Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Tempestade agravou situação da Estrada do Arakem

Via, que já estava ruim, ficou intransitável para ônibus e outros veículos pesados

O que já não é bom há muitos anos, tem ficado ainda pior em consequência das fortes chuvas do período de Verão e o pouco investimento do governo municipal em uma das secretarias que mais recebe pedido de ajuda da população, a de Obras e Serviços Públicos. A Estrada do Arakem, que dá acesso a uma parte da Granja Guarani e ao bairro da Pedreira, onde têm sido comuns remendos asfálticos, foi duramente afetada após o temporal do início da última terça-feira. No local conhecido como “curva do S” houve rompimento de manilhas, paralelos e “chicletes de asfalto” foram arrastados pela enxurrada e o trânsito de veículos está bastante perigoso. Em extremidades diferentes das seguidas curvas fechadas, grandes buracos colocam motoristas, motociclistas e ciclistas em risco. A Viação Dedo de Deus, por exemplo, foi obrigada a retirar de circulação o ônibus que faz a linha “Bairro dos Artistas x Pedreira”.
“A Pedreira está abandonada, nem limparam a rua e estamos sem ônibus. A gente que mora depois do ponto final está sofrendo, crianças descendo andando 30, 40 minutos a pé para ir para a escola, um desrespeito”, relatou ao Diário uma moradora, através do nosso WhatsApp (2742-9977). Nesta quinta-feira, cobramos do governo municipal um posicionamento sobre quando os problemas serão solucionados. “A Secretaria de Obras e Serviços Públicos informa que devido à chuva, os reparos serão realizados nesta sexta-feira, dia 08”, destaca a nota encaminhada à nossa redação.

Onde não houve afundamento, muitos paralelos arrastados pela enxurrada. Foto: Marcello Medeiros/Diário


Desde quando a chuva estiou, por volta das 21h de terça-feira, moradores da região têm cobrado do governo municipal uma ação na localidade. Dois dias depois, eles continuam na mesma e na expectativa que não chova nesta sexta, visto que essa é a condição para que as manilhas sejam reparadas, os paralelos recolocados ou um novo “remendo asfáltico” para cobrir o desnível deixado pelos anos de abandono e a força da água.
Também cobramos um posicionamento da empresa Águas da Imperatriz sobre dois grandes vazamentos de água nos locais onde houve o deslocamento de paralelos e asfalto, ainda não tendo sido informando quando será estancado o desperdício e feito o reparo para evitar que moradores da Granja Guarani e Pedreira fiquem sem o essencial serviço.

Além de afundamento de pista, vazamento de água é registrado em um dos locais. Foto: Marcello Medeiros/Diário

Muqui ainda aguarda
Após quatro meses de espera, moradores da Rua Tabelião Luis Bessa, na Vila Muqui, finalmente foram atendidos na solicitação de substituição de uma manilha rompida em trecho da curva da via, que não tem saída. Porém, foi feita apenas a troca do sistema de escoamento de água da chuva, sem a recolocação do calçamento em paralelepípedo ou a colocação de uma camada asfáltica. Resultado: a tempestade da última terça-feira arrastou todo o cascalhinho jogado por cima da terra que cobre o sistema de manilhamento, havendo novamente o risco de interdição da passagem de veículos.

Os próprios moradores tiraram alguns paralelos da pista, para tentar evitar acidentes. Foto: Marcello Medeiros/Diário


Tags

Compartilhe:

Edição 18/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Homem é preso com quatro armas e munições em Teresópolis

Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar

Agendamento online para passaportes está indisponível temporariamente

Polícia Civil conclui inquérito e indicia por tráfico mulher que deu balas com droga para camareira de hotel em Teresópolis

Prefeitura de Teresópolis confirma data do leilão de veículos apreendidos

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE