Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

30º BPM cria Projeto Girassol em apoio às vítimas de violência doméstica

Patrulha Maria da Penha realiza atividades e parcerias para recuperar autoestima das mulheres

Marcus Wagner

O empoderamento das mulheres vítimas de violência doméstica é o principal objetivo do Projeto Girassol, que surgiu de uma iniciativa do 30º Batalhão de Polícia Militar através da Patrulha Maria da Penha – Guardiões da Vida, que agora busca ampliar sua atuação. A equipe realiza um trabalho estruturado e especializado de prevenção contra abusos e é considerada essencial dentro do planejamento de segurança pública por viabilizar a proteção às mulheres em estado vulnerável.
O Comandante do 30º BPM, Coronel Marco Aurélio, destaca que essa nova fase do atendimento dos Guardiões da Vida é uma inovação muito importante: “O Projeto Girassol veio da iniciativa deles mesmos, uma ideia muito bacana e a sugestão desse nome tem uma história, pois quando não tem sol, essas flores se viram umas para as outras para se proteger e trocar energia e quando tem sol elas se alimentam da luz solar. Nós achamos isso muito interessante, porque cada mulher tem a sua história, tem um passado e podem se ajudar em uma grande corrente da não violência. Quando os Guardiões não estão presentes, elas se ajudam e quando eles estão presentes, vão contar com essa proteção da instituição para elas, que muitas vezes estão sob medida protetiva ou sob ameaça”.
O Coronel explicou ainda que é importante alertar as mulheres para que não se submetam a nenhum tipo de agressão: “Muitas vezes a mulher nem sabe o que é a violência doméstica, ela só percebe a partir da lesão corporal, mas não é só a agressão física, existem muitos outros comportamentos inadequados do parceiro em relação a ela que precedem a lesão corporal. O Projeto Girassol vem para fortalecer essas mulheres, dar conhecimento a elas, formando parcerias com outras instituições”.
De acordo com a Cabo Gisele, esse novo momento dos Guardiões da vida é uma percepção da necessidade de ajudar as vítimas a se reerguerem: “A Patrulha Maria da Penha visa muito a segurança da mulher, então sentimos a necessidade de dar uma amplitude a esse trabalho, por isso criamos o Projeto Girassol para trabalhar o empoderamento feminino e a sororidade. A gente procura o fortalecimento da mulher no contexto geral, na autoestima, se ela não estiver trabalhando, buscamos fazer uma ponte, então a gente realiza parcerias para fortalecer a todas de uma maneira geral”.
Já o Sargento Bruno Costa enfatiza a necessidade de que qualquer tipo de violência doméstica seja denunciada: “A gente tem uma rede de proteção a favor das mulheres, junto ao Ministério Público, órgãos da prefeitura como os CRAS que apoiam nosso trabalho e tentamos oferecer o máximo possível de apoio para as mulheres. Temos o Facebook onde muitas mulheres estão conhecendo o nosso trabalho, temos o 190 em que a Polícia Militar sempre atuou contra a violência doméstica. Agora buscamos atuar em escolas, em igrejas para ter o maior apoio da comunidade. A gente pede para as mulheres criarem uma rede de proteção, para os vizinhos saberem o que elas estão passando para que, se ela for agredida, mais pessoas possam ajudá-la”.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Edição 02/07/2022
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

Policial de férias prende acusado de tráfico na entrada da cidade

Magalu vai abrir loja em Teresópolis e inicia processo de contratação

Veículo abandonado em via pública é incendiado

Câmara aprova representação contra o prefeito de Teresópolis