Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Produtores rurais ganham novo espaço para comércio

Abandono da feirinha foi destaque do jornal O DIÁRIO no último dia 10

Marcello Medeiros

Depois de 12 anos vendendo frutas, legumes e verduras na Praça da Arruela, em São Pedro, os produtores rurais que ali trabalhavam agora terão um espaço com boa estrutura, localizado próximo do terminal rodoviário na Rua Tenente Luiz Meirelles, na Várzea, próximo local onde já funciona uma feira agroecológica duas vezes por semana. Nesta segunda, 19, os feirantes se reuniram com o prefeito para conversar sobre a mudança de endereço – que será efetivado na semana que vem, a partir do dia 28. O local foi escolhido pelos próprios agricultores, que, no último dia 10, expuseram suas dificuldades em grande reportagem divulgada pelo jornal O DIÁRIO e DIÁRIO TV.
Com grande destaque, mostramos que, apesar de tamanha dedicação e potencialidade, os produtores ainda enfrentavam muitas dificuldades no município, desde a precariedade nas estradas de acesso às lavouras à dificuldade de expor e comercializar os muitos tipos de produtos oriundos da nossa fértil terra. “Há mais de dez anos está funcionando aqui, desde que nos tiraram de lá de baixo onde é a UPA, e não deram mais lugar nenhum. Ficamos jogados na rua aqui e, para ajudar, nesta sexta chegou aqui um Guarda Municipal cheio de ideia querendo nos botar para trabalhar no meio da rua, de qualquer maneira. Fica cada vez mais difícil”, relatou na ocasião o produtor rural Flávio Fita, que trabalha na feirinha desde seus primórdios.
Na década de 80, os produtores rurais comercializavam seus produtos no Ginásio Poliesportivo Pedro Rage Jahara, o Pedrão. Depois, passaram para o local onde funciona o mercado popular, ao lado do terminal rodoviário, passando para a Tenente Luís Meirelles e posteriormente para o endereço atual. Na reportagem, o jornal destacou que na Praça da Arruela, o espaço é reduzido para a disposição dos produtos e estacionamento dos caminhões de carga, que, justamente por conta da pequena área para a apresentação dos legumes e verduras, acabam servindo como depósito do material a ser comercializado. Assim, o cliente não tem onde estacionar para fazer suas compras. “A gente planta e traz para aqui para poder trabalhar, para dar sustento para a família. Então fica ruim para gente trabalhar, pois não tem local adequado, mas não tem outro lugar. Nós queríamos uma feira lá para o Centro, é melhor, tem mais gente para trabalhar. Aqui nem lugar para encostar carro tem, não tem lugar direito trabalhar, é complicado”, contou o produtor José Ribeiro, de 67 anos. 
A feirinha dos produtores rurais de Teresópolis funciona toda as quartas e sextas-feiras, sendo o primeiro dia dedicado apenas ao público que compra em atacado. O atendimento tem início por volta das 6h. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a agricultura tem 1481 vagas de emprego formal no município, número que tudo indica ser muito maior devido aos que não estão registrados no do Ministério do Trabalho. Em relação ao novo espaço, na Várzea, ainda resta saber se o município vai dar algum apoio em relação à estrutura e estacionamento, além de controlar o trânsito de caminhões, ou simplesmente vai abrir os portões para os produtores rurais. 

 

Tags

Compartilhe:

Edição 22/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Estado é atingido por temporais e enchentes desde final de abril

Promoção no Parc Magique e fazendinha do Le Canton neste domingo (26)

Amós pode ter o mandato cassado por falta de decoro

Rota de observação de aves em Teresópolis ganha grande projeção

ANIC HERDY: Mulher desaparecida é aluna do Unifeso

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE