Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Teresópolis tem segundo caso confirmado de febre amarela

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do RJ informou na tarde desta quarta-feira (17) que em 2018 foram registrados cinco casos de febre amarela silvestre em humanos, destes cinco casos dois são em Teresópolis. A primeira vítima morava em Canoas, Sérgio Pìnheiro tinha 47 anos e teria contraído a versão silvestre da doença e morreu. O segundo caso também seria do interior, da localidade de Água Quente (informação divulgada pela Intertv na noite de quarta-feira) e está internada no Rio de Janeiro.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do RJ informou na tarde desta quarta-feira (17)  que em 2018 foram registrados cinco casos de febre amarela silvestre em humanos, destes cinco casos dois são em Teresópolis. A primeira vítima morava em Canoas, Sérgio Pìnheiro tinha 47 anos e teria contraído a versão silvestre da doença e morreu. O segundo caso também seria do interior, da localidade de Água Quente (informação divulgada pela Intertv na noite de quarta-feira) e está internada no Rio de Janeiro.

Para o portal G1 a prefeitura informou que a segunda pessoa com a doença encontra-se internada no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas da Fiocruz (INI-Fiocruz), no Rio de Janeiro. Outros três casos suspeitos estão sendo investigados em Teresópolis, segundo informou a Prefeitura ao portal. Um dos pacientes, o município disse que já teve alta do INI-Fiocruz e os outros dois continuam internados, aguardando esclarecimento e confirmação do diagnóstico.

– 2 casos – Teresópolis, sendo um óbito

– 3 casos – Valença, sendo dois óbitos

 
Número de localidades com casos confirmados de febre amarela em macacos:

– 1 epizootia – Niterói

A SES ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela. A doença é transmitida através da picada de mosquitos.

Ao encontrar macacos mortos ou doentes (animal que apresenta comportamento anormal, que está afastado do grupo, com movimentos lentos etc.), o cidadão deve informar o mais rápido possível às secretarias de Saúde do município ou do estado do RJ.

A secretaria reforça a importância das pessoas que ainda não se vacinaram buscarem um posto de saúde próximo de casa para serem imunizadas.

 

*Atualizado em 18/01/2018 10:31

Tags

Compartilhe:

Edição 13/07/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Teresópolis caminha para ser um dos maiores produtores de vinho do Sudeste

Há 75 anos uma teresopolitana pisava no Dedo de Deus pela primeira vez

“Cantinho das Cerejeiras” faz sucesso em Teresópolis

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

Rio: Polícia prende 6 suspeitos de fraudar agências bancárias

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE