Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Janeiro Branco: movimento alerta para cuidados com a saúde mental

Psicóloga destaca a importância de chamar a atenção da sociedade para esse grave problema de saúde pública

Luiz Bandeira

Nessa época em que se inicia um novo ano, por tanto início de um novo ciclo, é muito comum as pessoas fazerem reflexões sobre a própria vida, é nesse momento quando as pessoas se perguntam: “Como a gente pode viver com mais equilíbrio em todas as nossas relações?”. Esse é um dos questionamentos feitos pela campanha do movimento social Janeiro Branco, que em 2023 está em sua décima edição, com o tema “A vida pede equilíbrio”. O objetivo da campanha é chamar a atenção das pessoas, instituições e autoridades para as necessidades relacionadas aos cuidados com a saúde mental e para o respeito à condição psicológica de cada um. Ansiedade, desânimo, alteração no humor, problemas de sono são alguns dos sintomas indicando que está na hora de dar atenção à saúde mental. E muitas vezes, as pessoas não sabem como procurar ajuda. Esse é um problema de saúde que requer o conhecimento de especialista nesse assunto tão em voga atualmente devido, sobretudo, ao registro de muitos casos de distúrbios emocionais que acabam por levar as pessoas mais fragilizadas à atitudes extremas como, por exemplo, dar cabo da própria vida.
Convidamos psicóloga clínica, psicóloga escolar e arte-terapeuta Silvia da Rocha para falar da crescente preocupação com esse muito negligenciado problema de saúde pública. “A gente já sofreu com muitos tabus relacionados à saúde mental, à saúde emocional. É como se sentir fosse algo menor, se você sentir e expressar suas emoções fosse admitir fraqueza. A gente vive em uma sociedade que ainda hoje é muito valorizado o lado racional, o lado produtivo, da eficácia, do ganhar dinheiro, o capitalismo, o sistema, tudo isso trás uma forma de viver muito mecânica e afastada das nossas próprias emoções, da nossa própria natureza e faz parte da nossa natureza, sim, sentir”.
Silvia disse também que atualmente existem pessoas famosas falando mais sobre isso, sobre a depressão que sofre ou que sofreu, ela disse ainda que personalidades, artistas e atletas expõe mais seus estados emocionais, mas alertou que nunca é demais ter uma campanha, um movimento como esse janeiro branco pra chamar atenção da sociedade. De acordo com o Ministério da Saúde, a prevalência de depressão ao longo da vida no Brasil atinge mais de 30 milhões de brasileiros. Na América Latina, o país é o que tem a maior quantidade de casos da doença, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Baseado na ideia de que todos têm direito à saúde mental, o Instituto Janeiro Branco promove, em seu canal no YouTube, palestras com psicólogos, oficinas, cursos, lives – tudo que faça com que as pessoas parem um pouco a rotina e reflitam sobre como ter uma vida com mais equilíbrio.

Pandemia
O isolamento vivido por todos, necessário naquele momento para conter a disseminação da pandemia de Covid-19, associado a crescente utilização das novas tecnologias de comunicação móveis, potencializou os distúrbios emocionais daquelas pessoas que tinham fragilidades com tendência depressiva, como revelou a psicóloga. “É uma faca de dois gumes, porque, ao mesmo tempo que algumas pessoas se sentem melhor, principalmente as mais introvertidas, elas preferem ficar sozinhas. Então a rede ela possibilita falar sem se mostrar tanto, mas por um outro lado a gente sabe que relacionamentos através da internet são superficiais, não tem o olho-no-olho, não tem o calor das emoções, não tem a presença. Então o convívio baseado nas redes sociais pode facilitar e também pode atrapalhar, pra uma pessoa que tem um comprometimento psicológico mais grave isso pode afetá-la mais”, pontua Silvia.
Ela frisa também que crianças muito novas estão sendo expostas desnecessariamente às tecnologias da informação e que isso vem afetando a saúde mental dos pequenos. “Eu não sou contra nem a favor da tecnologia, a tecnologia não é boa nem ruim, mas eu acho que é o modo como nós usamos essa tecnologia, é o uso adequado que vai trazer algum benefício ou malefício. Eu tenho visto crianças muito novas, dois, três anos de idade, passando o dedinho lá na tela e quando tira o tablet ou o celular começam a gritar. O que acontece é que o excesso de tecnologia nos robotiza e a gente perde o contato com a nossa natureza humana, com a humanidade”, alerta a psicóloga.

Atenção nas empresas
Questionamos a especialista se ela conhece alguma iniciativa voltada ao cuidado com a saúde mental da população e ela trouxe o exemplo de empresas que começam a mudar a visão desse problema adotando medidas voltadas ao bem estar emocional dos colaboradores. “Eu já trabalhei dentro de empresas, eu era consultora, dava treinamento empresarial, treinamento de equipes, e eu era muito chamada para dar palestras naquelas semanas de qualidade de vida, relaxamento antiestresse e eu via já um início de uma preocupação com isso, porém devido a uma preocupação com a produtividade sem olhar o ser humano. Hoje eu já tenho lido que algumas empresas mais inovadoras, levam tanto em consideração a saúde mental, não só a saúde mental, mas o nível de felicidade do ser humano, pois sabem que um ser humano mais feliz vai ser mais criativo, vai desenvolver mais, vai trazer muito mais benefícios à todos, a quem ele está se relacionando e a própria empresa”.

Atividades
Silvia da Rocha é também arte-terapeuta e indica essa atividade para cuidar da saúde mental. “Hoje eu estou fora de empresa, mas eu estou dentro da escola e em escola eu gosto muito de utilizar a arte-terapia, que serve pra todas as idades, porque nos ajuda a entender mais as nossas emoções, o nosso mundo interno. Através da arte, da expressividade dos materiais, a gente consegue visualizar, dar um contorno ao que antes era muito subjetivo e até mesmo o inconsciente é revelado através da arte”, indicou a psicóloga. Com o aumento da ansiedade, da depressão e outros transtornos mentais, o janeiro branco vem pra desmistificar e trazer novas informações para a prevenção da saúde mental.

Edição 01/03/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

GCM e PM apreendem produtos de beleza e saúde vendidos em via pública

Estudantes na campanha contra o mosquito Aedes aegypti

Homem preso com maconha e cocaína em Água Quente

OABRJ e TRF2 realizam parceria para casos de regularização fundiária

Foragido da Justiça é localizado em Teresópolis

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE