Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Perícia da Polícia e previsão de mais sinalização na faixa elevada

Após mais um grave acidente no trecho da Reta, secretaria de Segurança Pública e Polícia Civil realizam análise no local

Isla Gomes

Neste final de semana mais uma vez o trecho da Reta em que recentemente foi construída uma faixa elevada na Avenida Feliciano Sodré, próximo ao cruzamento com a Rua Magé, virou notícia. Desta vez, na madrugada do domingo, 26, o condutor de um veículo da marca Audi perdeu o controle ao passar pela faixa, voou, bateu em uma árvore e foi parar do outro lado da pista, no sentido contrário, com todos esses detalhes registrados por imagens. O carro ficou totalmente destruído, segundo informações dadas pela polícia ao Diário, tanto o motorista quanto a passageira seguem internados. Dias antes deste acidente, dois jovens de 25 e 27 anos, perderam a vida no mesmo local ao passarem pela faixa e perderem o controle da moto em que estavam. Nos finais de semana anteriores, outros acidentes já haviam ocorrido neste mesmo trecho, porém, com menos intensidade e sem vítimas fatais – um deles incluindo um carro de Polícia. Nesta segunda-feira, 27, a secretaria municipal de Segurança, juntamente com a Polícia Civil, realizou uma perícia minuciosa no trecho, a fim de averiguar as circunstâncias de todos os acidentes ocorridos e posteriormente tomar as medidas necessárias para evitar mais infortúnio.

“Fizemos um trabalho de medições e angulações dentro das resoluções do CONTRAN, principalmente, a resolução número 738 que é ‘travessia de pedestres com elevação’”, relatou o perito Luiz Augustus.

A equipe da Diário TV e do jornal O Diário esteve presente na perícia e conversou com o secretário de Segurança Pública, Marco Antônio da Luz. “Primeiramente gostaria de dizer que é extremamente lamentável todos esses casos que aconteceram, pois, a faixa elevada neste local foi uma criação do governo em relação a segurança no trânsito, esse é o intuito. Nesta segunda, a Polícia Civil fez uma perícia tanto sobre os acidentes quanto da própria faixa também, justamente para que possamos mostrar para a população que ela foi construída dentro dos padrões do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), ou seja, a perícia vai ser feita para minimizar qualquer dúvida que tenha surgido”, explica.

Educação no trânsito
Ao ser questionado sobre o que falta para que acidentes como os que ocorreram sejam evitados, o secretário ressalta a falta de educação no trânsito. “Eu sinceramente acho que falta muita educação, empatia e respeito no trânsito. Não queremos culpar ninguém e nem minimizar nada, mas já pensou se em um desses casos tivesse um pedestre na faixa, que estava ali sem oferecer risco nenhum, então acho que falta uma conscientização na população”, frisou.

“Há possibilidade também, de fazermos exames noturnos posteriormente, já que, alguns acidentes aconteceram durante a noite”, destacou Luiz Augustus, do PRPTC

Mais sinalização e placas
O secretário destaca que a sinalização no local já estava boa, mas que mesmo assim, a sinalização com placas e as pinturas será reforçada. “Gostaria de dizer que nessa faixa elevada na Reta temos sinalização que outros municípios não têm, ou seja, estamos além da segurança, mas mesmo assim vamos aumentar o número de placas de velocidade no entorno da faixa, vamos revitalizar as pinturas, estaremos mais alertas com o local e faremos tudo isso o mais rápido possível, eu já mandei confeccionar as placas e acredito que até a quarta-feira, dia 29, as placas já terão sido colocadas aqui”, concluiu.

“Nesta faixa temos sinalização que outros municípios não têm, ou seja, estamos além da segurança, mas mesmo assim vamos aumentar o número de placas de velocidade”, afirmou Da Luz
“A perícia é para confirmar que a faixa foi construída dentro dos padrões do CTB, ou seja, para minimizar qualquer dúvida que tenha surgido diante deste cenário”, explicou o secretário Marco Antônio da Luz.

Perícia
O perito responsável pela ação no local esclareceu os detalhes aplicados no espaço e desse que outras eventuais avaliações podem ocorrer posteriormente. “Viemos fazer um exame complementar por conta dos acidentes em questão que acontecerem recentemente. Fizemos um trabalho de medições dentro das resoluções do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) principalmente, a resolução número 738 que é ‘travessia de pedestres com elevação’. Não posso adiantar muita coisa sobre a perícia, ainda estamos realizando o exame com as medições e angulações, para verificar se está tudo dentro das normas técnicas. Há a possibilidade de precisarmos voltar posteriormente ao local, até mesmo pela dificuldade de fazer as análises em um lugar que conta com transito intenso por ser uma via principal, inclusive, nesta segunda-feira trabalhamos com fechamento parcial da pista, o que não é o ideal, mas foi necessário. Há possibilidade também, de fazermos exames noturnos posteriormente, já que, alguns acidentes aconteceram durante a noite”, esclareceu o perito Luiz Augustus, do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), setor da Polícia Regional Técnico Científica em Teresópolis.

Nesta segunda-feira, dia 27, a secretaria de Segurança, juntamente com a Polícia Civil, realizou uma perícia minuciosa no trecho. Foto: Isla Gomes/Diário

Investigações
Nossa equipe esteve também na 110° Delegacia de Polícia para elucidar com o delegado titular como estão as investigações com relação aos acidentes. “Realmente o número de casos de acidentes graves que aconteceram na faixa é preocupante, estamos investigando para saber se essas pessoas estavam excedendo o limite de velocidade ou se a situação de alguma forma foi causada por causa da faixa elevada. Eu solicitei a perícia para que analisasse o local, para que seja constatado se a faixa foi construída dentro dos padrões legais e também para que seja analisado se há sinalização suficiente. Vamos investigar todas essas questões, pois, uma construção que era para evitar acidentes supostamente está causando acidentes, então temos que ver se houve em todos os casos excesso de velocidade e se a faixa foi criada adequadamente”, ressaltou Dr. Márcio Dubugras.

“Uma construção que era para evitar acidentes supostamente está causando acidentes, então vamos investigar se houve excesso de velocidade e se a faixa foi criada adequadamente”, frisa o delegado Márcio Dubugras
Edição 24/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Conta de água comercial com 100% de aumento ainda sem solução

MEIs: Contadora explica aumento no valor da contribuição previdenciária

Ação conjunta prende homicida em Itaipava

Viação Teresópolis atualiza tabela divulgada pelo Detro e informa novos valores

Jacarandá, um lugar para visitar em qualquer estação do ano

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE