ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

MP investiga "Uso Indevido" de verba da Educação em Teresópolis

Data: 11/09/2019

O Ministério Público investiga o suposto

Anderson Duarte

O Ministério Público do estado do Rio de Janeiro quer saber se o governo municipal aplicou devidamente os recursos destinados ao nosso município através do programa de transferência de verbas da União para as prefeituras intitulado: ‘Salário-Educação’. Apesar do nome supostamente indicar uma verba de natureza salarial, o programa não possui esse fim e ostenta regras bastante específicas de utilização e uma gama de impossibilidades de aplicação destes recursos, que somente neste ano de 2019, no período de janeiro a agosto, segundo dados do sistema próprio de acompanhamento do Ministério da Educação, somam sete milhões e meio de reais nos cofres teresopolitanos. Tanto MP, quanto Câmara, e também o SINDPMT, que se manifestou através de nota encaminhada a nossa redação, querem saber como está sendo aplicado esse recurso na cidade.
O inquérito civil que tem por objeto a aplicação do Salário-Educação em nosso município questiona o período compreendido entre os anos de 2017 a 2019, portanto ao longo da gestão Tricano/Claussen, e também envolve o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro e a Câmara de Vereadores de Teresópolis, oficiada através das Comissões permanentes de Educação e Orçamento. Em resposta a nossa reportagem, a Assessoria do Prefeito diz: “O referido processo trata-se de uma solicitação do MPRJ sobre as contas do salário da Educação do período de 2017 a 2019. A Secretaria de Educação, junto aos demais órgãos da Prefeitura, coloca-se à disposição da Justiça para colaborar no que for preciso, fornecendo todas as informações solicitadas referente ao período de 2017 a 2019, dentro do prazo estipulado”, diz a PMT.
De acordo com o Sindicato dos Servidores, a demanda não é recente e tem sido objeto de inúmeras reclamações do órgão junto aos nossos entes fiscalizadores, com o TCE e a Câmara, inclusive o próprio MP. Diz a nota do sindicato: “Nós do SINDPMT, estivemos em 2017 fazendo diversas denúncias, MP, Câmara, CGU, sobre irregularidades encontradas em algumas verbas. Infelizmente não obtivemos nenhuma resposta até o presente momento. Estaremos acompanhando o desenrolar desse processo, pois também é interesse desta instituição saber o que está sendo feito com o uso da verba”, diz a entidade, que também confirma que a devida aplicação do recurso serve de garantia, não apenas da lisura do processo administrativo público, mas, sobretudo, como forma de valorização dos trabalhadores da Educação.
As secretarias de Educação e de Fazenda precisam responder, documentalmente, no prazo de trinta dias os seguintes itens: 1 – Informações sobre a conta Salário-Educação tais como banco, agência, número e titularidade; 2 – Informações sobre eventuais transferências de recursos da conta Salário-Educação para outras contas, com indicação precisa das contas destinarias desses recursos no período referido; 3 – Informações acerca dos pagamentos realizados diretamente na conta Salário-Educação no período de 2017 a 2019, também com indicação precisa dos valores e a que objeto se referem; 4 - Esclarecer qual é o órgão responsável pela ordenação de despesas dos recursos depositados na conta Salário-Educação, ou seja, quem autoriza a realização de despesas dos pagamentos correspondentes a partir das fontes de recursos de que se trata; 5 – A disponibilização dos seguintes documentos: Extratos mensais da conta Salário-Educação relativa aos anos de 2017 a 2019, em mídia eletrônica; relação de empenhos das despesas que tem por fonte o Salário-Educação, nos anos de 2017 a 2019; demonstrativo mensal de repasse das cotas do Salário-Educação; extratos dos últimos trinta e dois meses das contas bancárias do Tesouro, em mídia eletrônica e a relação dos empenhos realizados no período entre 2017 a 2019 tendo como fonte de recurso o Salário-Educação.

- Salário-Educação é salário?

Em razão de uma série de destinações diferentes e com rubricas muito específicas, a transferência de recursos na área da Educação para governos municipais e estaduais, sempre traz alguma dúvida, inclusive em meio aos profissionais da área. Normalmente o que pode ou o que não pode ser custeado com determinados recursos norteia esse universo de dúvidas. O Salário-Educação que vemos no exemplo do pedido de esclarecimentos do inquérito do MP talvez seja um dos mais recorrentes, inclusive sobre sua finalidade. De acordo com a legislação vigente, o Salário-Educação é uma contribuição social destinada ao financiamento de programas, projetos e ações voltados para a educação básica pública, conforme previsto no § 5º do art. 212 da Constituição Federal. Esses recursos são repartidos em cotas, sendo os destinatários a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios. A parte que cabe aos municípios é repassada de forma automática, sem necessidade de convênio ou outro instrumento similar, em contas bancárias específicas, abertas, exclusivamente com esse fim.
A principal dúvida é com relação a forma como deve ser aplicada a verba do programa nos municípios. Segundo o regramento, esse recurso deve ser empenhado em ações voltadas para o Ensino Fundamental Público de 1ª a 8ª séries regular, de Educação Especial e de Educação de Jovens e Adultos na modalidade presencial com avaliação do processo, podendo financiar programas como: transporte do escolar, construção, reforma e adequação de prédios escolares, aquisição de material didático-pedagógico e equipamentos para escola, bem como a capacitação de professores, entre outros. Mas, expressamente determinada a vedação de sua destinação ao pagamento de pessoal do quadro de servidores. Em suma, o Salário-Educação atende a finalidades específicas relacionadas ao ensino público, mas não pode ser utilizado para o pagamento de pessoal (Artigo 7º, da Lei Federal nº 9.766/98), tampouco comporia o cálculo do índice de 25% da receita de impostos na manutenção e desenvolvimento do ensino (Artigo 212 da CF).

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Maior festival multicultural do país abre inscrições na próxima semana

Estácio Teresópolis participa de ação no Dia Mundial da Limpeza

Teresópolis sedia mais uma edição do "Domingo Natural Integrativo"

Conselho Tutelar: 23 candidatos concorrem ao cargo em Teresópolis

Tite inclui Gabigol entre os convocados para amistosos da seleção

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ