Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Sesc Teresópolis: Moça Prosa celebra os 80 anos de Jovelina Pérola Negra

Roda de samba carioca, formada só por mulheres, vai apresentar show que resgata a trajetória da artista nesta sexta-feira (15/03), às 19h30

A roda de samba carioca Moça Prosa vai estrear no Sesc Teresópolis um show em homenagem à trajetória de Jovelina Pérola Negra, um dos maiores nomes do samba. Na apresentação, que vai acontecer nesta sexta-feira (15/03), às 19h30, o grupo, formado somente por mulheres, mergulha no universo de canções e regravações da artista, que completaria 80 anos em 2024.

Jovelina teve uma história de luta e superação. De empregada doméstica a vendedora ambulante de linguiça, nunca desistiu do sonho de se tornar cantora. Nascida em Botafogo, na Zona Sul do Rio, logo mudou-se para o subúrbio, onde começou a se apresentar no Vegas Sport Clube, em Coelho Neto, levada pelo amigo Dejalmir. Foi o próprio Dejalmir quem escolheu seu nome artístico, Jovelina Pérola Negra, em homenagem a sua cor.

De Coelho Neto foi para Belford Roxo e depois para Madureira onde, na Escola de Samba Império Serrano, desfilou anos a fio na ala das Baianas. Na Estrela de Madureira conheceu Roberto Ribeiro, Jorginho do Império e outros nomes de peso da escola. Começou a cantar ao lado desses artistas e virou atração no Show Botequim do Império, que acontecia na quadra da escola, durante os ensaios, para aumentar o caixa que financiava desfiles.

Não demorou muito tempo para que seus fãs a considerassem herdeira natural de Clementina de Jesus na dinastia das grandes vozes femininas do samba. Jovelina foi uma das peças mais importantes na condução do samba de fundo de quintal e do pagode para a linha de frente da MPB.

A artista estreou na música tardiamente, em 1985, quando já tinha 40 anos, com sua participação em três faixas da coletânea Raça Brasileira. No ano seguinte a cantora gravava seu primeiro disco solo com sambas de sua autoria e de compositores como Nei Lopes e Monarco.

Ao todo gravou seis discos, entre eles, “Sorriso Aberto”, em 1988, “Sangue Bom”, em 1991, “Vou da Fé”, em 1993, quando conquistou um disco de platina. A dama do samba Jovelina Pérola Negra, morreu de enfarte, aos 54 anos, enquanto dormia em sua casa, no bairro da Pechincha, em Jacarepaguá. O corpo da cantora foi enterrado em clima de pagode, com familiares e populares cantando seus maiores sucessos. Jovelina deixou três filhos e dois netos.

Essa é a história que a roda de samba Moça Prosa, surgida no entorno da Pedra do Sal, berço do samba carioca, vai resgatar no projeto “No mesmo manto: 80 anos da Pérola Negra”. Selecionada pelo Edital de Cultura Sesc RJ Pulsar, a série de shows vai circular por unidades da instituição, fazendo um passeio por canções autorais, gravações e regravações feitas por Jovelina, considerada a maior partideira do país.

SERVIÇO

Show da roda de samba Moça Prosa

Projeto “No mesmo manto: 80 anos da Pérola Negra”

Sesc Teresópolis

Sexta-feira, 15/03, às 19h30

Endereço: Av. Delfim Moreira, 749 – Várzea

Ingressos: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia-entrada), gratuito (credencial plena Sesc e público cadastrado no PCG).

Edição 17/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Veja como ficam as repartições e atrativos turísticos de Teresópolis no feriado

Barra: 60 dias de trânsito lento na Rua Dr. Oliveira

Teresópolis recebeu etapa do Circuito Carioca Master de Vôlei de Praia

Quatro fontes com água imprópria para consumo em Teresópolis

Moradores da Rui Barbosa denunciam calçada em situação irregular

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE