Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Teresópolis inicia a vacinação bivalente contra a Covid-19

Município concentra atendimento para nova fase de imunização no Centro Municipal de Saúde

Luiz Bandeira

Nesta segunda-feira, 27, teve início em todo o país a campanha de vacinação “Covid-19 Bivalente”. O novo reforço protegerá a população contra as variantes mais recentes do Coronavírus e será aplicado em pessoas que já possuem o esquema vacinal básico completo, ou seja, que já tenham recebido primeira e segunda doses. De acordo com a secretaria municipal de Saúde, a vacina estará disponível neste momento somente para o público-alvo que faz parte da Fase 1 da campanha, que inclui idosos a partir de 70 anos de idade e pessoas a partir de 12 anos dos seguintes grupos prioritários (abrigados e trabalhadores de instituições de longa permanência; imunocomprometidos; povos de comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas). Em Teresópolis, as vacinas estão disponíveis no Centro Municipal de Saúde Dr. Armando Gomes de Sá Couto (Posto da Várzea), com acesso pelo antigo hemonúcleo, das 8h às 16h. Para que o reforço bivalente seja aplicado, é necessário apresentar o comprovante de vacinação das doses anteriores, com espaço mínimo de quatro meses da última aplicação.

A reportagem do jornal O Diário e Diário TV esteve na tarde desta segunda-feira no Posto de Saúde da Várzea para conversar com a equipe que coordena o trabalho de vacinação da população teresopolitana contra as novas variantes da Covid-19. O Diretor Técnico da unidade, Dr. Delfim Moreira, afirmou que o posto está preparado para receber essa campanha de imunização. “A vacinação bivalente contempla as novas cepas de Covid-19 e o centro de saúde aqui da Várzea vai ser o único nesse momento a vacinar a população, a gente está fazendo aqui toda uma logística para agilizar essa vacinação”.

Equipe do Centro de Saúde Dr. Armando Gomes de Sá Couto trabalhando na campanha da vacina bivalente contra o Covid-19

Melhor imunidade
Estudos garantem que essa vacina melhora a imunidade contra o vírus da cepa original e também contra a variante Ômicron e outras subvariantes encontradas no país. As bivalentes mostraram resposta imune robusta para as cepas Ômicron em circulação (BA.1 e BA.4/BA.5). Já as monovalentes têm um tipo só de vírus que causa a Covid-19, isto é, o vírus ancestral, que primeiro apareceu na China no fim de 2019, conforme explica o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, Juarez Cunha. “Todas as vacinas que a gente tinha e usou até agora eram monovalentes, independentemente do laboratório fabricante”.

Importância da vacinação
Seguindo orientação do Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), o reforço da vacina bivalente deverá ser aplicado apenas em pessoas que já tenham recebido a primeira e segunda dose dos imunizantes contra a Covid-19. Rachel Rodrigues, coordenadora de imunização do posto da Várzea detalha “A doença não acabou e tem gente que não tomou nem a primeira dose. Então a gente pede que venham tomar a primeira, a segunda dose monovalente, a partir da terceira dose já começa com a bivalente que vai imunizar contra essa nova variante, pra se proteger. As pessoas pensam que acabou, que não tem ninguém no hospital com Covid-19, mas tem, tem gente ficando internada, menos, graças a Deus, mas é necessário tomar essa dose, sempre com intervalo de quatro meses entre uma dose e a outra”, esclarece Rachel.

Em Teresópolis, as vacinas estão disponíveis no Centro Municipal de Saúde Dr. Armando Gomes de Sá Couto, o Posto da Várzea, com acesso pelo antigo hemonúcleo, das 8h às 16h

Exemplo
O escritor Paulo José, que estava na tarde desta segunda-feira sendo vacinado no Posto de Saúde da Várzea no momento em que a equipe do Diário produzia a matéria, aproveitou para convocar a todos para fazerem o mesmo. “Já tomei as outras quatro doses e agora tomei a quinta e o meu conselho é que venham rápido, correndo para que 80% do povo brasileiro retome o bom hábito e o bom costume da vacinação, pois se faz necessário que todo o povo seja imunizado”.

“O Centro de Saúde aqui da Várzea vai ser o único nesse momento a vacinar a população, a gente está fazendo aqui toda uma logística para agilizar essa vacinação”, atenta o Dr. Delfim Moreira, Diretor Técnico da unidade de saúde

Mais sobre a vacina
Conforme o Ministério da Saúde, o imunizante bivalente melhora a imunidade contra a cepa original do coronavírus e também contra a variante ômicron com segurança e eficácia semelhante ao das vacinas monovalentes. A diferença é que as vacinas aplicadas até o momento, que são monovalentes, protegem apenas contra o primeiro vírus circulante da Covid-19, as bivalentes possuem a capacidade de combater também as variantes mais recentes do coronavírus.
O diretor da Sociedade Brasileira de Imunização, Juarez Cunha explica que à medida que o público prioritário for sendo vacinado, outros grupos também vão receber esse novo imunizante. “Essas populações são as pessoas que mais sofreram e mais sofrem com a doença. É importante termos um planejamento porque não tem vacina suficiente para incluir toda a população com a bivalente. A tendência é que, com o passar do tempo, a gente vá aumentando os grupos que vão receber”, pontuou Juarez Cunha.

“As pessoas pensam que acabou, que não tem ninguém no hospital com Covid-19, mas tem, tem gente ficando internada, menos, graças a Deus, mas é necessário tomar essa dose, sempre com intervalo de quatro meses entre uma dose e a outra”, esclarece Rachel Rodrigues responsável pelo Setor de Imunização do Posto da Várzea
Edição 12/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Dia D de vacinação contra a gripe acontece neste sábado

PRF recebe 40 novas viaturas para recomposição da frota

Veja como pedir a renovação ou a segunda via da CNH pelo Posto Digital

Rua Dr. Aleixo permanece interditada e buraco gera transtornos para a população

prefeitura

Em apenas dois meses, prefeitura recebeu mais de R$ 30 milhões do governo estadual

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE