3 casos – um óbito), Engenheiro Paulo de Frontin (2 casos – dois óbitos), Carmo (2 casos –  um óbito), Mangaratiba (2 casos – um óbito), Maricá (2 casos – um óbito), Miguel Pereira (2 casos – um óbito), Paty do Alferes (2 casos – um óbito), Piraí (2 casos – um óbito), Rio Claro (2 casos – um óbito), Paraíba do Sul (1 caso – um óbito) e Bom Jardim (1 caso).
A febre amarela é uma doença viral que causa dores no corpo, mal-estar, náuseas, vômitos e, principalmente, febre. Os sintomas duram em média três dias. Em alguns pacientes, o vírus da febre amarela ataca o fígado. São as complicações hepáticas que levam as pessoas infectadas a ficar com uma cor amarelada, daí o nome febre amarela. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que em torno de 30% das pessoas que contraem a doença podem morrer, se não forem diagnosticadas precocemente. Por isso, a recomendação é a de que o paciente deve buscar imediatamente atendimento adequado nas unidades de saúde.
A Secretaria Estadual de Saúde ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela. A doença é transmitida através da picada de mosquitos. Ao encontrar primatas mortos ou doentes (animal que apresenta comportamento anormal, que está afastado do grupo, com movimentos lentos etc.), o cidadão deve informar o mais rápido possível na secretaria de saúde do seu município. Nesta sexta-feira, tentamos mais informações sobre os locais de residências das vítimas em Teresópolis, mas até o fechamento desta edição não obtivemos nenhum tipo de resposta da Assessoria de Comunicação da Prefeitura. Além disso, há semanas não é emitido laudo informando sobre esse quadro no município.

 

 

 

Tags

Compartilhe:

Edição 25/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Moradores de Albuquerque continuam convivendo com lamaçal

TCE-RJ emite parecer prévio favorável à aprovação das contas do Governo do Estado

Teresópolis recebe ações pelo “Maio Laranja”

Lançamento da pré-candidatura de Alex Castellar

Mudanças na temperatura podem provocar gripes e resfriados

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE