Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Sítio Assunção, Onde mora a Paz

Livro de Márcia Nascimento entra em segunda edição, sob encomenda

Wanderley Peres

Lançado em dezembro passado, com bonita tarde de autógrafos no sitio Assunção, em Quebra Frascos, o livro “Sítio Assunção – onde mora a paz”, de Márcia Nascimento, entrou em segunda edição, e as encomendas já podem ser feitas à Associação dos Amigos do Sítio Assunção, AASA, que administra o sítio, e se encarregou de listar os interessados, bastando fazer contato, pelo telefone 21 98834-7666 ou por mensagem do Instagram, em @sitioassuncao
Cheio de relatos e informações inéditas, “Sítio Assunção – onde mora a paz” conta a história dos 90 anos do sítio, um local de grandes encontros, onde viveu o saudoso padre Tolmino Taddei, por muitos considerado como um santo, e aconteceram fatos relevantes para a história da igreja, e um trabalho social intenso, principalmente em favor das comunidades carentes próxima, em especial o Quebra Frascos.
Toda a renda com a venda do livro, primeira e segunda edição, está sendo destinada à manutenção do Sítio Assunção, que já não conta mais com a administração das irmãs da Assunção. Eu li, e recomendo, afinal, “é pura abstração, sem sentido de objetividade, falar-se em memória nacional se não tiver presente, antes, a necessidade de preservar e defender, em sua verdadeira autenticidade, a memória municipal”, como bem disse o poeta Waldemar Lopes, presidente da Academia Teresopolitana de Letras. De fato, não há que se falar em identidade de um país sem conhecer e tentar entender as histórias do seu povo.

Embora agrade bastante àqueles que viveram seus dias de boas lembranças no sítio das irmãs da Assunção, o livro de Márcia N. Chiapeta merece ser lido, e guardado, para ser consultado, porque trata justamente dos fragmentos da história nacional, revelando os costumes e a religiosidade de um grupo de pessoas num certo tempo e lugar, registros que podem permitir a elucidação de outras histórias ainda a serem escarafunchadas.

A história se fez. É fato inalterável. Memória, não. Depende. Vive ou morre. Depende de cada história contada, de cada memória preservada em livros como esse que tive o privilégio de ler ainda em rascunho. “Sítio Assunção – Onde mora a paz” me revelou muita coisa que eu não sabia e foi bom aprender.

Um pedaço da história municipal

Quando o Sítio Assunção, em Quebra Frascos, estava prestes a completar 90 anos, numa missa dos sábados à tarde celebrada pelo Padre Sebastião Santos, a jornalista Márcia Nascimento soube que o espaço seria fechado, devido ao encolhimento da Ordem por causa da idade avançada da maioria das irmãs. Foi quando dez casais frequentadores da propriedade assumiram o enorme desafio de administrar o local, surgindo a Associação dos Amigos do Sítio Assunção, e no projeto da AASA a ideia de um livro, contando a história do lugar.
“Foi um enorme desafio, assim que comecei a procurar a história a ser contada. Quase não há registros na Internet, nem em livros e revistas, e as irmãs levaram todo o material, os Anais, para Brasília. Comecei a pedir ajuda para quem soubesse alguma coisa, por mais simples que fosse o relato. Também divulgamos em cartazes, entrevistas na imprensa e nas redes sociais a intenção da pesquisa, surgindo as primeiras informações. Que fase especial essa, da pesquisa. Soube então dos encontros, casamentos, batizados e reuniões, e também dos depoimentos, entre eles, sobre o falecido padre Tolmino Taddei, considerado por muitos como um Santo, e ainda sobre as obras sociais e grandes amizades que se formaram ali. Foram dois anos e meio de entrevistas, e apesar da Covid, consegui colher depoimentos por videoconferências e mensagens de WhatsApp, conseguindo encontrar a história que procurava e agora será conhecida de mais gente nesse livro que me deu muita satisfação realizar”, conta a autora, Márcia Nascimento Chiapeta.
Em formato Carta, e bem ilustrado, “Sítio Assunção, onde mora a Paz” tem apreciação do Monsenhor Antonio Carlos Motta do Carmo, da Superiora Provincial irmã Judite Alves, do Pró-Memória Teresópolis, e contou com o patrocínio de diversas empresas cidadãs, entre elas a Carrapeta, ControPlan, E, Fachinas, VRS Imóveis, Parisi Software, Rogério’s Buffet.

Edição 20/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

População transforma terreno vizinho da UPA em lixão clandestino

Cães farejadores ajudam polícia a encontrar grande carga de drogas

Jovem encontrado morto na BR-116 tem passagem por tráfico, diz PCERJ

Prefeito diz que não vai pagar o aumento de ninguém

Teresópolis: matagal toma conta de rua no Golfe

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE