Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Teresópolis: Alertas de cheias dos rios e de chuvas intensas são constantemente avaliados pela DC municipal

Coronel Albert Andrade garante que equipes estão preparadas para eventuais ocorrências

Luiz Bandeira

Desde quarta-feira, 21, o INEA vem emitindo e publicando em redes sociais, alerta de cheia dos rios no município de Teresópolis. Com a chegada de uma frente fria vinda da Região Sul do País aliada a um corredor de nebulosidade, formado a partir da Amazônia, outro órgão de monitoramento, o CEMADEN (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), também vem alertando sobre a incidência de chuvas, de moderadas a fortes, sobre a nossa região. Esses importantes alertas causam certa preocupação na população e mantém equipes da Defesa Civil Municipal de prontidão.
Nesta quinta-feira, 22, a equipe do jornal O Diário e Diário TV foi até a sede da Defesa Civil Municipal, anexa ao Centro de Atendimento ao Turismo, na Avenida Rotariana, Soberbo, para conversar com o secretário Albert Andrade sobre estes aletas e o preparativo das equipes para a nova estação. Coronel Albert garante que mesmo respeitando a condição de alerta dos órgãos de monitoramento, não vê atualmente risco para a população, “Nós estamos acompanhando, através dos satélites e dos órgãos do estado e federais, que monitoram o CEMADEN nacional, e nós temos previsão pra hoje (ontem), 22, de chuva de fraca à moderada ao longo do dia e uma pancada eventual no final da tarde, mas pelas imagens de satélite nós não acreditamos que essa chuva passe de moderada. Com relação a isso os acumulados que nós temos no município ao longo destes dias são baixos, então não é nada preocupante, mas nós continuamos monitorando, porque além desse núcleo de humidade que está vindo da Amazônia nós temos também essa frente fria que a princípio está se deslocando pro mar, mas isso faz com que a gente fique observando essas informações”, garante o secretário.
A Defesa Civil Municipal mantem servidores de prontidão que podem atender ocorrências a qualquer momento, como revela Coronel Albert. “Nós temos duas equipes de pronto emprego trabalhando 24 horas por dia e assim que tiver qualquer alteração, qualquer piora nas condições climáticas significativas, nós vamos estar informando a população através das nossas mídias sociais, do SMS e em caso de emergência é sempre bom ressaltar a população que ela faça contato através do 199”, alerta Albert Andrade.
O Início da Primavera acontece às 22h04 do dia 22 de setembro e vai até o dia 21 de dezembro de 2022. Neste ano, o fenômeno La Niña continua atuando no início da primavera. “Nos próximos meses, na parte mais sul do Brasil, há uma tendência de irregularidade nas chuvas, ou seja, uma tendência de que chova de maneira mais concentrada em poucos dias”, diz o mestre e doutor em Climatologia e meteorologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), Mozar de Araújo Salvador. Ainda segundo o Inmet, a La Niña causa uma ligeira queda das temperaturas médias nas regiões Sudeste e Sul. O fenômeno climático é causado pelo resfriamento das águas do Pacífico Equatorial que afetam as temperaturas e o volume de chuva em todo o mundo. Na Região Sudeste, as chuvas passam a ser mais intensas e frequentes, com pancadas de chuva no final da tarde ou da noite, devido ao aumento do calor e da umidade.
A Defesa Civil está atenta e essas mudanças climáticas em decorrência da chegada da Primavera, “Com a chegada da primavera a temperatura tendem a aumentar, com o aumento da temperatura se aumenta a humidade do ar consequentemente a possibilidade de chuvas mais intensas e fortes ela aumenta, então as nossas equipes são orientadas nesse período a intensificar o monitoramento, intensificar também os alertas e alarmes porque a antecipação, a prevenção é que é o segredo do negócio. Nós continuamos também com esse trabalho ao longo de todo o ano, com as duas equipes de pronto emprego 24 horas por dia. Nesse período mais crítico nós temos também uma escala de sobreaviso, porque se houver a necessidade de se disponibilizar um maior número de equipes, nós temos esse trabalho que é feito nesse período de maior intensidade das chuvas onde nós podemos acionar até quatro equipes para estarem sendo utilizadas na atividade fim”, revela o secretário de Defesa Civil.
Segundo Coronel Albert os alertas são avaliados de acordo com as condições locais, “Toda vez que nós recebemos um alerta de chuva dos órgãos competentes e de órgãos superiores, nós intensificamos o nosso monitoramento e fazemos uma avaliação, porque cada município tem a sua competência de avaliar e emitir os seus alertas e dependendo da situação a gente intensifica os alertas ou diminui os alertas. Por que é feito dessa forma? Porque se a gente simplesmente replica o alerta e esse alerta ele não se caracteriza, não se verifica na prática, o nosso alerta perde a credibilidade junto à população local, então nós temos esse cuidado de emitir o alerta quando a situação já está praticamente confirmada para quê a gente não perca a credibilidade dos nossos alertas”, pontuou Coronel Albert Andrade, secretário municipal de Defesa Civil.

Edição 23/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Chuvas no estado do Rio provocam ao menos sete mortes

Justiça Federal determina retorno de Adélio Bispo a Minas Gerais

Ônibus: novas tarifas intermunicipais entram em vigor neste sábado

Sexta e sábado com feira de adoção de cães na Várzea

Asfalto ficou na promessa e Vale dos Cedrinhos segue quase intransitável

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE