Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Polícia Civil destrói 350 quilos de drogas em Teresópolis

Maconha, cocaína, crack, entre outros, foram apreendidos pelas forças de segurança nos últimos meses

Marcello Medeiros

Nesta quinta-feira (21), agentes da 110ª Delegacia de Polícia realizaram a incineração de materiais entorpecentes apreendidos em ocorrências das forças de segurança do município nos últimos meses. Foram 350 quilos de drogas diversas, entre elas maconha, cocaína, crack e lança perfume, e outras em menor quantidade, recolhidos em ações da PM, PCERJ e Polícia Rodoviária Federal. “A gente vai apreendendo e espera uma grande quantidade, pois não tem como fazer sempre. Essa situação demanda processo que exige, além da perícia criminal no material, autorização judicial para poder fazer a incineração”, explica o Delegado Titular da 110ª DP, Marcio Dubugras.
O material estava acautelado pela Polícia Civil e, depois de acumulado grande volume, foi solicitada a autorização judicial para a destruição. O local onde tal procedimento é realizado muda em cada operação, mas nunca é revelado. “Obtida a autorização judicial, escolhemos um local onde há um grande forno, não sendo sempre o mesmo. Isso para a nossa segurança e também para a da empresa, para que não ocorra nenhum tipo de intenção criminosa para se subtrair essa drogas. Feita a incineração, o judiciário é informado a seguir”.
De acordo com os dados do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP), em 2023 foram realizadas 552 apreensões de drogas em Teresópolis. O mês com maior número de apreensões foi janeiro, com 55 casos. No primeiro mês de 2024, foram 45 apreensões de drogas no município. Em entrevistas sobre o tema, o Delegado Dubugras destacou que é preocupante o número de pessoas utilizando drogas em Teresópolis, principalmente as altamente viciantes, como o crack.

Foram 350 quilos de drogas diversas, entre elas maconha, cocaína, crack e lança perfume, e outras em menor quantidade, recolhidos em ações da PM, PCERJ e Polícia Rodoviária Federal. Foto: Gilberto Oliveira/Diário

E o dinheiro?
O Delegado também explicou à reportagem do jornal O Diário e Diário TV o procedimento realizado em casos onde há dinheiro apreendido nas situações de flagrante delito. “Qualquer valor apreendido é depositado em uma conta bancária que ficará à disposição da Justiça. No momento que fazemos o depósito, o comprovante vai dentro do inquérito e encaminhado para Justiça, ficando atrelado ao processo e à disposição do Juiz”, pontuou.

Denúncias
A participação popular na investigação é prevenção de crimes é fundamental. A 110ª Delegacia de Polícia funciona na Rua Alfredo Rebelo Filho, 883, bairro do Alto, e atende nos telefones (21) 2641-6623, 2642-9252, 2642-9522 e 98596-7091. A Polícia Militar também mantém dois telefones para receber denúncias, que podem ser feitas anonimamente. São eles o 190 e o 2742-7755. O segundo funciona ainda como WhatsApp, com sistema de criptografia que protege a identificação do denunciante.


Edição 12/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Rua Dr. Aleixo permanece interditada e buraco gera transtornos para a população

prefeitura

Em apenas dois meses, prefeitura recebeu mais de R$ 30 milhões do governo estadual

Diploma não poderá ter identificação de modalidade de ensino à distância

Dom Joel ministra o sacramento da Crisma na Paróquia São Pedro

Teresópolis participa da 12ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE