Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Municípios vizinhos se organizam e promovem economia

Enquanto a gestão pública de Teresópolis dá aulas de incompetência administrativa e afunda mais a cada dia que passa o município no completo caos econômico, cidades vizinhas como Nova Friburgo e Petrópolis seguem na corrente contrária as equivocadas decisões locais e recuperam suas economias com medidas de austeridade e promoção de recuperação fiscal. Somente na cidade Imperial, segundo anúncio feito pelo prefeito Bernardo Rossi na semana passada, a meta é economizar R$ 60 milhões por ano com um pacote de redução de gastos, o que inclui cortes de 40% a 10% nos salários do prefeito, vice, secretários e cargos comissionados.

Anderson Duarte

Enquanto a gestão pública de Teresópolis dá aulas de incompetência administrativa e afunda mais a cada dia que passa o município no completo caos econômico, cidades vizinhas como Nova Friburgo e Petrópolis seguem na corrente contrária as equivocadas decisões locais e recuperam suas economias com medidas de austeridade e promoção de recuperação fiscal. Somente na cidade Imperial, segundo anúncio feito pelo prefeito Bernardo Rossi na semana passada, a meta é economizar R$ 60 milhões por ano com um pacote de redução de gastos, o que inclui cortes de 40% a 10% nos salários do prefeito, vice, secretários e cargos comissionados. Um sonho para Teresópolis, que neste período sob o comando de Mario Tricano aumentou seus gastos com pessoal comissionado e secretariado vertiginosamente e deixou os servidores públicos à mingua.
Bernardo Rossi anunciou em Petrópolis um pacote que estabelece corte de até 25% em todos os contratos com o município. Se levássemos essa meta em conta aqui, apenas os contratos celebrados com as empresas Milano e ABBC, na merenda escolar e na gestão da UPA respectivamente, já teríamos dinheiro suficiente para pagar servidores da ativa e aposentados. Além desta revisão dos contratos, a cidade de Petrópolis também terá: a redução de despesas com aluguéis, telefones e combustíveis; maior fiscalização sobre bancos e cartórios para aumentar recolhimento do ISS em até 12% ao ano e mudanças de pagamento de horas extras na Educação.
Uma das ações da gestão Bernardo Rossi que chamaram atenção foi o pacote que prevê o corte de 40% nos salários do prefeito e vice-prefeito. Secretários e cargos comissionados também terão salários cortados entre 10% e 30%. O projeto que estabelece o corte de salários, assim como os demais que são necessários para viabilizar as medidas adotadas pelo governo estão sendo encaminhados à Câmara de Vereadores e prevê ainda corte de pagamentos de horas extras, com a exceção das pastas da Saúde e da Defesa Civil, em casos de emergência. “O governo está adotando medidas duras, mas não existem alternativas para reestruturar as contas e recuperar as finanças do município. Se nada for feito imediatamente, haverá um colapso financeiro agora e a cidade se tornará ingovernável nos próximos anos”, diz o texto oficial do pacote de austeridade.
Se adotássemos aqui em Teresópolis apenas a medida relacionada aos cortes de salários e cargos comissionados, experimentaríamos valores bem próximos aos projetados pela gestão Rossi, já que os pisos se aproximam muito. Segundo o governo de Petrópolis, em apenas três meses de economia com esses gastos serão poupados R$ 1 milhão para os cofres do município. O pacote prevê o maior percentual de corte, com 40%, justamente nos vencimentos do chefe do executivo. Algum teresopolitano imaginaria que Mario Tricano tomasse uma decisão deste porte? Ao contrário, já que o mesmo fora condenado a devolver aos cofres públicos perto deste valor por conta de um reajuste de seu próprio salário em índices astronômicos e desproporcionais a época. Lá em Petrópolis, o salário do prefeito passará de R$ 14.784,00 para R$ 8.870,40. Bem distante dos cerca de R$ 13 mil que recebem hoje, os secretários teresopolitanos experimentariam um 30% se adotássemos a estratégia petropolitana e os seus salários ficaram também bem próximos de R$ 6 mil como acontece no município vizinho.
“O foco é equilibrar as contas e recuperar a capacidade financeira da prefeitura para que o município volte a crescer. São medidas de austeridade, que, frente à situação de caos financeiro nas contas, não podem mais ser adiadas. No início do governo, foi adotado um primeiro pacote, cotadas despesas e, assim, reduzido os gastos. O município tem buscado recursos federais para não parar os investimentos, mas com o passar dos meses o levantados os dados foi apontando uma situação financeira ainda mais crítica, o que nos levou a adotar medidas ainda mais duras. O desafio que a realidade das contas impõe é grande, mas com muita disposição, e o esforço dos secretários e de toda equipe, será superado este momento e a cidade conseguirá avançar”, diz.

Nova Friburgo: Cidade Empreendedora Sebrae

Propiciar um ambiente cada vez mais favorável ao micro e pequeno empreendedor local a fim de fomentar a economia. Com essa proposta, a Prefeitura aderiu ao projeto Cidades Empreendedoras do Sebrae e já alcançou a marca de 1º lugar no ranking do projeto em sua segunda fase. O encontro foi realizado na Sala de Gestão e contou com a presença de representantes de diversos setores da municipalidade e também da instituição. “É muito satisfatório para a atual gestão conquistar essa posição já na segunda fase do projeto. Isso é resultado de um trabalho em conjunto, feito de maneira ética e comprometida, de modo a consolidar as políticas públicas voltadas para o empreendedor. Agora, nossa prioridade é seguir firme no projeto e manter esse resultado”, frisou o subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Walter Thuller.  O Cidades Empreendedoras consiste em promover uma competição entre onze municípios até dezembro, quando será enfim consagrado o município vencedor. A cada mês são mensuradas as ações de políticas públicas relacionadas ao desenvolvimento econômico.
O município que estiver regular com os dados solicitados pela instituição a respeito de determinadas áreas, obtém uma pontuação. Caso não esteja, assume o compromisso de regularizar a situação até o próximo encontro e marcar novos pontos. Entre as ações desenvolvidas em Nova Friburgo que marcaram pontos no projeto estão a capacitação dos servidores para o trabalho de compras públicas, a divulgação do canal de compras da Prefeitura e a associação entre produtores rurais e a Secretaria de Educação para a compra de insumos da merenda escolar

 

Tags

Compartilhe:

Edição 13/07/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Teresópolis caminha para ser um dos maiores produtores de vinho do Sudeste

Há 75 anos uma teresopolitana pisava no Dedo de Deus pela primeira vez

“Cantinho das Cerejeiras” faz sucesso em Teresópolis

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

Rio: Polícia prende 6 suspeitos de fraudar agências bancárias

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE