Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Tentativa de homicídio por motivo fútil no Caleme

Homem não gosta de comentário de colega e usa faca para acertá-lo no peito

Marcello Medeiros
Isla Gomes

Uma confusão no bairro do Caleme, no último fim de semana, terminou com uma tentativa de morte e prisão pelo crime de homicídio tentado. E, não bastasse a gravidade da situação, que poderia inclusive ter envolvido inocentes, o motivo para o ataque utilizando uma faca é bastante fútil: segundo a polícia, o apontado autor do crime não gostou de um comentário feito por um conhecido e o esfaqueou. “Soubemos desse caso grave, onde o autor utilizou uma faca para acertar o peito do outro, o identificamos e pedimos a sua prisão. Ela foi deferida e ele preso na Estrada do Triunfo. Descobrimos que a motivação foi porque a vítima teria feito uma ‘brincadeira’ com o autor, dizendo que ‘ele iria sair com um travesti’, e resolveu mata-lo”, relata o Delegado Márcio Dubugras.
Ainda de acordo com o titular da 110ª Delegacia de Polícia, o destempero pode render um longo período de cadeia para o denunciado. “A vítima foi levada para o hospital e, segundo soubemos, continua internada. O autor vai responder por tentativa de homicídio qualificado e pode pegar entre 12 e 30 anos de prisão”, destaca a autoridade policial do município.

Delegado Márcio Dubugras

Dubugras reforça também que o motivo fútil pode complicar ainda mais a vítima do morador do Caleme, que ficou um período acautelado na delegacia local e depois foi transferido para unidade prisional da Polinter, na Zona Norte do Rio de Janeiro. “Tem várias qualificadoras, por utilizar de meio que diminua a possibilidade de residência da vítima, por motivo fútil ou torpe, dependendo da intenção, da motivação do autor. Dessa forma a sanção pode ser maior e chegar aos 30 anos de prisão”, enfatiza o Delegado, informando ao Diário que o morador do Caleme já tem passagens por furto, lesão corporal e injúria.

Agiotagem e extorsão em Araruama
Policiais Civis da 118ª DP (Araruama) realizaram uma operação, nesta segunda-feira (11), para prender integrantes de uma quadrilha de agiotas. Eles executavam as cobranças com violência e ameaças. Um dos suspeitos foi preso no bairro da Fazendinha, em Araruama, Região dos Lagos. Ele é acusado de se apropriar de um veículo e de bens pessoais de uma das vítimas que não estava conseguindo honrar com os pagamentos das dívidas. De acordo com as investigações, o grupo fazia empréstimos mediante cobrança de juros de 30% ao mês e mais 3% por dia de atraso e ameaçavam violentamente as vítimas caso estas não pagassem a dívida. Algumas vítimas continuavam sendo cobradas mesmo após quitar o débito.
Além de Araruama, os agentes realizaram diligências nos municípios de Iguaba Grande e no Rio de Janeiro para cumprir as ordens judiciais. Foram realizados ainda bloqueios de contas utilizadas pelo grupo criminoso para receber os valores cobrados das vítimas. Contra o homem, foi cumprido um mandado de prisão temporária pelos crimes de agiotagem e extorsão. As investigações prosseguem com o objetivo de localizar e prender o outro indivíduo já identificado, bem como reunir novos elementos que contribuirão com as investigações.

Edição 16/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Sul do Brasil pode registrar geada nos próximos dias

Correios anunciam cargos de nível médio e superior em concurso público

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

Barra: 60 dias de trânsito lento na Rua Dr. Oliveira

ChocoSerra começa nesta sexta-feira em Teresópolis, confira a programação

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE