Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Pedágio que iria custar R$ 12 passou para 19,40 com a abertura da praça de Guapimirim

Magé comemora fim da praça do pedágio que vai custar R$ 38,80 (ida e volta) para quem visitar Teresópolis

Wanderley Peres

Sem força política em Brasília, e aceitando migalhas em trocas de apoios por votos ao tempo das eleições, Teresópolis presenciou, essa semana, o aumento abusivo do pedágio na sua principal estrada de acesso, a BR-116, administrada pela concessionária Eco Rio Minas. A promessa de redução do pedágio, e da cobrança justa era balela e, enquanto o município de Magé comemora a sua emancipação, com a retirada da praça de cobrança do seu território, quem vem para Teresópolis desde a última segunda-feira, 18, está gastando 38 reais e 80 centavos, representando vantagem para poucos a redução por uso contínuo, que também não saiu como prometida pelos políticos que se aproveitaram da mudança do local de cobrança e permitiram que ela ocorresse em nossa desvantagem. Basta lembrar que, enquanto o turista carioca paga R$ 12,60 para visitar Petrópolis, o acesso a Teresópolis custará R$ 19,40.

“Pedágio deve ficar em torno de R$ 12”, informação foi divulgada pelo prefeito de Teresópolis em maio de 2021 em suas redes sociais

Como a praça da BR-393, em Manilha, terá tarifa de R$ 18,60, o teresopolitano que escolher a estrada, que é a melhor, para a Região dos Lagos, essa viagem custará ainda mais caro, quase 80 reais, sendo preferível a estrada Guapimirim-Itaboraí, com pedágio mais em conta, ou a estrada por Nova Friburgo, que o forte aclive e as curvas salientes só valem a penas ser desafiadas como aventura ou passeio.

Na rodovia Rio-Teresópolis, a cobrança deixou de funcionar em Bongaba, em Magé, e passou para as proximidades de Jororó, já em Guapimirim. Nessa alteração, a tarifa pulou de R$ 18,60 para R$ 19,40. Com o novo sistema de cobrança na BR-116, deixaram de funcionar as praças auxiliares de Magé, em Santo Aleixo e Santa Guilhermina, onde a tarifa era de R$ 15,10. Assim, o mageense, caso faça a opção de utilizar essa rodovia, vai pagar mais caro para subir para Teresópolis, apenas.

O VALOR ALTO

Sobre os valores, a EcoRioMinas diz que “eles foram calculados pela ANTT e levaram em consideração o Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo – IPCA, com vista à recomposição tarifária, mais arredondamentos”. Também segundo a concessionária, que substituiu a CRT, são isentos de cobrança em todas as praças motocicletas, motonetas, bicicletas moto, ambulâncias, veículos oficiais e do corpo diplomático.

PREÇOS DA REGIÃO

Ainda sobre os acessos dos municípios da Região Serrana, a partir do Rio de Janeiro, Petrópolis é que tem melhor custo-benefício. Além de uma pista duplicada, a tarifa cobrada pela Concer é de R$ 12,60. No caso de Nova Friburgo, a tarifa da Rota-116 na rodovia que conecta Cachoeiras de Macacu a esse município é de R$ 8,60. Porém, o turista carioca precisa passar antes por uma das praças de pedágio da EcoRioMinas caso não conheça o acesso via Itaboraí.

USUÁRIOS FREQUENTES

A EcoRioMinas informa ainda que os usuários que trafegam nas rodovias administradas por ela são contemplados com dois benefícios tarifários: o Desconto Básico de Tarifa (DBT) e o Desconto de Usuário Frequente (DUF). Para obter as vantagens, é necessário apenas, ter instalado no veículo um TAG, chip eletrônico autoadesivo colado ao para-brisa, que permite que os veículos passem pela pista automática de cobrança de pedágio.

DBT – Esse benefício oferece 5% de desconto a todas as categorias de veículos, independentemente da quantidade de viagens realizadas. Todo e qualquer veículo com TAG sempre que passar por uma das cabines automáticas de pedágio receberá 5% de abatimento no valor da tarifa.

DUF – O DUF contempla apenas veículos de passeio (automóvel, caminhonete e furgão; automóvel e caminhonete com semirreboque; automóvel e caminhonete com reboque). Esse benefício oferece uma redução adicional e progressiva no valor da tarifa a partir da segunda passagem pela mesma praça, mesmo sentido, realizada dentro do mesmo mês. Quanto mais você utiliza a rodovia, menor fica o valor do pedágio. A partir da 31ª passagem no mês, a tarifa mínima será cobrada em todas as viagens adicionais até o final do respectivo mês. Dessa forma, o motorista que passar até 31 vezes pela mesma praça e utilizar o desconto, pagará uma tarifa média de R$ 7,39 em Magé e R$ 4,50 em Guapimirim. Para veículos comerciais ou caminhões com dois ou mais eixos, a tarifa é igual ao número de eixos, multiplicado pelo valor da tarifa básica.

TERESÓPOLIS SE ENGANOU

Representantes de Teresópolis junto à ANTT, em audiência pública virtual, no dia 28 de maio de 2021, na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, vice-presidida pelo deputado Hugo Leal, o prefeito disse que a construção de um viaduto próximo à Ermitage e a implantação de uma passarela no Soberbo, além da demolição da praça de pedágio de Três Córregos, eram as suas conquistas, onde “um sistema de redução da tarifa para os usuários frequentes da rodovia” também havia sido pedido por eles. “O pédágio ficará em torno de R$ 12 e, com a frequência dos usuários poderá chegar a aproximadamente R$ 4”, garantiu.

Enquanto deu, e era conveniente propagar a promessa de conquista do governo, o prefeito Vinícius ainda anunciou, em 25 de janeiro de 2021, ter participado de reunião com o secretário de Transporte do Estado, Delmo Pinto, que o estaria ajudando para que a concessão fosse justa, com a redução tarifária e mais investimentos para Teresópolis. “Nossa busca por colaborar na construção do projeto de concessão visa fomentar o desenvolvimento econômico de Teresópolis e aumentar a segurança e a infraestrutura da rodovia para os usuários”, disse o prefeito. Agora, feita a desgraça contra Teresópolis e Guapimirim, que vão ter um dos pedágios mais caros do país separando os seus visitantes, pagantes de uso de uma estrada inteira, até Além Paraíba, o prefeito mudou o discurso ao ser perguntado o que a Prefeitura estava fazendo com relação à praça de cobrança e o valor abusivo, respondendo o governo a O DIÁRIO que fosse procurada informação com a ANTT. “Por se tratar de uma concessão federal, a Prefeitura não tem atribuição para esclarecer. Favor buscar informações junto à ANTT, que é a agência reguladora federal”, ironizou, desrespeitosamente, a assessoria do prefeito.

EM MAGÉ, POVO COMEMOROU

Deputado Gutemberg Reis e prefeito Washington Reis, de Duque de Caixas, comemoraram nas redes sociais a mudança da praça do pedágio para os limites do município. “Comemoramos hoje o fim de uma era! Após mais de 20 anos de luta, o pedágio em Magé é finalmente uma coisa do passado. A praça foi transferida para o limite do município, na divisa com Guapimirim, liberando a cidade de Magé para um futuro de crescimento e desenvolvimento sem barreiras”, agradecendo ao governador Cláudio Castro, o ex-ministro e governador de São Paulo Tarcísio e ao senador Flávio Bolsonaro.

O vereador Arthur Cozzolino afirmou que pedágio era como um câncer para Magé e o prefeito de Magé, Renato, também Cozsolino, publicou banner nas redes sociais para comemorar a sua vitória, “Missão cumprida, pedágio fora de Magé”.

Edição 24/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Conta de água comercial com 100% de aumento ainda sem solução

MEIs: Contadora explica aumento no valor da contribuição previdenciária

Ação conjunta prende homicida em Itaipava

Viação Teresópolis atualiza tabela divulgada pelo Detro e informa novos valores

Jacarandá, um lugar para visitar em qualquer estação do ano

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE