Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Procon e DPU querem evitar cobrança de taxa extra dos Correios

Empresa alega falta de segurança para aumentar valor de tarifa no estado do Rio de Janeiro

O Procon-RJ informou que está estudando medidas para impedir a cobrança extra dos Correios para envio de encomendas ao Rio de Janeiro, por causa da violência na cidade. A entidade repudiou a cobrança da taxa de R$ 3 para cada encomenda destinada aos moradores da cidade. “Além de tratar os consumidores cariocas de maneira diferente, sem o devido amparo legal, a medida transfere para este consumidor uma responsabilidade que não é dele. O Setor Jurídico do Procon-RJ está estudando as medidas que serão adotadas para impedir essa cobrança”, informou a autarquia estadual.
Em nota divulgada esta semana, os Correios informaram que a cobrança extra é necessária por causa da adoção de medidas para garantir a integridade dos empregados, das encomendas e das unidades dos Correios. “Conforme amplamente divulgado pelos veículos de comunicação, no Rio de Janeiro, a situação de violência chegou a níveis extremos, e o custo para entrega de mercadorias nessa localidade sofreu altíssimo impacto”, diz a nota. Até o fechamento desta matéria, os Correios não haviam retornado os questionamentos sobre a previsão legal da cobrança extra.

Defensoria também questiona
A Defensoria Pública da União no Rio de Janeiro também abriu procedimento para avaliar os reajustes. A DPU enviou um ofício à estatal questionando quais serviços de encomenda serão alcançados pelos aumentos de preços, qual o valor de cada reajuste, quais os fundamentos financeiros para fazer o cálculo desses reajustes e quantos consumidores serão atingidos. Também houve questionamentos específicos sobre a tarifa extra de R$ 3,00 a ser aplicada sobre os envios para o Rio de Janeiro. A DPU quer saber se há estudo conclusivo sobre o impacto da insegurança nos custos de cada um dos serviços ofertados por essa empresa para justificar o aumento. Além disso, pergunta se houve cobranças extras também para outros estados que passam por problemas de insegurança, como Ceará, Pernambuco e Espírito Santo.

Taxa entra em vigor dia 6
De acordo com os Correios, a taxa emergencial entrará em vigor dia 6 de março e se aplica à cidade do Rio de Janeiro e região metropolitana. O reajuste se aplica aos serviços de encomendas. Para o interior do estado e correspondências, não haverá essa cobrança. Em nota, a empresa diz que essa taxa emergencial segue uma prática já adotada pelo mercado. “Devido ao elevado número de roubo de cargas, a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC), em decisão com as transportadoras brasileiras, criou a Emex – Taxa de Emergência Excepcional, que vigora desde março de 2017 na região metropolitana do Rio de Janeiro”, informou.

 

 

 

Tags

Compartilhe:

Edição 23/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Chuvas já mataram 163 pessoas no Rio Grande do Sul

Prefeito de Teresópolis foi ao Tribunal para autorizar festa particular em rua

Vasco da Gama enfrenta o Náutico em Teresópolis

Corujão: novos horários de ônibus durante a madrugada em Teresópolis

Cidade turística, Gramado tem mais de 500 hotéis e restaurantes

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE